Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FECHAMENTO: Semana fecha com mercados divididos

Data de criação:

access_time 20/11/2020 - 19:11

Data de atualização:

access_time 20/11/2020 - 19:11
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os investidores dos mercados acionários ficaram divididos nas negociações durante a semana. O lado positivo ficou com o tema vacina, com diversas empresas declarando resultados animadores nas fases finais de testes. O lado negativo ficou com a Covid-19 não dando trégua na Europa, Estados Unidos, Japão e no Brasil.

A semana foi marcada por uma agenda econômica enfraquecida, mas com o front político em “clima quente” nos Estados Unidos, já que o presidente Donald Trump ainda espera por uma vitória na recontagem de votos em alguns Estados. Vale lembrar que a eleição americana ocorreu no último dia 03.

Nesta sexta-feira, a bolsa de Nova York interrompeu a sequência de cinco altas. Ficou no radar a disputa discreta entre o Tesouro americano e o Federal Reserve sobre o pacote de estímulos. A agenda local estava vazia.

Já no Velho Continente, as bolsas fecharam com ganhos. O investidor tentou reparar as perdas da semana com as boas notícias das farmacêuticas, como a Pfizer-BioNTech anunciando a solicitação de autorização para a FDA para sua candidata a vacina contra a Covid-19. Porém, alguns países decidiram prorrogar até a primeira quinzena de dezembro as restrições severas para impedir o avanço do vírus. Já as autoridades de saúde do Reino Unido declararam, hoje, que os registros de novos casos de infecções estão caindo. Alemanha e Reino Unido divulgaram indicadores.

Na Ásia, os mercados fecharam sem direção. Pequim disse que vai incentivar o consumo e o Japão acompanha o avanço dos casos de coronavírus. Na agenda da região, o Japão apresentou a prévia do índice PMI Composto e a Austrália as vendas no varejo. Na segunda-feira (23), a bolsa de Tóquio não vai operar por conta de feriado.

Por aqui, o Ibovespa fechou a semana em alta. O ambiente externo, as discussões sobre as vacinas e o front político ficaram no radar. Os resultados financeiros das empresas brasileiras referentes ao terceiro trimestre trouxeram disposição para os negócios. O investidor também comemorou a volta do capital estrangeiro na bolsa.

Por fim, o dólar comercial fechou a semana em queda de 1,62%, mas ganhou força na sessão.

Veja o comportamento dos mercados

Ásia: o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, fechou em alta de 0,36% aos 26.451 pontos. O índice Xangai, China, ficou em alta de 0,44% aos 3.377. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 0,60% a 2.289 e o ChiNext (ETF) ficou em alta de 0,79%. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,42% aos 25.527. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 1,30% aos 2.813. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,65% aos 43.882. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,12% aos 6.539. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,24% a 2.553 pontos. O índice Taiex, bolsa de Seul, ficou estável aos 13.716 pontos.

Europa: o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,52% aos 389.61 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,27% aos 6.351 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,39% aos 13.137 pontos; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,39% aos 5.495 pontos; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,79% aos 21.706 pontos; o Ibex 35 (Madri) subiu 0,60% a 7.977 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,30% a 4.424 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones ficou em queda de 0,75% aos 29.263 pontos. O S&P recuou 0,68% aos 3.557 pontos. O Nasdaq ficou em queda de 0,42% a 11.854 pontos. Na semana, o Dow e o S&P 500 fecharam em queda de 0,7%, e o Nasdaq encerrou em alta de 0,4%.

Brasil: o Ibovespa recuou 0,59% aos 106.042 pontos. Na semana, a alta foi de 1,25%. O volume financeiro ficou em R$21,70 bilhões.

Brasil: o dólar comercial fechou em alta de 1,35% aos R$5,385 para a venda. Na semana, a moeda ficou em queda de 1,62%. O turismo ficou em alta de 1,54% a R$5,547 para a venda.

O euro ficou em alta de 1,19% a R$6,385 para a venda. A libra esterlina ficou em alta de 0,76% a R$7,108 para a venda. O peso argentino ficou em alta de 0,23% a R$0,066 para a venda.

Hoje, o BCB vendeu o lote de 12 mil contratos em leilão de swap para rolagem e vencimento no dia 04 de dezembro de 2020.

Cenário externo

Na bolsa de Nova York, o DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou estável a 92,36.

O euro ficou estável a US$ 1.1859 e a libra esterlina subiu 0,30% a US$1.3288.

O preço do ouro ficou em alta de 0,54% a US$ 1.871,50 a onça.

O Bitcoin subiu 2,01% a US$18.610,39.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios oficiais e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?