Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Bovespa não responde muito ao estímulo externo

Data de criação:

access_time 03/05/2021 - 18:39

Data de atualização:

access_time 03/05/2021 - 21:39
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Em dia de feriado em alguns países (China, Japão e Reino Unido) os demais mercados abertos responderam positivamente a indicadores anunciados e as expectativas para reabertura da economia e redução do isolamento social. Porém, a Bovespa não teve reação similar, apesar de ter conseguido manter alguma alta na abertura.

No exterior, os investidores reagiram positivamente à indicação de livre trânsito de pessoas já completamente vacinadas na zona do euro e também com os EUA conseguindo reduzir o número de internações e óbitos. Porém, isso não impediu estresse com os sucessivos recordes registrados na Índia em infecções, que deve ser amenizado pela ajuda externa e vacinas chegando ao país. Além disso, nas eleições de ontem o partido do primeiro-ministro, Narendra Modi, estava perdendo. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), Índia e Brasil foram responsáveis por mais da metade dos casos de infecção registrados na última semana.

Exceto pelo PMI da atividade industrial da Alemanha em desaceleração, todos os indicadores anunciados foram positivos e mostrando expansão da atividade. Nos EUA, o ISMI da atividade de Chicago também mostrou desaceleração em abril para 60,7 pontos, mas o PMI industrial teve alta para 60,5, bem de acordo com o esperado. Ainda nos EUA, os investimentos em construção é que cresceram somente 0,2% em março, com a projeção era de +1,8%.

Hoje o presidente Joe Biden defendeu em palestra seu pacote de investimentos sociais de US$ 1,8 trilhões investindo em pessoas e trabalhadores, com crescimento de baixo para cima e sem elevar o déficit fiscal, pois, será coberto por impostos de empresas de maior porte e das pessoas mais ricas. John Williams, do FED de NY, disse que a economia americana está posicionada para crescer rapidamente que espera forte alta do emprego nos próximos meses e PIB com +7% e inflação acima de 2% nos próximos meses de 2021. Jerome Powell disse que a situação está claramente melhorando, mas as pequenas empresas enfrentam dificuldades.

A Dinamarca anunciou que vai excluir a vacina da J&J, por conta de riscos maiores de coágulos, do que os benefícios produzidos. A Instituição JP Morgan calculou que o PMI global de abril subiu para 55,8 pontos, no maior patamar desde abril de 2010, consolidando a visão de que as economias estão ingressando em processo de recuperação.

No mercado o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 1,385%, com o barril cotado a US$ 64,46. O euro era transacionado em alta para US$ 1,206 e notes americanos de 10 anos com juros em queda para 1,593. O ouro e a prata com fortes altas na Comex e commodities agrícolas com ligeiro viés de queda na Bolsa de Chicago.

No segmento local, o relatório da reforma tributária está previsto para ser lido em comissão amanhã, mas prevalece a ideia de fatiar a reforma, começando pelas mudanças mais facilmente aceitas. Já o IPEA disse que os investimentos em fevereiro declinaram 1,1%. A Febraban computou que as concessões de crédito desde o início da pandemia cresceram para R$ 4,5 trilhões e a inadimplência de maro estava em 2,2%, mas com viés de alta.

A nova pesquisa semanal Focus, do Bacen, mostrou a inflação oficial novamente subindo para 5,04% (anterior em 5,01%) e a de 2022 subindo na margem para 3,61%. A Selic de 2021 ficou estável em 5,50% e a de 2022 em alta para 6,25%. O PIB estimado para o ano voltou a subir para +3,14% (anterior em 3,09% e 2022 em desaceleração para 2,31%). O dólar está previsto em R$ 5,40 para 2021 e 2022, e ficou estável em relação à semana anterior. A produção industrial de 2021 desacelerou para 5,03% e o saldo da balança comercial saltou em 2021 para US$ 64,0 bilhões, de anterior em US$ 59,0 bilhões. No mês de abril, como esperado o superávit subiu forte para US$ 10,35 bilhões, deixando o superávit acumulado do ano em US$ 18,26 bilhões.

No mercado, dia de dólar novamente em queda, fechando com -0,24% e cotado a R$ 5,418. Na Bovespa, na sessão de 29/04, os investidores estrangeiros retiraram recursos no montante de R$ 490,6 milhões, deixando o saldo do mês de abril ainda positivo em R$ 6,9 bilhões e o ano com ingresso líquido de R$ 19,1 bilhões.

No mercado acionário, dia de Bolsa de Londres sem operação, Paris com +0,61% e Frankfurt com +0,66%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,89% e 1,15%. No mercado americano, o Dow Jones com +0,70% e Nasdaq com -0,48%. Na Bovespa, dia de alta de 0,27% e índice em 119.209 pontos. A Bovespa só reagiu depois de declarações de dirigentes do FED e destaque positivo para o setor bancário, com Petrobras e Vale pesando.

Na agenda de amanhã teremos a divulgação do IPP da indústria de transformação de março e nos EUA, o saldo da balança comercial de março, as encomendas à indústria e discurso de Mary Daly, do FED de São Francisco.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?