Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas neste momento

Data de criação:

access_time 29/07/2020 - 11:56

Data de atualização:

access_time 29/07/2020 - 11:56
format_align_left 6 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta quarta-feira (29/07).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em alta de 0,45% aos 24.883. O índice Xangai, China, ficou em alta de 2,06% aos 3.294. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2,90% a 2.236. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 1,15% aos 22.397. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 0,37% aos 2.573. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,27% aos 2.263. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,10% aos 38.071. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,36% aos 12.540. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,23% aos 6.006.

As ações asiáticas ficaram sem direção nesta quarta-feira, com resultados financeiros de muitas empresas elevando o pessimismo devido às consequências econômicas da pandemia de coronavírus. O índice Nikkei 225 de Tóquio recuou, depois que a Fitch Ratings rebaixou sua perspectiva para o Japão para “negativa” de “estável”. “A pandemia de coronavírus causou uma forte contração econômica no país, apesar do sucesso inicial em conter o vírus”, disse a Fitch ao anunciar sua decisão. A montadora japonesa Nissan Motor viu as ações caindo 10,39%, depois do resultado do primeiro trimestre fiscal e projetando permanecer no vermelho pelo segundo ano consecutivo. Outras grandes empresas japonesas viram as ações despencando, como Canon no recuo de 13,45%. Sobre as tensões geopolíticas, a China anunciou nesta terça-feira a suspensão de acordos de extradição entre Hong Kong e Canadá, Austrália e Reino Unido. Os três países haviam adotado a mesma medida em semanas recentes depois da aprovação da nova Lei de Segurança Nacional para Hong Kong. Ainda pela região, os Estados Unidos e o Reino Unido demonstraram preocupações com o anuncio que as eleições em Hong Kong poderiam ser adiadas pelo grande número de infecções pela COVID-19.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em queda de 0,08% aos 367.44 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) segue em alta de 0,08% aos 6.133 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) segue em queda 0,16% aos 12.814 pontos; o CAC 40 (Paris) segue em alta de 0,65% a 4.961 pontos; o FTSE-MIB (Milão) segue em queda de 0,68% aos 19.767 pontos; o Ibex 35 (Madri) estava em queda de 0,73% a 7.193 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,09% a 4.411 pontos.

Na Europa, os índices das principais bolsas estão operando estressados nesta reta final das negociações. Estão pesando os resultados financeiros, a expectativa do final da reunião do Federal Reserve e também os números da pandemia de coronavírus. Nesta sessão, os balanços financeiros dos grandes bancos estão ajudando a azedar o humor do investidor. As ações do Barclays estão caindo 5%, depois de reportar o Ebitda pela metade no primeiro semestre, quando o credor registrou uma taxa de impairment de crédito de £ 3,74 bilhões (US $ 4,8 bilhões). O Barclays também alertou para um segundo semestre desafiador. As ações do Santander também estão recuando em mais de 5,2%, depois que o credor espanhol relatou uma perda maciça surpresa no segundo trimestre, ponderada por um prejuízo de € 12,6 bilhões (US $ 14,76 bilhões) decorrente do impacto econômico da pandemia. As ações do Deutsche Bank AG estão caindo também quase 5%, depois que o gigante alemão registrou perdas no segundo trimestre, mas uma receita mais alta com um forte desempenho de sua unidade de banco de investimento, apesar de as provisões para empréstimos duvidosos terem atingido o nível mais alto em mais de uma década (Veja detalhes logo mais). A agenda local estava enfraquecida e as moedas estão avançando. O euro estava em alta de 0,29% a US$1.1753 e a libra em alta de 0,37% a US$1.2977.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones estava em alta de 0,20% aos 26.430 pontos; o S&P seguia em alta de 0,68% aos 3.240 pontos; e o Nasdaq seguia em alta de 0,98% aos 10.503 pontos.

A bolsa de Nova York segue em alta nesta sessão, com a expectativa dos investidores para o final da reunião do Federal Reserve, enquanto aguardam também os resultados das negociações entre republicanos e democratas pelo novo pacote de estímulo. Existem divergências sobre gastos fiscais entre senadores republicanos depois das aprovações de três pacotes de estímulos. No front político é esperada com muita atenção pelo nome do vice-candidato Democrata, com Joe Biden afirmando que vai anunciar na semana que vem. Para hoje foram apresentados indicadores. O índice de dólar segue em queda de 0,22% a 93,49.

BRASIL: Ibovespa opera em alta de 0,97% aos 105.117 pontos. O dólar comercial opera em queda de 0,18% aos R$5,147 para a venda.

A bolsa de valores de São Paulo segue avançando nesta sessão, com a agenda econômica esvaziada. O investidor deve manter as compras durante esta manhã e ajustar no meio da tarde, com as expectativas para o final da reunião do Federal Reserve. Embora já é esperada a manutenção das taxas, o grande foco permanece na fala de Jerome Powell. Os balanços financeiros, que estão no topo das casas de análises, também deverão pressionar alguns papéis. O dólar segue perdendo força no âmbito global, com o ouro novamente em alta.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em alta de 0,94% aos US$44,02 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em alta 0,27% aos US$41,32 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em queda 0,16% a US$1.941,50 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 3,67% a US$110,57 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios de casas de análises e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?