Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Novembro foi positivo para os mercados acionários

Data de criação:

access_time 30/11/2020 - 20:45

Data de atualização:

access_time 30/11/2020 - 20:45
format_align_left 7 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários globais encerraram as últimas negociações de novembro corrigindo. Os investidores comemoraram e destacaram o mês como um dos melhores, mesmo em tempos de pandemia de coronavírus.

Em quase todas as bolsas de ações, os índices marcaram recordes com os desempenhos financeiros das empresas, em especial as de tecnologia, com os anúncios de vacinas para a Covid-19. Os indicadores econômicos também ajudaram, bem como a eleição nos Estados Unidos.

Nesta segunda-feira, os índices de Wall Street fecharam no vermelho, com os investidores embolsando lucros. Os três índices encerram o mês com valorização, sendo que o Dow Jones avançou 11, 9%, o S&P valorizou 10,7% e o Nasdaq também subiu 11,9%.

Na Europa, mesmo com a pandemia no foco central, os índices das principais bolsas também recuaram nesta segunda-feira. As medidas restritivas, a expectativa para o Brexit e os indicadores econômicos ficaram entre os destaques do dia e também do mês.

Na Ásia, com os dados econômicos no foco central, as bolsas ajustaram. A euforia dos investidores em novembro ficou com a vitória de Joe Biden nos Estados Unidos. A região vem registrando sucessivas altas nos números de contágios pelo coronavírus. Neste momento, os futuros estão operando sem direção.

Por aqui, a bolsa brasileira foi na carona externa. Brasília ficou no radar, mas nem todas as informações confusas, sem nenhuma votação em curso e as eleições municipais conseguiram tirar o foco dos investidores estrangeiros. As votações já estão precificadas para 2021. O Ibovespa decolou e voltou para quase os mesmos patamares de fevereiro desse ano, ou seja, entre 110 e 112 mil pontos. No mês de novembro, o índice sustentou alta em 15,9%.

O dólar comercial, que recuou 6,82% no mês de novembro, voltou para a alta moderada neste pregão da B3 em 0,38%.

Coronavírus:

O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 63.118.430 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 1.465.492 mortes e 40.344.258 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 13.511.194 casos confirmados, com 267.792 mortes e 5.065.148 pessoas recuperadas.

O Brasil, ainda pela plataforma do Johns Hopkins, assumiu o quarto lugar no ranking. São 6.314.740 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 172.833. São com 5.581.436 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 20h20 desta segunda-feira pelo horário de Brasília.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em queda de 2,06% aos 26.341 pontos. O índice Xangai, China, ficou em queda de 0,49% aos 3.391. O índice Shenzhen Composite ficou em queda de 0,15% a 2.249 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 0,14%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,79% aos 26.341. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,75% aos 2.805. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,25% aos 44.149. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 1,26% aos 6.517. O índice Kospi, Seul, ficou em queda de 1,60% a 2.591 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou em queda de 1,04% aos 13.722 pontos.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em queda de 0,98% aos 389,36 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,07% aos 6.367 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,33% aos 13.291 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em queda de 1,42% aos 5.518 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 1,30% aos 22.060 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 1,39% aos 8.076 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 1,01% a 4.604 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones caiu 0,91% aos 29.638 pontos. O S&P ficou em queda de 0,46% aos 3.621 pontos. O Nasdaq ficou estável a 12.198 pontos. No mês de novembro, o Dow Jones subiu 11,9%, melhor resultado no mês desde o início de 1987. O S&P 500 pegou carona em 10,7%. O Nasdaq registrou um avanço de 11,9% em novembro.

Brasil: o Ibovespa ficou em queda de 1,52% aos 108.893 pontos. No mês, a alta foi de 15,90%. O volume financeiro ficou em R$49,08 bilhões.

Operaram com ganhos
Azul PN, alta de 3,06%; YDUQS Part. ON, alta de 3,19%; Carrefour BR ON, alta de 3,61%; GOL PN, alta de 2,44%; e RaiaDrogasil ON, alta de 0,66%.

Operaram com perdas
B2W Digital ON, queda de 8,11%; Via Varejo ON, queda de 4,00%; Cosan ON, queda de 5,67%; BR Malls Par. ON, queda de 4,30%; e TIM ON, queda de 4,33%.

Mais negociadas
Vale ON, queda de 0,56%; Petrobras PN, queda de 2,35%; Magaz. Luiza ON, queda de 3,35%; Via Varejo ON, queda de 4,00%; e Itaú Unibanco PN, queda de 1,38%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 08 de setembro de 2020 a 30 de dezembro de 2020, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice: Vale ON (10,460%), Itauunibanco PN (6,379%), Bradesco PN (5,030%), Petrobras PN (5,623%) e B3 ON (5,329%).

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,48% a US$47,65 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,03% aos US$45,06 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em alta de 1,55% a US$131,63 a tonelada seca.

Brasil: no interbancário, a divisa fechou em alta de 0,38% aos R$5,346 para a venda. No mês, a queda foi de 6,82%. O dólar turismo ficou em alta de 0,47% aos R$5,503 para a venda.

O euro ficou em alta de 0,31% a R$6,387 para a venda. A libra esterlina ficou em queda 0,25% a R$7,120 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 0,65% a R$0,065 para a venda.

O Banco Central do Brasil anunciou o aumento no lote de contratos para leilão de swap de 12 mil contratos para 16 mil. Todo o lote foi vendido para rolagem vencendo em 04 de janeiro de 2021.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, subiu 0,19% a 91,96.

O euro seguia em queda de 0,21% a US$ 1.1937 e a libra esterlina seguia em alta de 0,13% a US$1.3332.

O preço do ouro caía 0,41% a US$ 1.780,80 a onça.

O Bitcoin estava em alta de 5,81% a US$19.417,69.

*Por Ivonéte Dainese com agências internacionais

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?