Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Ibovespa interrompe a sequência de alta e recua 0,52% na semana

Data de criação:

access_time 11/06/2021 - 19:00

Data de atualização:

access_time 11/06/2021 - 19:00
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O Ibovespa fechou a semana em queda de 0,52%. Esse resultado acabou interrompendo a sequência de quatro semanas consecutivas de ganhos.

Hoje, o dia estava fraco de agenda e acabou promovendo um pouco de realização com os papéis que avançaram muito nos últimos dias, um exemplo foram as ações das incorporadoras e bancos.

Por fim, os investidores decidiram não arriscar com a proximidade das reuniões dos bancos centrais, Federal Reserve e Banco Central do Brasil, na próxima terça-feira (15/06).

Sobre as commodities, o preço do minério de ferro ficou em alta na China. Os preços do petróleo também subiram.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,49% aos 129.441 pontos. O giro de negócios ficou em R$20,08 bilhões.

“A semana foi muito positiva para os mercados de ações, mesmo com as atenções para os dados da economia americana. Os investidores absorveram o CPI dos Estados Unidos, que segue beneficiando os emergentes porque a narrativa do Fed está sendo consolidada de que a inflação é temporária”, explicou o sócio da Monte Bravo Investimentos, Bruno Madruga.

Sobre o movimento da bolsa brasileira, Madruga destacou que os índices mais beneficiados foram os de materiais básicos, bancos e imobiliário. “Esses setores tiveram bons desempenhos, sendo que as ações das empresas de shoppings elevaram o índice do setor e devolveram nesta sessão”, considerou.

Já para a próxima semana, segundo Madruga, o viés fica por conta de bancos centrais. “Na terça-feira, o Fed e o BCB começam suas reuniões de política monetária. Embora as decisões já estejam precificadas, os indicadores dos últimos dias poderão pesar nas projeções futuras. Aqui, por exemplo, o BCB já sinalizou uma alta de 0,75% na Selic, mas nós já estamos revisando essa alta com os dados da economia doméstica”, concluiu.

Operaram ganhos
Embraer ON, alta de 5,10%; BRF ON, alta de 3,94%; Sabesp ON, alta de 2,66%; Gerdau PN, alta de 2,68%; e Vale ON, alta de 2,24%.

Operaram com perdas
Iguatemi ON, queda de 4,00%; RaiaDrogasil ON, queda de 4,32%; Carrefour BR ON, queda de 3,98%; Ecorodovias ON, queda de 3,75%; e Cielo ON, queda de 3,65%.

Mais negociadas
Vale ON, alta de 2,24%; Petrobras PN, queda de 0,38%; Bradesco PN, queda de 0,39%:  Itaú Unibanco PN, queda de 1,18%; e B3, alta de 0,81%.

Carteira Teórica
Na Carteira Teórica do Índice Bovespa, que passou a vigorar de 03 de maio de 2021 a 03 de setembro de 2021, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (12,439%), Itaú Unibanco PN (6,095%), Petrobras PN (5,009%), B3 ON (4,878%) e Bradesco PN (4,720%).

Commodities
O petróleo referência Brent, nos contratos futuros, ficou em queda de 0,06% a US$72,65 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI, nos contratos futuros, ficou em alta de 0,70% aos US$70,78 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no Porto de Qingdao subiu 1,12% aos US$ 219,26 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?