Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Devolvendo os ganhos em todos as bolsas

Data de criação:

access_time 10/09/2020 - 19:03

Data de atualização:

access_time 10/09/2020 - 19:03
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Na contramão do desempenho anterior, os investidores partiram para as vendas nesta quinta-feira. O foco, como sempre, ficou nos indicadores econômicos dos Estados Unidos, com um setor de trabalho desafiador. Além disso, as ações das gigantes de tecnologia dominaram novamente as vendas no Nasdaq.

A bolsa de Nova York fechou em queda, com os outros dois índices recuados pelo lado corporativo e também com as questões políticas. Os congressistas não conseguiram chegar num acordo sobre aquele pacote emergencial destinado aos desempregados e para as pequenas empresas americanas. A instabilidade dos mercados acabou puxando o índice VIX, que mede a volatilidade, para a alta de 3,12%.

Já na Europa, em paralelo aos acontecimentos nos Estados Unidos, as bolsas recuaram. Por lá, as atenções ficaram em cima do Banco Central Europeu – BCE, que manteve as taxas de juros e os demais pacotes para ajuda emergencial.

Na Ásia, com os futuros já operando no vermelho, as bolsas ficaram divididas. As expectativas estavam voltadas para o fim da reunião do Banco Central Europeu.

Por aqui, a bolsa de valores de São Paulo fechou no vermelho, com o olhar para o cenário externo. O índice só não perdeu mais força porque foi amparado pelas ações do Pão de Açúcar. Dados econômicos e Brasília permaneceram entre os destaques do dia.

O dólar comercial fechou em alta moderada.

Sobre o Coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 27.987.325 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 906.011 mortes e 18.831.533 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 6.390.840 casos confirmados de contaminação, com 191.612 mortes e 2.387.479 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 4.197.889, sendo que o número de mortes está em 128.539. São com 3.611.632 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 18h51 desta quinta-feira (10/09) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,64% aos 24.313. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,61% aos 3.234. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 2,14% a 2.129 e o ChiNext ficou em queda de 1,65%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,88% aos 24.313. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,29% aos 2.492. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,69% aos 38.840. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,66% a 12.691. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,51% aos 5.908. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,87% a 2.396 pontos.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,59% aos 367.48 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,16% aos 6.003 pontos; o DAX -30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,21% aos 13.208 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 0,38% a 5.023 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,25% aos 19.820 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,31% a 6.999 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,64% a 4.326 pontos.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em queda de 1,45% aos 27.534 pontos. O S&P ficou em queda de 1,76% a 3.339 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 1,99% aos 10.919 pontos.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em queda de 2,43% aos 98.834 pontos. O volume financeiro ficou em R$27,68 bilhões.

Operaram com ganhos
Pão de Açúcar – CDB ON, alta de 14,80%; BRF ON, alta de 3,72%; GOL PN, alta de 2,07%; JBS ON, alta de 2,41%; e Minerva ON, alta de 2,05%.

Operaram com perdas
Localiza ON, queda de 5,38% Hapvida ON, queda de 4,09%; Sabesp ON, queda de 3,95%; Lojas Renner ON, queda de 4,42%; e PertoRio ON, queda de 4,16%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 2,45%; Via Varejo ON, queda de 2,65%; Magaz. Luiza ON, queda de 3,23%; Pão de Açúcar -CDBON, alta de 14,80%; e Petrobras PN, queda de 2,68%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 08 de setembro de 2020 a 30 de dezembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,460%), Itauunibanco PN (6,379%), Bradesco PN (5,030%), Petrobras PN (5,623%) e B3 ON (5,329%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,72% aos US$39,77 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 2,76% e com o barril negociado aos US$37,00 na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 0,36% a US$126,09 a tonelada seca.

No Brasil, ao final e no interbancário, a divisa ficou em alta de 0,37% a R$5,320 para a venda. O dólar turismo ficou em alta de 0,53% aos R$5,610.

O euro ficou em queda de 0,81% aos R$6,265 para a venda. A libra esterlina ficou em queda de 1,08% a R$6,892 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 1,39% a R$0,070 para a venda.

O Banco Central do Brasil colocou ontem um lote de 12 mil contratos em swap para rolagem nesta quinta-feira e vencimento em outubro.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em alta de 0,14% a 93,39.

O índice VIX, que mede a volatilidade dos mercados, disparou para a alta de 3,12%.

O preço do ouro ficou em queda de 0,07% a US$ 1.953,60 a onça.

O euro ficou em alta de 0,12% a US$ 1.1815 e a libra esterlina ficou em queda de 1,38% a US$1.2812.

O Bitcoin ficou em alta de 0,59% a US$10.309,95.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?