Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

(Correção) Ibovespa sobe 0,4% na semana e fica nos 115 mil pontos no pregão

Data de criação:

access_time 01/04/2021 - 20:33

Data de atualização:

access_time 01/04/2021 - 20:33
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A bolsa de valores de São Paulo manteve a queda nesta quinta-feira (01/04), depois de uma puxada na abertura dando sinais de que o índice principal manteria os 117 mil pontos.

A recuada do Ibovespa se deu com as ações dos bancos, já que mais aplicativos para transações bancárias estão sendo lançados. Além disso, esses papéis ficaram por longo tempo represados com a pandemia avançando e só voltaram para o apetite depois das divulgações dos balanços.

Pesam ainda no humor do mercado, o Orçamento para esse ano e o teto de gastos, já que o processo de vacinação no país está lento, com a pandemia fazendo mais vítimas e sem um sinal de que a atividade econômica poderá ser retomada no curto prazo. Os números da Produção Industrial apresentados pelo IBGE, bem como o front político em semana turbulenta também ajudaram a tirar o apetite para o risco.

Do lado das commodities, os preços do petróleo e do minério de ferro voltaram para o campo positivo.

Ao final, o Ibovespa fechou o pregão em queda de 1,18% aos 115.253 pontos e subiu 0,41%* na semana encurtada. O índice IFNC, setor financeiro, caiu 2,23%. Por fim, o volume financeiro ficou em R$27,67 bilhões.

“No início do trimestre nós já estávamos enfrentando um cenário complicado, com a atividade econômica negativa e, agora, com perspectivas ainda mais desafiadoras para os próximos dois. A projeção para o PIB é negativa, com diversos setores parados esperando por mais agilidade no processo de vacinação. Contudo, a bolsa brasileira operou bem, com a recomposição de alguns papéis, aqueles que estavam uma ‘pechincha’ em dólar. O Brasil estava barato em dólar no médio prazo, o que fez o investidor olhar e aproveitar a barganha”, destacou o economista da Órama Investimentos, Alexandre Espírito Santo.

Já para o mês de abril, o economista avalia três pontos básicos para que o mercado ganhe fôlego e consiga reverter o negativo [2%] do índice no acumulado do ano. “Abril será decisivo, já que o Orçamento apresentado, segundo o mercado, é obra de ‘ficção’. O próprio ministro Paulo Guedes reconheceu que é algo inexequível. A mudança ministerial colocou o Centrão para dentro dos ministérios e houve a troca inesperada dos militares. Diante disso, o mercado só não sofreu porque o ambiente americano está melhor, com a vacinação em ritmo acelerado, com o ousado pacote de investimentos, entre outras propostas do presidente Joe Biden. Três pontos de observação serão importantes para abril: a revisão do Orçamento, a relação do governo federal com o Centrão e atuação do Comitê no processo de vacinação, que precisa deslanchar. Serão pontos que ficarão no radar dos analistas e do mercado”, concluiu Espírito Santo.

Operaram com ganhos
Braskem PNA, alta de 2,19%; Klabin UNT, alta de 1,52%; ViaVarejo ON, alta de 1,49%; Assaí ON, alta de 1,65%; e Cosan ON alta de 1,56%.

Operaram com perdas
Qualicorp ON, queda de 4,42%; Bradesco PN, queda de 3,66%; Gerdau Met. PN, queda de 3,50%; Bradesco ON, queda de 3,45%; e Eneva ON, queda de 2,93%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 0,59%; Petrobras PN, queda de 0,87%; Bradesco PN, queda de 3,66%; Magaz. Luiza ON, alta de 0,99%; e Gerdau PN, queda de 2,78%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de janeiro de 2021 a 30 de abril de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (11,330%), Itauunibanco PN (6,868%), Petrobras PN (5,909%), B3 ON (5,417%) e Bradesco PN (5,281%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,19% a US$64,74 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 3,52% aos US$61,24 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 1,48% a US$167,60 a tonelada seca.

*Ajuste na valorização da semana em alta de 0,41%.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?