Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Mercados ficam sem direção

Data de criação:

access_time 25/08/2020 - 19:48

Data de atualização:

access_time 25/08/2020 - 19:48
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários ficaram divididos nas negociações desta terça-feira. Vários indicadores econômicos fizeram peso, com destaque para o Produto Interno Bruto – PIB da Alemanha, bem como o índice do Consumidor dos Estados Unidos.

Um ponto de otimismo veio com a China e os Estados Unidos mantendo o diálogo no acordo comercial, aquele da Fase 1, assinado em 15 de janeiro desse ano. Aliás, esse foi um dos fatores que ampararam os ganhos dos pesos-pesados da bolsa de Nova York.

A Conferência anual do Federal Reserve, que ocorre todos os anos em Jackson Hole, começará na quinta-feira (27) via remoto e com mais de 10 representantes de bancos centrais programados para fazer apresentações. A estrela do evento é o presidente do Fed, Jerome Powell.

Na Europa, os índices das principais bolsas de ações realizaram. O PIB da Alemanha ficou em queda de 9,7% no segundo trimestre de 2020, quando comparado com o anterior. Entretanto, a queda do PIB não foi tão acentuada como a reportada na primeira divulgação de 30 de julho de 2020, quando a queda era de 10,1%. O resultado não impactou o índice principal da bolsa de Frankfurt, DAX-30, que rompeu os 13 mil pontos e fechou estável.

Na Ásia, com os futuros já operando divididos, o bom humor de hoje foi mantido com a reforma das regras de negociação e listagem da bolsa chinesa, bem como a estreia do ChiNext, que incluiu as ações de tecnologia no índice Shenzhen Composite. A agenda local estava vazia.

Por aqui, o Ibovespa fechou em queda marginal. O radar ficou em Brasília, bem como no setor corporativo doméstico. Os indicadores econômicos, como o IPCA-15, as Contas Externas e o índice de Confiança do Comércio ficaram entre os destaques.

O dólar comercial caiu.

Sobre o Coronavírus

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 23.745.414 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 815.248 mortes e 15.401.241 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 5.769.024 casos confirmados de contaminação, com 178.140 mortes e 2.020.774 pessoas recuperadas.

No Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, os casos confirmados somam 3.622.861, sendo que o número de mortes está em 115.309 com 2.987.729 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h34 desta terça-feira (25/08) pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Na Ásia, ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,26% aos 25.486. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,36% aos 3.373. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,11% a 2.280. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 1,35% aos 23.296. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,40% aos 2.538. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,12% aos 38.843. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,88% aos 12.758. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,52% aos 6.161. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 1,58% a 2.366 pontos.

Na Europa, ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,30% aos 369.75 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 1,11% aos 6.037 pontos; o DAX -30 (Frankfurt) ficou estável aos 13.061 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou estável a 5.008 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,41% aos 20.030 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou estável a 7.108 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 1,06% a 4.381 pontos.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones ficou em queda de 0,21% aos 28.248 pontos. O S&P ficou em alta de 0,36% a 3.443 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,76% aos 11.466 pontos.

No Brasil, ao final, o Ibovespa ficou com queda de 0,18% aos 102.117 pontos.  O volume financeiro ficou em R$23, 64 bilhões.

Operaram com ganhos
Lojas Renner ON, alta de 4,29%; Cia Hering ON, alta de 3,17%; Rumo ON, alta de 3,48%; Hypera ON, queda de 3,3%; e Cemig PN, queda de 2,96%.

Operaram com perdas
Braskem PNA, queda de 3,51%; Cielo ON, queda de 3,38%; BTGP Banco UNT, queda de 2,75%; JBS ON, queda de 3,02%; e Azul PN, queda de 2,75%.

Mais negociadas
Via Varejo ON, alta de 1,72%; Vale ON, queda 2,13%; Rumo ON, alta de 2,68%; Petrobras PN, queda 0,44%; e Itaú Unibanco PN, queda de 0,74%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de maio de 2020 a 04 de setembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,154%), Itauunibanco PN (7,414%), Bradesco PN (5,611%), Petrobras PN (5,610%) e B3 ON (5,405%).

Commodities
O petróleo referência Brent ficou em alta de 0,22% aos US$45,96 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em alta de 1,78% e com o barril negociado aos US$43,38 na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 1,79% a US$122,99 a tonelada seca.

No Brasil, ao final, o dólar comercial ficou em queda de 1,19% ao R$5,527 para a venda. O dólar turismo ficou em queda de 1,35% aos R$5,830.

O euro ficou em queda de 1,25% aos R$6,533 para a venda. A libra esterlina ficou em queda de 1,02% a R$7,258 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 1,70% a R$0,075 para a venda.

O Banco Central do Brasil colocou o lote de 12 mil contratos em swap cambial para rolagem e com vencimento para outubro.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em queda de 0,30% a 93,02.

O preço do ouro ficou em queda de 0,25% a US $ 1.934,30 a onça. O preço da prata ficou em queda de 0,16% a US$26,57 a onça.

O euro ficou em alta de 0,38% a US$ 1,1833 e a libra esterlina ficou em alta de 0,63% a US$1.3146.

O Bitcoin ficou em queda de 3,75% a US$11.331,95.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?