Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa disparam com números da China

Data de criação:

access_time 16/04/2021 - 13:49

Data de atualização:

access_time 16/04/2021 - 13:49
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas da Europa fecharam com ganhos nesta sexta-feira (16/04), com os investidores avaliando os dados econômicos da China e da região. A temporada de resultados financeiros também pesou no desempenho da semana e de hoje.

Índices: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,90% aos 442.49 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,52% aos 7.019; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,34% aos 15.459; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,85% aos 6.287; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,88% aos 24.744; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,49% aos 8.613; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,57% a 5.016.

O índice pan-europeu STOXX 600 manteve a valorização com as ações dos bancos, como o Bank of Ireland Group vendo a valorização em 8,36%.

Os mercados globais ficaram perto de recordes, com os números da economia chinesa surpreendendo no primeiro trimestre. O PIB subiu 18,3%, pouco abaixo da estimativa de 19% dos analistas. As vendas no varejo também subiram 34,2% e a taxa de desemprego caiu para 5,3%.

Na mesma linha seguiu o índice de vendas no varejo dos Estados Unidos, que atingiu a máxima em 10 meses. O Índice de Sentimento do Consumidor subiu para 86,5 (preliminar) em abril de 84,9 em março.

Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX registrou recorde histórico ao romper os 15 mil pontos. O FTSE 100, bolsa de Londres, ficou acima dos 7 mil pontos.

“O DAX foi negociado na maior alta de todos os tempos, enquanto o FTSE cruzou o nível chave de 7.000, bastante apto na semana em que a economia do Reino Unido continuou a reabrir. 7.000 foi um nível visto pela última vez em torno da queda da pandemia. O FTSE 250, com foco mais doméstico, alcançou níveis recordes impulsionados por ações de viagens e lazer com o otimismo de reabertura”, disse a analista de mercado no Reino Unido e EMEA, OANDA, Sophie Griffiths, que completou: “os dados impressionantes vieram logo após a explosão dos números das vendas no varejo nos EUA, queda nos pedidos de seguro-desemprego e um início sólido para a temporada de resultados. Os lucros otimistas na Europa estão contribuíram para o bom humor.”

Os indicadores apresentados para a Zona do Euro, União Europeia ficaram entre os pontos de atenção dos investidores nesta sexta-feira. A taxa de inflação anual da Zona do Euro ficou em 1,3% em março de 2021, ante 0,9% em fevereiro. Um ano antes, a taxa era de 0,7%. A inflação anual da União Europeia ficou em 1,7% em março de 2021, ante 1,3% em fevereiro. Um ano antes, a taxa era de 1,2%.

Na bolsa alemã, a montadora de automóveis e caminhões Daimler subiu 2,5%, já que os preços mais altos dos veículos e a forte demanda na China ajudaram a postar um aumento melhor do que o esperado no lucro operacional trimestral.

Entre as ações com ganhos na bolsa de Londres ficaram as do Barclays, alta de 2,46%, as do BT Group, alta de 2,52%, as da Tesco, alta de 3,30%. Na contramão ficaram as ações da Royal Dutch Shell, queda de 1,11%, as da British Foods, queda de 1,26%, e as da Prudental, queda de 1,15%.

Na bolsa de Frankfurt, as ações da Siemens subiram 4,26%, as da Continental avançaram 2,92%, as da Volkswagen ganharam 2,85%, e as da Bayer subiram 2,12%.

*Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?