Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ÍNDICES: Mercados acionários, moedas e agendas neste momento

Data de criação:

access_time 03/08/2020 - 12:22

Data de atualização:

access_time 03/08/2020 - 12:22
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários e das moedas para esta segunda-feira (03/08).

ÁSIA – Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,56% aos 24.458. O índice Xangai, China, ficou em alta de 1,75% aos 3.367. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 2,60% a 2.315. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,24% aos 22.195. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,78% aos 2.484. O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,07% aos 2.251. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 1,77% aos 36.939. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 1,20% aos 12.513. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou estável aos 5.926.

As bolsas de valores da Ásia ficaram sem direção nesta segunda-feira, enquanto investidores observavam casos crescentes de coronavírus na região. Além disso, as incertezas políticas entre a China e os Estados Unidos também ficaram entre os destaques. No fim de semana, as Filipinas informaram que o número de casos confirmados havia ultrapassado os 100 mil e as autoridades ordenaram um novo bloqueio. No estado de Victoria, na Austrália, Daniel Andrews, disse que um “estado de desastre” foi imposto com novas restrições relacionadas ao coronavírus. Em Melbourne foi decretado o toque de recolher, que já vigora desde de ontem. O horário determinado é entre as 20:00 até às 05:00. Por fim, no Japão, o PIB, de janeiro a março mostrou que a terceira maior economia do mundo encolheu a uma taxa anual de 2,2%. Na China, o índice Gerentes de Compras – PMI de Manufatura ficou em 52,8 em julho, sazonalmente ajustado, da alta em 51,2 de junho.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em alta de 2,02% aos 363.52 pontos em Londres; o FTSE-100 (Londres) segue em alta de 2,05% aos 6.019 pontos; o DAX 30 (Frankfurt) segue em alta de 2,73% aos 12.655 pontos; o CAC 40 (Paris) segue em alta de 2,11% a 4.884 pontos; o FTSE-MIB (Milão) segue em alta de 1,37% aos 19.357 pontos; o Ibex 35 (Madri) estava em alta de 1,36% a 6.970 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 1,27% a 4.350 pontos.

As ações europeias dão sinais de fechamento com ganhos nesta segunda-feira, abertura do mês de agosto, com a melhoria dos dados sobre a economia que ajudaram a compensar os resultados decepcionantes de dois gigantes financeiros, o HSBC Holdings e da Société Générale. O radar permanece nos Estados Unidos, com o novo pacote de estímulo, mas ainda com muitas incertezas entre democratas e republicanos. O índice de Gerentes de Compras – PMI da indústria da Zona do Euro avançou de 47,4 em junho a 51,8 em julho, superando as projeções do mercado (51,1). O euro reduziu as perdas frente ao dólar após da divulgação dos indicadores. As moedas operam o negativo. O euro estava em queda de 0,31% a US$1.1735 e a libra em queda de 0,45% a US$1.3024.

ESTADOS UNIDOS – Há pouco, o Dow Jones estava em alta de 0,49% aos 26.557 pontos; o S&P seguia em alta de 0,48% aos 3.286 pontos; e o Nasdaq seguia em alta de 0,98% aos 10.850 pontos.

Os índices da bolsa de Nova York operam com ganhos moderados, com apenas o Nasdaq sinalizando avanço. Os investidores monitoram as negociações em torno do novo pacote de estímulos no Congresso, além de balanços corporativos, bem como as ondas de contaminações por COVID-19 em diversos estados e seus reflexos sobre a atividade econômica. Na agenda, foi divulgado o ISM-manufatura de julho, que deverá ficar em 53,5, segundo as estimativas dos analistas de mercado.

BRASIL: Ibovespa opera estával aos 102.917 pontos. O dólar comercial opera em alta de 3,33% aos R$5,331 para a venda.

No mercado brasileiro, a bolsa de valores de São Paulo segue estável, com o cenário externo no foco depois da falta de acordo sobre o pacote de ajuda emergencial nos Estados Unidos. Em dia de agenda doméstica enfraquecida, o radar ficou no Boletim Focus, sem muitas alterações. As expectativas estão voltadas para a reunião do Banco Central do Brasil, que começa nesta terça-feira (04). A aposta majoritária de corte residual da Selic é de 0,25 p.p.. Hoje, ainda, a enxurrada de indicadores no cenário externo também está entre os destaques. De volta aos leilões, o BCB realiza swap tradicional, que equivale à venda de dólares no mercado futuro, com lote de 10 mil contratos e vencimentos para novembro de 2020 e março do ano que vem. Sobre a COVID-19, o número de infectados segue em alta, tanto no Brasil como no mundo.

Commodities

O petróleo referência Brent opera em alta de 0,71% aos US$43,83 o barril negociado na bolsa Mercantil de Futuros de Londres.

O petróleo WTI seguia em alta 1,14% aos US$40,76 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do ouro segue em alta 0,12% a US$1.988,20 a onça na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O preço do minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 4,93% a US$116,03 a tonelada seca.

*Por Ivonéte Dainese com relatórios de casas de análises e agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?