Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Notícias sobre vacinas mexem com as bolsas de ações

Data de criação:

access_time 18/11/2020 - 21:08

Data de atualização:

access_time 18/11/2020 - 21:08
format_align_left 7 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Novamente os principais mercados acionários fecharam divididos nesta quarta-feira. O foco global permaneceu na pandemia de coronavírus e, principalmente, com as declarações das farmacêuticas sobre os processos de suas vacinas, como Pfizer-BioNTech, Moderna, CoronaVac, entre outras.

Na bolsa de Nova York, os índices recuaram. Além das vacinas, o investidor americano ficou atento no setor corporativo. Hoje, na falta de indicadores econômicos, o foco permaneceu no campo político e, principalmente, no avanço da Covid-19.

Na Europa, o ambiente foi o mesmo. Pandemia, vacinas e Brexit foram os destaques nos mercados acionários. Portugal disparou no número de casos, 431 mil em menos de 24 horas.

Na Ásia, ainda sob os efeitos de Wall Street, as bolsas fecharam sem direção. Novos casos da Covid-19 em Tóquio acabaram impactando os negócios na bolsa de ações. Os futuros já operam em campo negativo.

Por aqui, o pregão na bolsa de valores de São Paulo seguia volátil. Os investidores estavam mantendo as transações no dia de exercício de opções sobre o Ibovespa. Porém, perto do fechamento, a Fitch, que é uma das mais importantes agências de classificação de risco, manteve o rating do Brasil em ‘BB-’ com perspectiva negativa. Em comunicado duro, a Fitch destacou a falta de reformas, queda no PIB, desacertos políticos, entre outros. Tão logo a agência divulgou a decisão, a bolsa recuou e o dólar comercial deu uma puxada para cima.

Veja como ficou o Exercício de Opções

No Ibovespa foram movimentados R$ 7.001.358.000,00, com 68.955 contratos negociados. Do volume de operações exercidas, R$ 6.888.129.000,00 referem-se a opções de compra e R$ 113.229.000,00 a opções de venda.

Contratos que obtiveram os maiores volumes de exercício:
Série a 105 mil pontos movimentou R$ 1.369.725.000,00 em opções de compra;
Série a 101 mil pontos movimentou R$ 874.761.000,00 em opções de compra;
Série a 104 mil pontos movimentou R$ 828.776.000,00 em opções de compra;
Série a 99 mil pontos movimentou R$ 657.360.000,00 em opções de compra; e
Série a 106 mil pontos movimentou R$ 584.802.000,00 em opções de compra.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 56.101.976 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 1.346.677 mortes e 35.989.750 pessoas recuperadas

Os Estados Unidos estão novamente liderando o ranking, com 11.492.593 casos confirmados, com 248.227 mortes e 4.294.743 pessoas recuperadas.

O Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, assumiu o quarto lugar no ranking. São 5.911.758 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 166.699. São com 5.358.299 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 20h13 de ontem (terça-feira -17) pelo horário dos Estados Unidos.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 0,49% aos 26.544 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,22% aos 3.347. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,34% a 2.261 e o ChiNext (ETF) ficou em queda de 1,53%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 1,10% aos 25.728. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,36% aos 2.788. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,52% aos 44.180. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,51% aos 6.531. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,26% a 2.545 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em alta de 1,33% aos 13.773 pontos.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,44% aos 390.54 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,31% aos 6.385 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,52% aos 13.201 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,52% aos 5.511 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,87% aos 21.622 pontos; o Ibex 35 (Madri) subiu 0,59% a 7.981 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,19% a 4.417 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones caiu 1,16% aos 29.438 pontos. O S&P caiu 1,16% aos 3.567 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 0,82% a 11.801 pontos.

Brasil: o Ibovespa ficou em queda de 1,05% aos 106.119 pontos. O volume financeiro ficou em R$44,83 bilhões.

Operaram com ganhos
Cogna ON, alta de 5,34%; YDUQS Part. ON, alta de 5,32%; Axul PN, alta de 4,41%; Minerva ON, alta de 3,57%; e GOL PN, alta de 3,10%.

Operaram com perdas
Iguatemi ON, queda de 4,31%; Multiplan ON, queda de 4,20%; Cyrela Realt ON, queda de 4,18%; AMBEV ON, queda de 4,01%; e Lojas Renner ON, queda de 3,54%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 0,78%; Petrobras PN, queda de 0,59%; Bradesco PN, queda de 3,07%; ItauUnibanco PN, queda de 2,44%; e Azul PN, alta de 4,41%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 08 de setembro de 2020 a 30 de dezembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,460%), Itauunibanco PN (6,379%), Bradesco PN (5,030%), Petrobras PN (5,623%) e B3 ON (5,329%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,36% a US$44,18 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 0,48% aos US$41,62 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 0,72% a US$126,34 a tonelada seca.

Brasil: no interbancário, o dólar comercial ficou em queda de 0,13% aos R$5,337 para a venda. O turismo ficou em queda de 0,05% a R$5,490 para a venda.

O euro ficou em queda de 0,25% a R$6,307 para a venda. A libra esterlina ficou em alta de 0,05% a R$7,068 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 0,44% a R$0,066 para a venda.

Hoje, o BCB vendeu o lote de 12 mil contratos em leilão de swap para rolagem e vencimento no dia 04 de dezembro de 2020.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 92,42.

O euro ficou em alta de 0,08% a US$ 1.1853 e a libra esterlina também subiu 0,11% a US$1.3269.

O preço do ouro caiu 0,85% a US$ 1.869,10 a onça.

O Bitcoin opera em queda de 1,14% a US$17.698,53.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?