Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Balanços e indicadores animam mercados

Data de criação:

access_time 15/04/2021 - 19:50

Data de atualização:

access_time 15/04/2021 - 19:50
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os principais mercados acionários fecharam com ganhos nesta quinta-feira (15/04). Os investidores ficaram animados com os resultados financeiros dos grandes bancos dos Estados Unidos, bem como os dados econômicos da agenda global.

Os indicadores das vendas no varejo dos Estados Unidos subiram e os pedidos de auxílio-desemprego recuaram. Esses dois pontos, segundo analistas, revelam que o processo de vacinação no país já apresenta resultado positivo. Entretanto, a pandemia segue atingindo algumas regiões.

Com isso, os índices de peso na bolsa de Nova York voltaram para os recordes. O Dow Jones ficou novamente acima dos 34 mil pontos. O S&P e o Nasdaq avançaram com as ações de tecnologia. O índice de dólar ficou estável e o Bitcoin foi para a máxima perto dos US$64 mil.

Na Europa, as bolsas mantiveram os ralis. O processo de vacinação, indicadores e balanços das empresas animaram os investidores. Por fim, os preços das commodities puxaram as ações das empresas do setor. As moedas ficaram estáveis ante o dólar.

As bolsas da Ásia subiram. Balanços financeiros e as expectativas para os números da economia chinesa, que serão divulgados ainda hoje, alimentaram os ganhos. Neste momento, os futuros operam moderados.

Por aqui, o Ibovespa flertou com os 121 mil pontos. O Orçamento de 2021, vacinas, ruídos políticos e indicadores da agenda global também ficaram no radar. No pano de fundo ficou a discussão do Supremo Tribunal Federal – STF sobre os processos do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, no âmbito da Operação Lava Jato.

Por oito votos a favor e três contra os ministros do STF decidiram por anular todo o processo feito na 13ªVara Federal de Curitiba, que estava sob o comando do ex-juiz, Sérgio Moro. Na próxima semana, a discussão prossegue para definir o impacto no julgamento da suspeição de Moro e se os processos serão mantidos na Justiça do Distrito Federal, conforme a decisão do ministro relator dos processos da Lava Jato, Edson Fachin.

A decisão do STF torna o ex-presidente elegível para a eleição de 2022.

O dólar comercial renovou a queda nesta sessão.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 138.675.866 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 2.978.923 mortes e 78.996.142 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 31.484.108 casos confirmados, com 565.185 mortes. A plataforma não fornece resultado geral de pessoas recuperadas.

O Brasil voltou para o 3º lugar no ranking pela plataforma do Johns Hopkins. São 13.673.507 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 361.884. São 12.081.262 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h35 desta quinta-feira (15/04) pelo horário de Brasília.

Mercados de Ações Globais

Ásia: o Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 0,37% aos 28.793. O Xangai, China, ficou em queda de 0,52% aos 3.398. O Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,07% aos 29.642. O Sensex, bolsa de Mombai, ficou em alta de 0,53% aos 48.803. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,17% aos 3.184.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,45% aos 438.55 em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,63% aos 6.983; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,30% aos 15.255; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,41% aos 6.234; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,19% aos 24.528; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,20% aos 8.571; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,83% a 4.987.

Estados Unidos: o Dow Jones subiu 0,90% aos 34.035. O S&P ficou em alta de 1,11% aos 4.170. O Nasdaq subiu 1,31% aos 14.038.

Brasil: o Ibovespa fechou em alta de 0,34% aos 120.700 pontos. O volume financeiro ficou em R$30,51 bilhões.

Moedas: o dólar comercial ficou em queda de 0,75% aos R$5,628 para a venda. O turismo ficou em queda de 1,25% aos R$5,780 para a venda.

O euro ficou em queda de 0,8% aos R$6,738 para a venda. A libra ficou caiu 0,7% aos R$7,757 para a venda. O peso argentino caiu 0,84% aos R$0,061 para a venda.

O Banco Central do Brasil – BCB vendeu o lote de 15 mil contratos nesta terça-feira. Foram 6 mil contratos com vencimento para 01 de novembro e o restante com vencimento para 01 de abril de 2022.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em estável a 91,64.

O euro ficou estável a US$ 1.1979 e a libra esterlina ficou estável a US$1.3783.

O preço do ouro ficou em alta de 0,62% a US$ 1.764,50 a onça.

O Bitcoin subiu 3,01% a US$63,719,69.

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em alta de 0,32% a US$63,34 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 0,16% aos US$66,83 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 2,81% a US$178,41 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?