Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Ibovespa brilha na semana em 2,9% e crava nos 121 no pregão

Data de criação:

access_time 16/04/2021 - 18:44

Data de atualização:

access_time 16/04/2021 - 18:44
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O Ibovespa fechou a semana em alta de 2,92%, com os investidores descolando do cenário interno nos últimos dois dias. Os dados econômicos dos Estados Unidos, da China e as commodities fizeram preços nas ações.

Nesta sexta-feira (16/04), os dados da economia chinesa puxaram os mercados para cima e a bolsa brasileira acompanhou. Entretanto, os temas internos, como a indefinição sobre o Orçamento de 2021, ficaram no radar. O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia 22 de abril para definir se sanciona ou não.

Os preços elevados das principais commodities também pesaram nas ações das empresas do setor. Além disso, os estoques de petróleo dos Estados Unidos recuaram na semana e as refinarias operaram com quase 90% da capacidade, o que significa que a demanda está em ritmo do início da pandemia no ano passado.

O grande destaque do lado corporativo ficou com o negócio frustrado entre a Hering e a Arezzo & Co., que acabou puxando as ações da demais empresas do setor varejista.

Índice: o Ibovespa fechou em alta de 0,34% aos 121.113 pontos. O volume financeiro ficou em R$30,07 bilhões.

“Na semana, as bolsas de ações globais mantiveram as altas e alguns índices bateram recordes. Os indicadores econômicos, os estímulos e as vacinas pesaram nos desempenhos e promoveram a volta acelerada para o risco. Além disso, os resultados financeiros do primeiro trimestre dos grandes bancos americanos ficaram acima das projeções. Hoje, em especial, a China veio com um PIB elevado e o investidor olhou também para os números dos Estados Unidos divulgados ao longo da semana”, pontuou o sócio da Monte Bravo Investimentos, Bruno Madruga.

A bolsa brasileira também surfou na onda externa, com o índice principal cravando os 121 mil pontos. “No Brasil, o mercado de ações ficou mais tranquilo com a queda no rendimento do título americano de 10 anos, algo em torno de 5% na semana. Além disso, os preços da commodities subiram e levaram as empresas do setor como a Vale, Usiminas, siderúrgicas, Petrobras e PetroRio. Apesar da euforia, o investidor seguiu mantendo o radar nas discussões sobre o Orçamento e com o prazo final chegando. Esse tema pesou muito mais que a instalação da CPI da Covid-19, que não fez preço nem no curto prazo. O ponto brilhante ficou com o setor varejista, em especial, pela decisão da Hering em não aceitar o negócio com a Arezzo & Co., o que acabou puxando também as ações das demais varejistas. O fluxo de estrangeiro nos mercados primário e secundário estava em R$2,16 bilhões até o dia 13”, finalizou Madruga.

Operaram com ganhos
Lojas Renner ON, alta de 11,91%; Hering ON, alta de 6,66%; Eletrobras PNB, alta de 5,15%; Eletrobras ON, alta de 3,95%; e CVC Brasil ON, alta de 2,90%.

Operaram com perdas
Grupo Natura ON, queda de 5,07%; Minerva ON, queda de 4,29%; JBS ON, queda de 3,19%; BRF ON, queda de 2,92%; e Klabin UNT, queda de 2,00%.

Mais negociadas
Vale ON, alta de 0,43%; Petrobras PN, queda de 0,61%; Lojas Renner ON, alta de 11,91%; Petrobras ON, queda de 1,18%; Bradesco PN, alta de 1,16%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 04 de janeiro de 2021 a 30 de abril de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (11,330%), Itauunibanco PN (6,868%), Petrobras PN (5,909%), B3 ON (5,417%) e Bradesco PN (5,281%).

Commodities
O petróleo referência Brent ficou em queda de 0,10% a US$66,70 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI ficou em queda de 0,61% aos US$63,07 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao ficou estável a US$178,43 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?