Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Wall Street fecha estável com Biden e Trump na disputa

Data de criação:

access_time 06/11/2020 - 19:46

Data de atualização:

access_time 06/11/2020 - 19:46
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os índices de peso de Wall Street fecharam perto da estabilidade. Sem apostar muito no candidato vencedor da eleição presidencial, os investidores mantiveram o ritmo de vendas e embolsando lucros depois de uma semana de ganhos.

Ao final, o Dow Jones ficou em queda de 0,24% aos 28.323 pontos. O S&P ficou estável aos 3.509 pontos. O Nasdaq ficou estável a 11.895 pontos. Na semana, o Dow Jones subiu 6,9%; o S&P 500 fechou em alta de 7%; e o Nasdaq subiu 9%.

Nesta sexta-feira, além das atenções no escrutínio dos votos, os investidores também analisaram os dados do Payroll, que subiu para 638 mil em outubro e a taxa de desemprego caiu para 6,9%. Um resultado positivo para o país que enfrenta a forte onda de coronavírus.

Nesta sessão, entre as ações com ganhos ficaram as da Uber (UBER), alta de 6,94%, depois que a empresa informou que as reservas brutas para seu negócio de entrega de alimentos ultrapassaram as de sua unidade principal de transporte de passageiros pelo segundo trimestre consecutivo.

Entre as ações com perdas ficou a Peloton Minerals, queda de 0,92%, depois que a empresa alertou sobre o aumento dos custos da cadeia de suprimentos e atrasos na entrega.

Entre as ações das gigantes de tecnologia com ganhos ficaram as da Microsoft, alta de 1,36%, e as do Netflix, alta de 0,19%. Na contramão ficaram as do Facebook, queda de 0,43%, as da Apple, queda de 0,11%, as da Alphabet, queda de 0,16%, e as da Amazon, queda de 0,32%.

Nos Estados Unidos, o total de empregos não agrícolas subiu para 638 mil em outubro, e a taxa de desemprego caiu para 6,9%, informou o Departamento do Trabalho. Em outubro, a taxa de desemprego caiu 1,0 ponto percentual, para 6,9%, e o número de pessoas desocupadas, caiu 1,5 milhão, para 11,1 milhões. Ambas as medidas caíram por 6 meses consecutivos, mas são quase o dobro dos níveis de fevereiro (3,5% e 5,8 milhões, respectivamente).

*Tradução ID de relatórios oficiais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?