Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Reta final do mês promove ajustes

Data de criação:

access_time 30/03/2021 - 19:43

Data de atualização:

access_time 30/03/2021 - 19:43
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os mercados acionários globais fecharam sem direção nesta terça-feira (30/03). O investidor aproveitou a reta final do mês e do primeiro trimestre para promover ajustes. Entretanto, o foco principal permaneceu no processo de vacinação contra os casos de coronavírus, já que alguns países estão declarando a chegada de uma possível quarta onda da doença.

Nos mercados americanos, os índices pesos-pesados de Wall Street fecharam em campo negativo. O rendimento do título de 10 anos voltou a subir e levou junto o índice de dólar. As ações dos bancos subiram e as de tecnologia caíram.

Na Europa, os índices de peso avançaram na carona dos mercados asiáticos. O euro e a libra esterlina perderam para o dólar.

Por aqui, o Ibovespa ganhou força com ajustes de Carteiras na reta final do mês. Dados econômicos ficaram entre os destaques, com o Caged surpreendendo.

Pelo segundo dia consecutivo, os acontecimentos em Brasília ficaram no radar. Depois das mudanças em seis ministérios, hoje, a surpresa ficou com as saídas dos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. Essa troca conjunta nas Forças Armadas não ocorria desde a redemocratização em 1985.

Já o dólar comercial perdeu força ante o real.

Coronavírus:
O levantamento do Centro de Sistemas, Ciência e Engenharia da Universidade Johns Hopkins, Estados Unidos, mostra que são 128.000.367 casos confirmados de contágio pelo coronavírus no mundo, com 2.797.388 mortes e 72.616.022 pessoas recuperadas

Nos Estados Unidos são 30.385.698 casos confirmados, com 550.903 mortes. A plataforma não fornece resultado geral de pessoas recuperadas.

O Brasil, voltou a ocupar o segundo lugar no ranking pela plataforma do Johns Hopkins. São 12.573.615 casos confirmados, sendo que o número de mortes está em 313.866. São 11.057.882 pessoas recuperadas.

O levantamento é de 19h24 desta terça-feira (30/03) pelo horário de Brasília.

Mercados de Ações Globais

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 0,84% aos 28.577 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,62% aos 3.456 pontos. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,16% aos 29.432 pontos. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,48% aos 3.190 pontos. O índice Sensex, bolsa de Mombai, ficou em alta de 2,30% aos 50.136 pontos. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,90% aos 6.738. O índice Kospi, bolsa de Seul, ficou em alta de 1,12% aos 3.070. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,48% aos 16.554 pontos. O índice regional de ações, MSCI Asia Pacific subiu 0,2% pelo segundo dia consecutivo.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,71% aos 430.65 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,53% aos 6.772 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,29% aos 15.008 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 1,21% aos 6.088 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou e alta de 0,88% aos 24.636 pontos; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 1,21% aos 8.595 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,52% a 4.889 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones ficou em queda de 0,31% aos 33.066 pontos. O S&P caiu 0,32% aos 3.958 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 0,11% aos 13.045 pontos.

Brasil: o Ibovespa fechou em queda de 1,24% aos 116.849 pontos. O volume financeiro ficou em R$28,45 bilhões.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de janeiro de 2021 a 30 de abril de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (11,330%), Itauunibanco PN (6,868%), Petrobras PN (5,909%), B3 ON (5,417%) e Bradesco PN (5,281%).

Moedas: no interbancário, a moeda ficou em queda de 0,08% aos R$5,762 para a venda. O turismo ficou em alta de 0,34% aos R$5,933 para a venda.

O euro ficou em queda de 0,47% aos R$6,752 para a venda. A libra caiu 0,44% aos R$7,908 para a venda. O peso argentino ficou em queda de 0,1% aos R$0,063 para a venda.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em alta de 0,38% a 93,30.

O euro caiu 0,40% a US$ 1.1719 e a libra esterlina caiu 0,28% a US$1.3723.

O preço do ouro caiu 1,80% a US$ 1.683,70 a onça.

O Bitcoin subiu 2,12% a US$59,076,20.

Commodities

O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,20% a US$64,04 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,90% aos US$60,39 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou em queda de 0,77% a US$166,58 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios

 

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?