Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ANÁLISE: Temporada de balanços segue agitada e já mostra efeitos da pandemia nas principais empresas 

Data de criação:

access_time 11/05/2020 - 12:18

Data de atualização:

access_time 11/05/2020 - 12:18
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A temporada de balanços brasileira continua e na última semana tivemos alguns nomes importantes representando os principais setores da economia. Entre os principais estão:

Gol Linhas Aéreas Inteligentes (GOLL4)

A companhia de aviação Gol reportou no início desta semana o prejuízo líquido de R$ 2,261 bilhões em balanço não-auditado. De acordo com os documentos, a empresa registrou um Ebitda, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, de R$1,4 bilhão. A dívida líquida no trimestre foi equivalente a 2,4 vezes o lucro antes do Ebitda, ficando em linha com o nível de endividamento ao fim de 2019.

Frente ao cenário desafiador que o setor tem pela frente, os dados apresentados mostram certa resiliência nos primeiros meses do ano, mas uma condição frágil para encarar o segundo trimestre.

Banco Itaú (ITUB4)

O Itaú, maior banco privado do país, registrou um lucro líquido contábil de R$ 3,401 bilhões no primeiro trimestre de 2020. O resultado representa uma queda de 49,3% na comparação com o mesmo período de 2019 (R$ 6,701 bilhões).

Assim como ocorreu com as demais instituições, a queda de receita está ligada diretamente ao isolamento social e a desaceleração econômica devido à pandemia de Covid-19. Já as despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa aumentaram em 147,2% na comparação anual, totalizando R$ 10,4 bilhões.

O provisionamento vem em linha com o apresentado pelo Bradesco (BBDC4) na semana retrasada, em R$ 6,708 bilhões, um salto de 86,1%. Isso coloca os dois maiores bancos privados do País em posição defesa frente a uma profunda crise esperada pela frente.

Ainda sobre os bancos, o Banco do Brasil (BBAS3) registou um lucro líquido contábil de R$ 3,205 bilhões, equivalente a uma queda anual de 20%. Já as despesas com provisões para créditos de liquidação duvidosa (PDD) atingiram R$ 5,539 bilhões, uma alta de 63,3% no ano.

Lojas Americanas (LAME4)

A rede de Lojas Americanas registrou o avançou 14,2% na receita líquida no 1° trimestre deste ano, totalizando R$ 4 bilhões. Boa parte do resultado positivo vem das operações digitais que cresceram 32,3%, somando R$ 1,7 bilhão no período.

Outro ponto positivo foi o uso das lojas físicas como locais de drive-thru para pedidos e entregas. As redes do varejo já inseridas no e-commerce têm sido os principais destaques no período de isolamento social.

Para esta semana, a agenda segue cheia com destaque para Petrobras, BR Foods, Grupo Pão de Açúcar, Suzano, entre outras.

Ernani Reis, analista da Capital Research

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?