Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Dia de compras nos mercados acionários

Data de criação:

access_time 02/07/2020 - 20:21

Data de atualização:

access_time 02/07/2020 - 20:21
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários globais mantiveram as compras nesta quinta-feira e um pouco descolados da pandemia de coronavírus. A reação mais positiva se deu com o resultado do emprego nos Estados Unidos, com a queda na taxa de pessoas sem ocupação em 11,1%. Além disso, no mercado ainda repercutiu o anúncio das preliminares de uma vacina contra a COVID-19.

Começando pela Ásia, as bolsas de valores asiáticas seguiram Wall Street nesta quinta-feira, com as esperanças do desenvolvimento da vacina competindo com preocupações sobre o aumento de infecções nos Estados Unidos. Na China, duas pesquisas mostraram que o setor de manufatura melhorou em junho, aumentando os sinais de uma recuperação gradual.

Na Europa, os índices das principais bolsas de ações fecharam com ganhos. Os investidores europeus acompanharam os dados do setor de trabalho dos Estados Unidos e também ficaram animados com as declarações sobre a vacina da Pfizer.

Nos Estados Unidos, os índices de peso de Wall Street fecharam em campo positivo, já sem as operações nesta sexta-feira com o feriado de 04 de Julho no sábado. Além da  Pfizer Inc anunciando resultados positivos do ensaio clínico para a vacina da COVID-19, o bom humor ficou com o Payroll. Ainda sobre o setor, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego também caíram. O presidente Donald Trump comemorou, em meio ao avanço dos coronoavírus no País.

Por aqui, o Ibovespa fechou estável. Os investidores olharam para os números dos Estados Unidos e mantiveram a cautela com o feriado amanhã. As notícias corporativas também fizeram peso nas negociações.

O dólar comercial fechou em alta sobre o real.

Sobre o Coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 10.940.071 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 519.852 mortes e 5.705.326 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 2.732.639 casos confirmados de contaminação, com 128.651 mortes e 781.970 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 1.496.858, sendo que o número de mortes está em 61.884 com 935.577 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 20h07 desta quinta-feira (02/07) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 2,85% aos 25.124. O índice Xangai, China, ficou em alta de 2,13% aos 3.090. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,25% a 2.016. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,11% aos 22.145. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,02% aos 2.636. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,36% a 2.135. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,21% os 35.843. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,87% aos 11.805. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 1,66% aos 6.032%.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 1,97% aos 368.29 pontos em Londres; o índice FTSE100, bolsa de Londres, ficou em alta de 1,34% aos 6.240 pontos; o índice DAX30, bolsa de Frankfurt, ficou em alta de 2,84% aos 12.608 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 2,49% aos 5.049 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 2,88% aos 19.886 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 3,75% a 7.498 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,79% a 4.429 pontos.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em alta de 0,36% aos 25.827 pontos. O S&P ficou em alta de 0,45% aos 3.130 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,52% aos 10.207 pontos. Na semana mais curta, o Dow Jones subiu 3,3%; o S&P 500 devolveu 4%; e o Nasdaq devolveu 4,6%.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou estável aos 96.234 pontos. O giro financeiro ficou em R$27,17 bilhões.

Operaram com ganhos
BTGP Banco UNT, alta de 3,27%; Sid. Nacional ON, alta de 2,55%; Gerdau PN, alta de 1,94%; Gerdau Met. PN, alta de 2,26%; e WEG ON, alta de 1,86%.

Operaram com perdas
IRBBrasil ON, queda de 12,24%; Hapvida ON, queda de 3,59%; Intermedica ON, queda de 4,07%; Lojas Amer. PN, queda de 4,27%; e Magaz. Luiza ON, queda de 3,04%.

Mais negociadas
IRBBrasil RE ON, queda de 12,24%; Vale ON, alta de 1,74%; Petrobras PN, alta de 1,61%; Itau Unibanco PN, alta de 1,72%; e Via Varejo ON, queda de 3,75%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,154%), Itauunibanco PN (7,414%), Bradesco PN (5,611%), Petrobras PN (5,610%) e B3 ON (5,405%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou Em queda de 0,86% aos US$42,77 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 1,18% e com o barril negociado aos US$40,29 na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,30% a US$99,47 a tonelada seca.

No Brasil, ao final e no interbancário, a divisa ficou em alta de 0,60% aos R$5,349 para a venda. O dólar turismo ficou em queda de 1,39% aos R$5,650.

O euro ficou em alta de 0,77% aos R$6,032 para a venda. A libra esterlina ficou em alta de 0,65% a R$6,683 para a venda. O peso argentino ficou em alta de 0,79% a R$0,076 para a venda.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 97,24.

O euro ficou em queda de 0,09% a US$ 1,1239 e a libra esterlina ficou em queda de 0,11% a US$1.2465.

O Bitcoin ficou em queda de 1,51% a US$9,089,16.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?