Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa recuam com Brexit e indicadores

Data de criação:

access_time 08/09/2020 - 15:17

Data de atualização:

access_time 08/09/2020 - 15:17
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas da Europa fecharam no vermelho nesta terça-feira, com as maiores perdas nos índices IBEX-35, Madri, e FTSE MIB, Milão. Além dos indicadores econômicos apresentados hoje, como o PIB europeu, os investidores ficaram atentos nas negociações entre o governo do Reino Unido e a União Europeia, bem como para as novas implicações entre os Estados Unidos e a China.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 1,15% aos 363.75 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,12% aos 5.930 pontos; o DAX -30 (Frankfurt) ficou em queda de 1,01% aos 12.968 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 1,59% a 4.973 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 1,81% aos 19.380 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,78% a 6.955 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 1,10% a 4.260 pontos.

As declarações do presidente Donald Trump propondo endurecer ainda mais com a China elevaram as tensões e mexeram com os mercados europeus.

Os investidores ficaram atentos aos indicadores econômicos, em especial o Produto Interno Bruto – PIB da Europa.

Por outro lado, o tema Brexit ganhou novo capítulo nesta terça-feira, com o Reino Unido dando pistas de que pretende romper um acordo internacional à medida que as discussões comerciais com a União Europeia foram retomadas.

Com a crescente preocupação de que as negociações poderiam estar apenas algumas semanas do colapso, o Reino Unido instou a UE a mostrar “mais realismo” nas discussões, enquanto o bloco de 27 nações observou que era uma “potência mundial”  e que se manteria firme em não ceder às ameaças.

O secretário da Irlanda do Norte, Brandon Lewis, pareceu admitir isso quando disse aos legisladores que a nova regra, que será publicada nesta quarta-feira, mudaria aspectos do acordo de saída do Reino Unido da UE em 31 de janeiro desse ano.

Embora os detalhes da Lei do Mercado Interno ainda não estejam claros, Lewis disse que a legislação planejada no que se refere à Irlanda do Norte é “violar a lei internacional de uma forma muito específica e limitada”.

Autoridades da UE disseram que qualquer tentativa de anular o tratado internacional poderia prejudicar a paz na Irlanda do Norte, bem como minar as chances de qualquer acordo comercial.

Sob os termos da saída do Reino Unido, o governo se comprometeu a garantir uma fronteira aberta entre a Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido, e a Irlanda, que é membro da União Europeia. As informações são da Associated Press.

Entre as ações recuadas estavam as da EasyJet, queda de 6%, com companhia aérea afirmando que as restrições adicionais de quarentena para sete ilhas gregas significarão que voará “ligeiramente menos de 40%” de sua programação planejada durante o trimestre atual.

As ações da Electricite de France recuaram 7,96%, depois da empresa anunciar um título conversível “verde” de € 2,4 bilhões, o maior título verde conversível de todos os tempos.

Na Europa, no segundo trimestre de 2020, ainda marcado por medidas de contenção COVID-19 na maioria dos Estados-Membros, o PIB corrigido de sazonalidade diminuiu 11,8% na Zona do Euro e 11,4% na União Europeia, isso em comparação com o trimestre anterior, de acordo com uma estimativa publicada pela Eurostat, o serviço de estatística da União Europeia. Estas foram de longe as diminuições mais acentuadas observadas desde a série cronológica iniciada em 1995.

Na Alemanha, as exportações de bens ficaram em €102,3 bilhões e as importações em € 83,1 bilhões em julho de 2020. Com base em dados provisórios, o Instituto Federal de Estatística (Destatis) também informou que as exportações caíram 11,0% e as importações 11,3% em julho de 2020 ano contra ano.

Veja mais detalhes aqui

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?