Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Dança das cadeiras

Data de criação:

access_time 27/04/2021 - 18:33

Data de atualização:

access_time 27/04/2021 - 23:27
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O dia até que estava bastante comportado nos mercados de risco, mas dois eventos acabaram por transformar a tranquilidade em sofrimento de curto prazo. De um lado, a escalada dos juros dos treasuries americanos de depois do leilão de títulos de 7 anos. De outro, a dança das cadeiras na área econômica do governo. Resultado, a Bovespa acelerou perdas na parte da tarde e a possível melhora do mercado americano foi abortada.

No exterior, a União Europeia declarou que o Reino Unido não está cumprido os acordos pós-Brexit. Nos EUA, o governo vai relaxar o uso de máscaras para os imunizados que já tomaram a segunda dose, em locais arejados e sem muita aglomeração. Mas será mantido o uso em ambientes fechados e com aglomeração. Biden declarou que seu governo já obteve bons resultados na covid-19. Internações e óbitos seguem com estatísticas cadentes. O porta-voz do governo americano disse que Biden confirmou que vai pagar salário mínimo de US$ 15 por hora trabalhada para os terceirizados do governo.

A Rússia se mostrou favorável à manutenção dos planos atuais da OPEP sobre produção. Em março, houve cumprimento de 115% da meta de produção. No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 1,66%, com o barril cotado a US$ 62,94. O euro era transacionado em alta para US$ 1,209 e notes americanos de 10 anos com forte alta dos juros para 1,62%. O ouro em queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado em Qingdao registrou nova alta de 0,89%, com a tonelada em US$ 195,34. As ações da Vale capturaram isso, junto com o bom resultado divulgado do trimestre e assim isso ajudou a segurar a queda da Bovespa.

No segmento local, a preocupação se voltou para a defecção de membros da equipe econômica e algumas substituições que estão ocorrendo. O secretário Bruno Funchal, que mal conseguiu esquentar a cadeira do Tesouro, deve assumir a secretária especial de economia e vários outros membros decidiram se afastar ou foram afastados, como Waldery que deixa a secretaria. A percepção gerada foi que Paulo Guedes segue perdendo força e que essa foi a solução para abrir espaço para recriação de outros ministérios, com o predomínio do centrão dentro do governo. Agora certamente bem mais gastador.

O dia foi também de divulgação da prévia da inflação oficial de abril, com o IPCA-15 subindo 0,60% e acumulando alta em 2021 de 2,82%. Em 12 meses a inflação está em 6,17%, a maior taxa desde dezembro de 2016. Transporte foi o maior impacto no índice, mas a inflação de abril deve arrefecer ainda mais. Também foi noticiado que o volume de crédito externo para o Brasil desabou US$ 22,1 bilhões no ano de 2020, em parte pela pandemia e outra pela situação da economia e política.

No mercado, dia de dólar encerrando com +0,23% e negociado em R$ 5,46. Na Bovespa, na sessão de 23/04, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 595,1 milhões, deixando o saldo de abril positivo em R$ 6,43 bilhões e o ano de 2021 com ingresso no valor de R$ 18,6 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,26%, Paris com -0,03% e Frankfurt com -0,31%. Madri com alta de 0,63% e Milão com -0,17%. No mercado americano, o Dow Jones terminou o dia estável e o Nasdaq com -0,34%. Na Bovespa, dia de queda de 1%, índice em 119.388 pontos. Destaque para as ações da Vale e BTG.

Na agenda de amanhã teremos a confiança do consumidor e do comércio de março, a nota de mercado aberto e o relatório da dívida pública de março. Além de dados do Caged e do fluxo cambial da semana anterior. Nos EUA, o saldo da balança comercial de março, decisão do FED sobre juros, coletiva de Powell e ainda os estoques de petróleo da semana anterior.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?