Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Bolsas da Europa recuam forte com PIB da Zona do Euro

Data de criação:

access_time 31/07/2020 - 16:38

Data de atualização:

access_time 31/07/2020 - 16:38
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas de valores europeias fecharam as últimas sessões do mês de julho no vermelho. Alguns balanços financeiros, que ficaram acima das estimativas, não conseguiram reverter o mau humor do investidor europeu, que seguiu digerindo os dados econômicos da região. O resultado do PIB da Zona do Euro assustou.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,89% aos 356.33 pontos em Londres; o índice FTSE100, bolsa de Londres, ficou em queda de 1,54% aos 5.897 pontos; o índice DAX30, bolsa de Frankfurt, ficou em queda de 0,54% aos 12.313 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 1,43% aos 4.783 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,71% aos 19.091 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,70% a 6.877 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,22% a 4.295 pontos.

Os dados da China ficaram acima das projeções, mas os dos Estados Unidos preocuparam depois que PIB caiu em 32,9% e os pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiram 12 mil na semana passada.

O medo de uma segunda onda da pandemia aumentou no Reino Unido e obrigou o primeiro-ministro Boris Johnson a impor novas restrições de bloqueios nas áreas norte do país desde ontem.

A onda de casos de coronavírus ocorreu com as pessoas que não aderiram às regras de distanciamento social, disse o secretário de saúde Matt Hancock. Espanha e Bélgica também estão enfrentando novos surtos.

As ações de tecnologia da Europa estavam em alta nesta sexta-feira, depois que a fabricante de iPhone Apple e a Amazon divulgaram ganhos na noite desta quinta-feira, o que acabou com as expectativas ruins dos analistas. Além de reportar mais de US$ 11 bilhões em lucros, a Apple também anunciou uma divisão de ações de quatro para um. A gigante das redes sociais Facebook e a empresa-pai do Google, Alphabet, também apresentaram resultados sólidos, embora menos impressionantes.

Na Europa, entre as ações com ganhos estava a de semicondutores ASM International, alta de 3%, e as da Dialog Semiconductor PLC, alta de  2% cada.

Na Zona do Euro, o PIB caiu 12,1% no segundo trimestre, a maior queda de um quarto na história, à medida que emerge o verdadeiro impacto do coronavírus na economia do continente. O PIB 11,9% na União Europeia no segundo trimestre. Os dados são do Eurostat. Isso é significativamente maior que os valores da contração no primeiro trimestre, onde o PIB caiu 3,6% na Zona do Euro e 3,2% na UE. Os níveis do PIB também foram 15% mais baixos na Zona do Euro em comparação com o segundo trimestre de 2019 e 14,4% mais baixos na UE.

Resumo dos PIBs nos Estados-Membros no segundo trimestre de 2020:

Zona do Euro, queda de 1,2%; União Europeia, queda de 11,9%; Bélgica, queda de 12,2%, República Tcheca, queda de 8,4%; Alemanha, queda 10,1%; Espanha, queda de 18,5%; França, queda 13,8%; Itália, queda de 12,4%; Lituânia, queda de 5,1%; Áustria, queda de 10,7%; Portugal, queda de 14,1%; e Letônia, queda de 7,5%.

Na Europa, em julho de 2020, mês em que as medidas de contenção do COVID-19 continuaram sendo levantadas, a inflação anual da Zona do Euro deverá ser de 0,4%, acima dos 0,3% de junho, de acordo com uma estimativa do Eurostat, o escritório de estatística da União Europeia.

Veja todos os detalhes aqui

*Por Ivonéte Dainese de relatórios oficiais e com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?