Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Apetite do Investidor para compras puxa índices para recordes

Data de criação:

access_time 02/01/2020 - 20:11

Data de atualização:

access_time 02/01/2020 - 21:11
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários começaram 2020 com apetite para as compras, como ocorre quase sempre no mês de janeiro. Finalmente, no dia de hoje, veio a boa notícia sobre o acordo comercial “Fase 1” entre a China e os Estados Unidos. Além disso, o governo chinês anunciou estímulo econômico para o País e também demostrou boa vontade para discutir o acordo “Fase 2” com os Estados Unidos, que segundo o presidente Donald Trump deverá ocorrer em Pequim.

Parece que deu certo a estratégia do presidente americano em arrastar o fechamento do acordo comercial com a China até este ano visando a reeleição. Trump quer agradar os agricultores prejudicados com as medidas comerciais por parte da China. Ao mesmo tempo, com a prometida medida para a “Fase 2”, o presidente-empresário provou que sabe negociar muito e também conseguindo inibir a força do processo de impeachment que corre contra ele no Congresso norte-americano. A disputa eleitoral já começou.

Hoje, na Ásia, as bolsas fecharam com ganhos. Os estímulos da China ajudaram a puxar o índice MSCI Asia Pacific para 0,5%. O Japão não operou nesta quinta-feira com feriado e permanece fechado amanhã também. A China divulgou indicadores.

Na Europa, o índice Stoxx Europe 600 ficou com ganho de quase 1% e sustentou o recorde acima dos 419. Na região, os índices PMIs ficaram no radar.

Nos Estados Unidos, os três pesos pesados bateram novos recordes. Os indicadores do setor de trabalho também ajudaram, bem como o acordo comercial e as decisões para a economia.

Por aqui, na carona global e com os anúncios de várias medidas por parte do Governo Federal e também do Banco Central, os investidores mergulharam nas compras. Apesar do comportamento na bolsa de valores ser semelhante ao do começo de 2019, quando o presidente Jair Bolsonaro anunciava choques para recompor o País, o otimismo de hoje veio também com as medidas concretizadas (a reforma da Previdência foi a mais relevante) e já com as outras no gatilho (a reforma Administrativa). Lembrando também que 2020 é ano eleitoral, com os eleitores elegendo novos prefeitos e vereadores. Enfim, o Ibovespa fechou em recorde e o dólar comercial ganhou força.

Sobre os mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 1,25% a 28.543 e o índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,92% a 1.713. O índice Xangai ficou em alta de 1,15% a 3.085. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,91% a 3.252. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,10% a 6.690. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,02% a 2.175. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,78% aos 41.626. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,86% a 12.100.

Na Europa, ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,93% aos 419.72 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,82% aos 7.604; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,03% a 13.385; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 1,06% a 6.041; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,40% aos 23.836; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 1,49% a 9.691; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,99% a 5.265.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em alta de 1,16% aos 28.868 pontos. O S&P fechou em alta de 0,84% aos 3.257 pontos. O Nasdaq subiu 1,33% aos 9.092 pontos.

No Brasil, o Ibovespa fechou em alta de 2,53% aos 118.573 pontos. O volume financeiro ficou em R$20,98 bilhões.

Operaram com ganhos
Cogna ON, alta de 6,74%; B3 ON, alta de 5,78%; Qualicorp ON, alta de 5,66%; JBS ON, alta de 5,43; e ViaVarejo ON, alta de 5,01%.

Operaram com perdas
YDUQS Part. ON, queda de 1,58%; Grupo Natura ON, queda de 0,88%; Taesa UNT N2, queda de 0,71%; Bradespar PN, queda de 0,65%; e Sabesp ON, estável.

Mais negociadas
Vale ON, alta de 1,93%; Petrobras PN, alta de 1,72%; B3 ON, alta de 5,78%; ItauUnibanco PN, alta de 2,55%; Brasil ON, alta de 1,86%

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 02 de setembro de 2019 a 03 de janeiro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Itauunibanco PN (9,194%), Vale ON (8,204%), Bradesco PN (7,300%), Petrobras PN (6,597%) e B3 ON (5,175%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 1,04% a US$68,26 o barril negociado na bolsa de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 0,18% aos US$61,17 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,15% aos US$92,13 a tonelada seca e com 62% de pureza.

No Brasil, ao final e no interbancário, o dólar comercial fechou em alta de 0,32% aos R$4,025 para a venda. O dólar turismo ficou em queda de 1,41% aos R$4,180 para a venda.

O euro ficou em queda de 0,37% aos R$4,491 para a venda. A libra ficou em queda de 0,80% a R$5,284 para a venda. O peso argentino ficou em queda 1,03% a R$0,067 para a venda.

Cenário externo

O índice DXY, que compara o movimento do dólar americano com mais seis moedas, ficou em alta de 0,43% aos 96,80.

O euro ficou em alta de 0,38% a US$ 1,1171. A libra ficou em queda de 0,78% a US$ 1.3143.

O ouro ficou em alta de 0,56% a US$1,531 a onça.

O Bitcoin ficou em queda de 2,92% os US$6,990,67.

E assim começamos 2020……

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?