Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Maio começa moderado

Data de criação:

access_time 03/05/2021 - 19:37

Data de atualização:

access_time 03/05/2021 - 19:37
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos principais mercados acionários começaram o mês de maio com baixo apetite para as compras, embora com muitos países mantendo o feriado pelo Dia do Trabalho.

Na bolsa de Nova York, os índices de peso sustentaram os ganhos moderados e o Nasdaq entrou em realização. O bom humor nos Estados Unidos é mantido pelo ritmo acelerado no processo de vacinação, sendo que pelo menos 44% dos americanos já tomaram a primeira dose da vacina e 22% já estão completamente imunizados.

Na Europa, com o feriado a Inglaterra, os investidores saíram comprando. Os dados de Manufatura para a Zona do Euro subiram, bem como os da Alemanha e também das vendas no varejo.

Na Ásia, os mercados ficaram sem direção com a baixa liquidez promovida pelo feriado. A agenda estava vazia e os futuros operam no azul.

Por aqui, a bolsa de valores de São Paulo fechou em alta moderada também. A temporada de resultados financeiros, a CPI da Covid-19 e a expectativa para a reunião do Banco Central do Brasil estão no foco. Entretanto, todos os radares permanecem no processo de vacinação, que segue confuso por conta da logística na distribuição, e também na compra de mais doses de vacinas pelo Governo Federal.

O dólar comercial perdeu força para o real.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 153.093.196 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 3.206.767 mortes e 89.807.559 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 32.459.810 casos confirmados, com 577.462 mortes. A plataforma não fornece resultado geral de pessoas recuperadas.

Na Índia, que ocupa o 2º lugar no ranking da plataforma, os casos confirmados chegam a 19.925.604, com 218.959 mortos e com 16.293.003 pessoas recuperadas.

O Brasil voltou para o 3º lugar no ranking pela plataforma do Johns Hopkins. São 14.754.910 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 407.639. São 13.091.798 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h21 desta segunda-feira (03/05) pelo horário de Brasília.

Mercados de Ações Globais

Ásia: o Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em queda de 0,13% aos 48.718. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou estável aos 28.850. O XJO, bolsa de Sidney, ficou estável aos 7.028. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,66% aos 3.127. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,96% aos 17.222. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,04% aos 3.184. O índice MSCI Asia Pacific ficou em queda de 0,50%.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,58% aos 439.92 em Londres; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,66% aos 15.236; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,61% aos 6.307; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,15% aos 24.419; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,89% aos 8.893; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,59% a 5.131.

Estados Unidos: o Dow Jones ficou em alta de 0,70% aos 33.113. O S&P ficou em alta 0,27% aos 4.181. O Nasdaq caiu 0,48% aos 13.895.

Brasil: o Ibovespa fechou em alta de 0,27% aos 119.209 pontos. O volume financeiro ficou em R$31,45 bilhões.

Moedas: o dólar comercial fechou em queda de 0,24% aos R$5,419 para a venda. O turismo caiu 0,13% aos R$5,583 para a venda.

O euro ficou perto da estabilidade em 0,08% aos R$6,536 para a venda. A libra ficou em alta de 0,36% aos R$7,535 para a venda. O peso argentino ficou estável aos R$0,05 para a venda.

O Bitcoin caiu 0,87% aos R$314.931,37.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em queda de 0,34% a 90,97.

O euro ficou em alta de 0,35% a US$ 1.2061 e a libra esterlina subiu 0,66% a US$1.3906.

O preço do ouro ficou em alta de 1,41% a US$ 1.792,60 a onça.

Commodities
O petróleo WTI ficou em alta de 1,35% aos US$64,44 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

*Por Ivonéte Dainese

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?