Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Mercados acionários recuam

Data de criação:

access_time 26/06/2020 - 19:42

Data de atualização:

access_time 26/06/2020 - 20:15
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários globais mantiveram as vendas nesta sexta-feira. O coronavírus seguiu fazendo mais vítimas nos Estados Unidos e acabou inibindo o apetite para o risco. A decisão foi vender, embolsar lucros e já na cautela com a enxurrada de indicadores econômicos programados para a próxima semana.

Começando pela Ásia, os investidores ficaram no azul, ainda na carona dos resultados de Wall Street. O dia foi sem indicadores econômicos e sem a China, que permaneceu em feriado.

Na Europa, as bolsas fecharam no negativo. Os investidores decidiram se proteger nesta reta final do mês de junho e, ao mesmo tempo, mantendo a posição vendida com a agenda carregada a partir da próxima segunda-feira (29).

Nos Estados Unidos, o dia foi de atenção pelos os casos de coronavírus. O avanço de infectados em vários estados despertou novamente a atenção para a reabertura da economia. Os números do Texas e da Florida assustaram. O teste de estresse dos bancos realizado pelo Federal Reserve também ficou no radar.

Por aqui, o Ibovespa acompanhou os demais índices globais e caiu. O investidor doméstico também realizou lucros, ajustou e manteve a posição vendida na cautela da reta final de junho.

O dólar comercial disparou, embora com a entrada do Banco Central do Brasil com swap. O índice de dólar na bolsa de Nova York ficou estável.

Sobre o Coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 9.695.374 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 491.595 mortes e 4.889.689 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 2.453.044 casos confirmados de contaminação, com 124.891 mortes e 663.562 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 1.288.114, sendo que o número de mortes está em 54.971 com 679.524 pessoas recuperadas. O Brasil está abaixo dos Estados Unidos

Neste momento, o Brasil assume o 1º lugar no número de pessoas recuperadas. O levantamento é de 19h28 desta sexta-feira (26) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Na Ásia, ao final, o índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 1,13% aos 22.512. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,55% aos 2.604. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,05% a 2.134. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,94% os 35.171. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 1,49% aos 5.904%.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,39% aos 358.32 pontos em Londres; o índice FTSE100, bolsa de Londres, ficou em alta de 0,20% aos 6.159 pontos; o índice DAX30, bolsa de Frankfurt, ficou em queda de 0,73% aos 12.089 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 0,18% aos 4.909 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,57% aos 19.124 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,26% a 7.178 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,33% a 4.359 pontos.

Nos Estados Unidos, ao final, o Dow Jones ficou em queda de 2,48% aos 25.015 pontos. O S&P ficou em alta de 2,42% aos 3.009 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 2,59% aos 9.757 pontos. Na semana, o Dow Jones perdeu 3,3%, o S&P 500 caiu 2,9% e o Nasdaq caiu 1,9%.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou em queda de 2,24% aos 93.834 pontos. Na semana, a queda foi de 2,83%. O giro financeiro ficou em R$23,29 bilhões.

Operaram com ganhos
IRBBrasil ON, alta de 5,42%; WEG ON, alta de 1,58%; e Klabin UNT, alta de 0,74%.

Operaram com perdas
Lojas Renner ON, queda de 0,51%; Taesa UNT, queda de 0,81%; BTG Banco UNT, queda de 5,50%; CCR ON, queda de 5,73%; Cogna ON, queda de 5,22%, Grupo Natura ON, queda de 4,68%; e BR Malls Par. ON, queda de 5,49%.

Mais negociadas
Petrobras PN, queda de 2,93%; Vale ON, queda de 0,68%; Bradesco PN, queda de 3,09%; Itau Unibanco PN, queda de 1,68%; e Via Varejo ON, queda de 1,79%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,154%), Itauunibanco PN (7,414%), Bradesco PN (5,611%), Petrobras PN (5,610%) e B3 ON (5,405%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,88% aos US$40,69 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,14% e com o barril negociado aos US$38,28 na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

No Brasil, ao final, no interbancário, a divisa ficou em alta de 2,57% aos R$5,465 para a venda. Na semana, a valorização foi de 2,76%. O dólar turismo ficou em alta de 2,66% aos R$5,770.

O euro ficou em alta de 2,06% aos R$5,139 para a venda. A libra esterlina ficou em alta de 1,27% a R$6,748 para a venda. O peso argentino ficou em alta de 2,22% a R$0,078 para a venda.

O BCB colocou o lote de 12 mil contratos de swap cambial para rolagem e com vencimento para agosto.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável aos 97,46.

O euro ficou estável a US$ 1,1218 e a libra esterlina ficou em queda de 0,66% a US$1.2333.

O Bitcoin ficou em queda de 0,66% a US$9,201,94.

*Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?