Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

XP recomenda Copel com desdobramentos de ações

Data de criação:

access_time 15/03/2021 - 11:40

Data de atualização:

access_time 15/03/2021 - 11:40
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Os analistas da XP investimentos destacaram no relatório corporativo, desta segunda-feira (15/03),  os decisões da Copel, que reformulou o Estatuto Social e decidiu pelo desdobramento de ações, e as troca no comando da IMC.

Copel (CPLE6):

Na última quinta-feira (11/03) a Copel informou, via comunicado ao mercado, que a proposta de reforma do Estatuto Social da companhia foi aprovada.

A reforma do Estatuto Social foi proposta em 21/01 e contempla significativos avanços em governança corporativa, dentre eles destacamos: a adesão ao Nível 2 de Governança Corporativa da B3; o desdobramento de ações e o programa de UNITs;  a garantia de que o dispositivo estatutário que obriga a aplicação de reajustes tarifários autorizados pela ANEEL não possa ser alterado sem que haja a aprovação da maioria dos acionistas detentores de ações preferenciais, e mudanças na composição de membros do conselho de administração da companhia.

Destacamos que com a aprovação do Estatuto as ações na data 12/03 foram desdobradas na proporção de 1 para 10.  Ressaltamos que o desdobramento não implica em nenhum ganho ou perda para o acionista. A formação de UNITs compostas por 5 ações de emissão da Companhia, sendo 1 ON (CPLE3) e 4 PNB (CPLE6) também foi aprovada, no entanto, ainda não possui data prevista até o momento.

Temos uma visão positiva da reforma do Estatuto Social da Copel, pois sinaliza avanços bem-vindos em governança corporativa que ganham ainda mais importância após
elevação da percepção de risco após a divulgação da carta do acionista controlador da companhia em janeiro, o Governo do Estado do Paraná.”

A recomendação é de COMPRA com novo preço-alvo de R$7,5/ação.

IMC (MEAL3):

A IMC informou agora há pouco, por meio de Fato Relevante, a substituição do seu atual CEO, Newton Maia, por Alexandre Santoro, ex-presidente global da Rede Popeye’s, que deve assumir o cargo no dia 1 de abril de 2021.

Sob a gestão de Santoro, o Popeye’s se tornou uma das redes de fast-food de mais rápido crescimento no mundo. Em termos de carreira, o executivo também foi vice-presidente de operações e supply chain da Restaurant Brands International (RBI), holding das marcas Burger King e Popeye’s, além de ter exercido posições de liderança na XPO Logistics, uma operadora de logística americana, bem como passagens pela Ambev e na Danone.

Conforme destacado pela mídia, a troca de CEO é a primeira grande mudança na IMC depois que a UV gestora e a Faro Capital compraram 23% da IMC ao longo dos últimos meses. O nome de Santoro teria sido aprovado por unanimidade pelo Conselho de Administração da empresa, e sua chegada se dá em um momento importante para a companhia, que vem se preparando para a reabertura da economia, além de estar enfrentando o processo de arbitragem contra o KFC.

Em suma: vemos o anúncio com bons olhos na medida em que o novo CEO traz na bagagem vasto conhecimento de operações, bem como de marcas, de fast-food para a IMC. Esperamos que ele dê continuidade ao processo de simplificação de portfolio e aumento de rentabilidade que vinha sendo capitaneado por Maia. Por outro lado, seguimos cautelosos com a performance da empresa diante das disrupções geradas pela pandemia”, disseram.

A recomendação é NEUTRA ao preço-alvo de RS 4,00 por ação.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?