Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Ativa faz alterações nas recomendações para Petrobras e Eletrobras

Data de criação:

access_time 22/02/2021 - 21:12

Data de atualização:

access_time 22/02/2021 - 21:12
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Depois das últimas informações envolvendo a Petrobras, a equipe de análise da Ativa Investimentos fez uma alteração na recomendação e também nos preço. Na mesma linha ficou a estatal de energia, Eletrobras.

Petrobras (PETR4) –

“Alteramos nossa recomendação considerando as mudanças operacionais, financeiras e de governança que devem ocorrer a partir da sinalização de troca de comando promovida pelo acionista majoritário. Apesar de observarmos Petrobras mais fortalecida hoje que no passado recente, os presentes acontecimentos invalidam os principais fundamentos de nossa tese de investimentos anterior, que tinha na desalavancagem, promovida a partir do sucesso do plano de desinvestimentos, e na retomada de uma robusta geração de fluxo operacional, mantida através da promoção de práticas que maximizassem o retorno ao acionista, figuras centrais.

Acreditamos ainda que, embora o ajuste feito pelo mercado tenha sido considerável, a possível perda de mecanismos, como a paridade, que fortalecem a rigidez do controle dos atuais níveis benignos de endividamento, pode abrir espaço para seu desconto perante os pares se dilatar.

A recomendação passou de COMPRA para VENDA ao preço-alvo: de R$ 35,90 para R$ 20,00.

Ativa Eletrobras (ELET3)

“Considerando a renúncia do diretor-presidente, Wilson Ferreira Júnior, e a recente mudança na postura do acionista majoritário perante as SOEs, estamos rebaixando a companhia. Embora acreditamos que o espaço para manobras envolvendo o setor elétrico não seja dos maiores, levando em consideração seu ambiente de preços já́ altamente regulado, acreditamos que o papel não deve responder a fundamentos enquanto o cenário envolvendo sua privatização não estiver menos nebuloso o que, até́ o encerramento deste ciclo eleitoral, não deverá ocorrer.

Avistamos com bons olhos a intenção do governo em acelerar tal processo através de MP, mas no curto prazo, acreditamos que tal resultará apenas em uma diluição o que, apesar de positivo, é insuficiente para Eletrobras destravar seu potencial intrínseco”.

A recomendação passou de COMPRA para Neutra ao preço-alvo de R$ 42,45 para R$ 29,00

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?