Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Bancos Centrais pesam nos Mercados de Ações

Data de criação:

access_time 16/03/2021 - 20:22

Data de atualização:

access_time 16/03/2021 - 20:22
format_align_left 7 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos principais mercados acionários partiram para as compras, com apenas alguns índices em ajustes, como o Dow Jones, o S&P e o Ibovespa. Os bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos encerram as reuniões amanhã e, com isso, os investidores dos dois mercados decidiram não arriscar.

Hoje, na bolsa de Nova York apenas o Nasdaq ficou em alta marginal. Todas as apostas estão na reunião do Comitê de Mercado Aberto – Fomc, na sigla em inglês, Federal Reserve. Embora com as taxas de juros precificadas, as expectativas ficam para o comunicado. Ainda nesta terça-feira, os dados econômicos, como as vendas no varejo, vendas de casas e produção industrial, também ficaram nas análises do dia.

Na Europa, os índices subiram. Os indicadores econômicos da Alemanha e da França ficaram entre os destaques. Entretanto, os bancos centrais também estão fazendo preços por lá. O índice pan-europeu foi impulsionado pelo setor automotivo, que subiu 2,1% para seu nível mais alto desde junho de 2018.

Na Ásia, as bolsas de valores fecharam em campo positivo. O desempenho de hoje foi alimentado pelo fechamento de Wall Street, com o Dow Jones em recorde e o Nasdaq amparado com ações de tecnologia. As atenções seguem para o fim da reunião do Federal Reserve, bem como de outros bancos centrais na região. Os futuros estão positivos.

Por aqui, o Ibovespa fechou em queda de 0,72%, com a cautela promovida pela reunião do Comitê de Política Monetária, Copom. As apostas entre os analistas estão elevadas para uma puxada na taxa referencial de juros, a Selic. O dia foi de indicadores relevantes, como os dados do emprego no Caged. A dança das cadeiras no Ministério da Saúde ficou no radar, com o quarto ministro assumindo o cargo. Por fim, a pandemia de coronavírus não dá trégua e o Governo Federal anunciou a compra de mais vacinas. Os leitos de UTIs de vários estados brasileiros estão lotados, as enfermarias estão sobrecarregadas e o número de infectados no País superou a Índia.

O dólar comercial fechou em queda.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 120.530.037 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 2.665.925 mortes e 68.366.769 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 29.544.991 casos confirmados, com 536.639 mortes. A plataforma não fornece resultado geral de pessoas recuperadas.

O Brasil, voltou a ocupar o segundo lugar no ranking pela plataforma do Johns Hopkins. São 11.603.535 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 279.286. São 10.226.925 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h45 desta terça-feira (16/03) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 0,67% aos 29.027 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,78% aos 3.446 pontos. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,08% a 2.196 pontos e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 0,69%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,52% aos 29.921 pontos. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou estável aos 3.105 pontos. O índice Sensex, bolsa de Mombai, ficou em queda de 0,06% aos 50.363 pontos. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,80% aos 6.827. O índice Kospi, bolsa de Seul, ficou em alta de 0,70% aos 3.067. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,39% aos 16.313 pontos. O índice de ações da Ásia, exceto Japão, da MSCI subiu 0,72%.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,88% aos 426.82 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,80% aos 6.803 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,66% aos 14.557 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,32% aos 6.055 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,50% aos 24.261 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,26% aos 8.657 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,36% a 4.835 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones ficou em queda de 0,39% aos 32.825 pontos. O S&P caiu 0,16% aos 3.962 pontos. O Nasdaq subiu 0,09% aos 13.471 pontos.

Brasil: o Ibovespa ficou em queda de 0,72% aos 114.018 pontos. O volume financeiro ficou em R$26,37 bilhões.

Operaram com ganhos
Usiminas PNA, alta de 8,55%; Klabin UNT, alta de 4,37%; Braskem, alta de 4,11%; RaiaDrogasil ON, alta de 3,57%; e Hapvida ON, alta de 2,84%.

Operaram com perdas
CVC Brasil ON, queda de 7,46%; GOL PN, queda de 6,36%; Azul PN, queda de 6,19%; Eztec ON, queda de 4,80%; e JHSF Part. ON, queda de 4,97%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 0,32%; Petrobras PN, queda de 1,56%; B3 ON, queda de 2,51%; Usiminas PNA, alta de 8,55%; e Magaz. Luiza ON, alta de 1,81%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de janeiro de 2021 a 30 de abril de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (11,330%), Itauunibanco PN (6,868%), Petrobras PN (5,909%), B3 ON (5,417%) e Bradesco PN (5,281%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em alta de 0,28% a US$68,58 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 0,69% aos US$64,94 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 1,83% a US$166,32 a tonelada seca.

Brasil: no interbancário, a moeda ficou em queda de 0,36% aos R$5,619 para a venda. O turismo ficou com desvalorização de 0,41% aos R$5,773 para a venda.

O euro ficou em queda de 0,56% aos R$6,690 para a venda. A libra ficou em queda de 0,18% aos R$7,809 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 0,44% aos R$0,062 para a venda.

O Banco Central do Brasil vendeu o lote de 16 mil contratos no leilão de swap, para rolagem em 03 de maio. Foram 4.140 contratos com vencimento para 01 de dezembro de 2021 e o restante para 01 de abril de 2022.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 91,87.

O euro caiu 0,19% a US$ 1.1903 e a libra esterlina  ficou estável a US$1.3892.

O preço do ouro ficou estável a US$ 1.730,70 a onça.

O Bitcoin recuou 1% a US$56,351,56.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?