Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Mercados ficam com ganhos moderados

Data de criação:

access_time 10/11/2020 - 20:43

Data de atualização:

access_time 10/11/2020 - 20:43
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O anúncio da Pfizer e BioNTech sobre os resultados da vacina contra a Covid-19 ainda repercutiu em algumas bolsas de ações do mundo, com grande parte fechando no azul.

Em Wall Street, os índices fecharam sem direção. O Nasdaq corrigiu, depois da sucessão de recordes, o S&P foi na sequência e apenas o Dow Jones sustentou a valorização.

Ainda hoje, a euforia prosseguiu com a vitória de Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos. Porém, apesar da confirmação do Colégio Eleitoral de que Biden será o 46º presidente americano, Donald Trump continua negando a derrota e ironizando o resultado do pleito.

Na Europa, as bolsas fecharam com ganhos. Os dados econômicos, com o desemprego avançando no Reino Unido, não tiraram o apetite para o risco e os investidores mantiveram o otimismo com a expectativa pela vacina da Pfizer-BioNTech. Enquanto isso, vários países europeus lutam contra o avanço das infecções pelo coronavírus.

Na Ásia, as bolsas fecharam com ganhos moderados. A vitória de Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos e as declarações sobre as vacinas também ficaram entre os destaques do dia. Os dados econômicos da China surpreenderam negativamente. Neste momento, os futuros operam sem direção.

Por aqui, o Ibovespa manteve a alta com as ações dos bancos e Petrobras. Declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre privatizações ficaram no radar dos investidores. O tom do ministro foi moderado e com a visível preocupação sobre o atraso na agenda de reformas. O Ibovespa ficou acima dos 105 mil pontos.

O dólar comercial corrigiu e ficou estável.

Sobre o Coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 51.292.597 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 1.269.199 mortes e 33.400.848 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 10.217.789 casos confirmados de contaminação, com 239.374 mortes e 3.928.845 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 5.675.032, sendo que o número de mortes está em 162.628. São com 5.163.226 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 20h22 desta terça-feira (10/11) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 1,10% aos 26.301 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,40% aos 3.360. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 1,05% a 2.308 e o ChiNext ficou em queda de 1,28%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,26% aos 24.905. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 3,67% aos 2.705. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,60% aos 43.277. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,66% aos 6.340. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,23% a 2.452 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,35% aos 13.081 pontos.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,90% aos 384.42 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 1,79% aos 6.296 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,51% aos 13.163 pontos; o CAC 40 (Paris) subiu 1,55% aos 5.418 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,49% aos 20.851 pontos; o Ibex 35 (Madri) subiu 3,38% a 7.711 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,00% a 4.264 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones ficou em alta de 0,90% aos 29.420 pontos. O S&P ficou em queda de 0,14% aos 3.545 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 1,37% a 11.553 pontos.

Brasil: o Ibovespa ficou em alta de 1,50% aos 105.066 pontos. O volume financeiro ficou em R$48,42 bilhões.

Operaram com ganhos
Ultrapar ON, alta de 8,45%; Petrobras ON, alta de 7,95%; Santander BR UNT, alta de 7,66%; AMBEV ON, alta de 6,96%; e Petrobras PN, alta de 6,80%.

Operaram com perdas
B2W Digital ON, queda de 8,31%; Totvs ON, queda de 6,81%; Gerdau PN, queda de 5,32%; Magaz. Luiza ON, queda de 4,65%; e Sid. Nacional ON, queda de 4,49%.

Mais negociadas
Petrobras PN, alta de 6,80%; Vale ON, queda de 0,05%; Itaú Unibanco PN, alta de 4,52%; Magaz. Luiza ON, queda de 4,65%; e Petrobras PN, alta de 6,80%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 08 de setembro de 2020 a 30 de dezembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,460%), Itauunibanco PN (6,379%), Bradesco PN (5,030%), Petrobras PN (5,623%) e B3 ON (5,329%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou estável a US$43,60 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 2,68% aos US$41,37 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,43% a US$122,27 a tonelada.

Brasil: o dólar ficou estável aos R$5,393 para a venda. O turismo ficou em queda de 0,18% a R$5,533 para a venda.

O euro ficou estável aos R$6,368 para a venda. A libra esterlina ficou em alta de 0,77% a R$7,143 para a venda. O peso argentino ficou estável a R$0,068 para a venda.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 92,72.

O euro ficou estável a US$ 1.1819 e a libra esterlina subiu 0,84% a US$1.3268.

O preço do ouro ficou estável a US$ 1.876,00 a onça.

O Bitcoin ficou em alta de 0,65% a US$15.361,85.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?