Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Dia de atenção e cautela nos mercados de ações

Data de criação:

access_time 27/01/2021 - 20:47

Data de atualização:

access_time 27/01/2021 - 20:47
format_align_left 7 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários globais mantiveram as vendas em alta nesta quarta-feira (27). As atenções ficaram com o final da reunião do Federal Reserve, que manteve as taxas de juros inalteradas e também não apresentou nenhuma grande novidade no comunicado.

Indicadores econômicos da economia americana também ficaram no radar, com os pedidos de bens duráveis recuando. Diante disso, os índices de peso de Wall Street caíram com a realização de lucros e com a temporada de resultados financeiros dos grandes players. A Boeing amargou prejuízo e a Microsoft surfou nos lucros.

Ainda por lá, a recuperação na saída de petróleo das refinarias do Texas, com os estoques caindo 9,9 milhões de barris na semana passada, deu força para as ações das empresas que dependem da commoditie.

Na Europa, as bolsas de ações recuaram. O Reino Unido, Portugal, Espanha e Alemanha permanecem com as medidas restritivas endurecidas. O avanço dos casos de coronavírus promoveu o endurecimento dos governos para as entradas de viajantes de outros países, como do Brasil. Por fim, os números para Alemanha também refletiram nos desempenhos das ações de bancos, mineradoras e das montadoras, ou seja, empresas com grande peso econômico.

Na Ásia, os investidores mantiveram as vendas. Em dia de agenda vazia, o foco ficou na pandemia e também nas vacinas, considerando que o Japão ainda não começou a imunização da população. O novo governo lida também com as incertezas sobre a realização das Olimpíadas. No contraponto, a China avança e a vacinação atinge 22 milhões de pessoas. Neste momento, os futuros estão sem direção.

Por aqui, a bolsa de valores de São Paulo fechou em queda. Os temas mais relevantes ficaram com as vacinas e a pandemia pela nova cepa atingindo várias cidades do Brasil. Brasília ficou no radar com os ruídos sobre reforma ministerial, teto de gastos, eleições para as presidências da Câmara e do Congresso, bem como para um “possível” novo pacote de auxílio emergencial.

O dólar ganhou força sobre o real.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 100. 703.829 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 2.169.035 mortes e 55.663.545 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 25.565.874 casos confirmados, com 428.015 mortes. A plataforma não fornece resultado geral de pessoas recuperadas.

O Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, são 8.933.356 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 218.878. São 7.962.859 pessoas recuperadas. Os casos por infecção e de mortes não foram atualizados.

O levantamento é de 20h21 desta quarta-feira (27) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 0,32% aos 29.297 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,11% aos 3.573. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,28% a 2.420 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 0,70%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,31% aos 28.635. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,45% aos 2.958. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,94% aos 47.409. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,65% aos 6.780. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 0,57% a 3.122 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em alta de 0,27% aos 15.701 pontos.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em queda de 1,16% aos 402.98 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 1,30% aos 6.567 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 1,81% aos 13.620 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 1,16% aos 5.459 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 1,47% aos 21.662 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,41% aos 7.852 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 2,12% a 4.785 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones caiu 2,05% aos 30.303 pontos. O S&P caiu 2,57% aos 3.750 pontos. O Nasdaq caiu 2,61% aos 13.270 pontos.

Brasil: o Ibovespa ficou em queda de 0,50% aos 115.882 pontos. O giro financeiro ficou em R$35,59 bilhões.

Operaram com ganhos
Cielo ON, alta de 13,35%; Azul PN, alta de 5,49%; Eztec ON, alta de 4,04%; Energisa UNT, alta de 3,92%; e GOL PN, alta de 3,74%.

Operaram com perdas
Suzano ON, queda de 5,89%; TOTVS ON, queda de 4,55%; Intermedica ON, queda de 3,78%; Klabin UNT, queda de 3,75%; e Hapvida ON, queda de 3,69%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 2,78%; Petrobras PN, alta de 1,41%; Magaz. Luiza ON, alta de 0,16%; ItauUnibanco PN, queda de 0,07%; e Bradesco PN, alta de 1,60%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de janeiro de 2021 a 30 de abril de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (11,330%), Itauunibanco PN (6,868%), Petrobras PN (5,909%), B3 ON (5,417%) e Bradesco PN (5,281%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,43% a U$55,29 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou estável aos US$52,63 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 0,92% a US$166,59 a tonelada seca.

Brasil: no interbancário, o dólar comercial subiu 1,50% aos R$5,407 para a venda. O turismo subiu 1,33% aos R$5,560 para a venda.

O euro ficou em alta de 0,96% a R$6,541 para a venda. A libra esterlina ficou em queda de 0,31% a R$7,342 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 0,18% a R$0,061 para a venda.

O BCB vendeu o lote de 16 mil contratos no leilão de swap. Foram vendidos 8 mil contratos com vencimento para 03 de maio de 2021 e o restante para 01 de setembro de 2021.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em alta de 0,55% a 90,66.

O euro recuou 0,44% a US$ 1.2106 e a libra esterlina caiu 0,36% a US$1.3684.

O preço do ouro ficou em queda de 0,40% a US$ 1.843,50 a onça.

O Bitcoin operou em queda de 2,05% a US$31,532,79.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?