Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Mercados aqui não reagem bem

Data de criação:

access_time 20/05/2021 - 18:53

Data de atualização:

access_time 20/05/2021 - 21:53
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O dia trouxe a reversão dos mercados na Europa e nos EUA, mas aqui acabou não havendo grande reação. Quadro político tenso, situação fiscal grave e inflação mostrando as garras. Esses são alguns dos ingredientes dessa letargia dos investidores. Se não bastasse, o Brasil está no mesmo rol problemático da África do Sul e da Turquia, outros dados indicam que os investidores globais puxaram o freio de mão com o país. No exterior, o dia foi marcado por boas recuperações nas Bolsas e queda dos juros dos notes, principalmente após o leilão de TIPs de 10 anos com baixa demanda.

Logo cedo a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) identificou que o PIB dos países membros desacelerou, crescendo somente 0,3% no primeiro trimestre. O FMI também declarou que a recuperação da Alemanha permanece incerta, mesmo com a vacinação ganhando impulso. Na Itália, o governo de Mario Draghi aprovou pacote de 40 bilhões de euros em estímulos para a economia.

Nos EUA, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior encolheram 34 mil posições para 444 mil pedidos, de previsão de 452 mil. Lá, Kaplan, do FED de Dallas, que é favorável ao debate antecipado da flexibilização monetária, disse que alguns fatores que impulsionam a inflação serão resolvidos e outros são incertos. Segundo ele, a política monetária precisa se adaptar aos desequilíbrios de oferta e demanda, e que é saudável avaliar a eficácia dos auxílios emergenciais.

O Tesouro americano divulgou relatório sobre medidas tributárias do pacote de US$ 1,8 trilhão pretendido por Biden. O diagnóstico é que a lacuna tributária aumentará a US$ 7 trilhões na próxima década se não for corrigida (hoje estimada em US$ 600 bilhões). Precisam de mudanças para reduzir a evasão fiscal e as criptomoedas são problemas na evasão. O plano é de quase US$ 80 bilhões adicionais. Fazendo coro com isso, o presidente do FED, Jerome Powell, declarou que a moeda digital deve servir como complemento e não como substituta do dinheiro.

No mercado internacional, mais um dia de queda forte do petróleo, com a notícia de que as potências ocidentais aceitam reverter sanções contra o Irã para acordo nuclear. O petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda de 2,11%, com o barril cotado a US$ 62,02. Isso acelerou perdas nas ações da Petrobras. O euro era transacionado em alta para US$ 1,222 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em queda para 1,619%. O ouro e a prata com quedas na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago. O minério de ferro também teve mais um dia de queda em Qingdao, de 1,99%, com a tonelada fechando em US$ 211,85.

No segmento local, a Receita Federal anunciou a arrecadação de abril em R$ 156,8 bilhões (+45,2% sobre igual período de 2020), acumulando no ano R$ 602,7 bilhões, com expansão de 13,6%. No mês, foi recorde de arrecadação com alta de 13,3%. As desonerações de abril foram de R$ 8,9 bilhões e no ano já somam R$ 30,9 bilhões. Paulo Guedes esteve presente na divulgação e disse que o crescimento em 2021 pode surpreender, falando dos acertos da política econômica, não elevação de impostos na pandemia, da vacinação acelerada e da abertura da economia. O secretário Sachsida disse que os resultados estão melhores que o previsto e os agentes do mercado já trabalham próximo do PIB crescendo mais para 5%.

Mas apesar desse otimismo das autoridades, a participação do Brasil nos fundos globais vem declinando sistematicamente e até mais que o conjunto dos emergentes. A participação de emergentes nesses fundos saiu de 8,5%, antes da pandemia, para 4,5%, enquanto o Brasil caiu de 0,45% para 0,21%. Já sobre Eletrobrás, passada a euforia da capitalização, os investidores penalizaram a empresa com queda forte na sessão de hoje, dados os problemas e a análise de que tarifas vão subir para consumidores, pessoas físicas e jurídicas.

No mercado, dia de dólar operando em queda no mundo e aqui, no fechamento mostrando -0,73% e cotado a R$ 5,28. Na B3, na sessão de 18/05, os investidores estrangeiros voltaram a aplicar recursos no montante de 434,6 milhões, deixando o saldo positivo de maio em R$ 8,06 bilhões e o ano com ingresso líquido de R$ 27,2 bilhões.

No mercado acionário, dia de reversão nas Bolsas europeias, com Londres em alta de 1%, Paris com +1,29% e Frankfurt com +1,70%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,59% e 0,88%. No mercado americano, o Dow Jones com alta de 0,55% e Nasdaq com +1,77%. Na B3, o dia foi quase todo de leve queda, para encerrar com +0,06% e índice em 122.704 pontos.

Na agenda de amanhã, teremos como destaque a divulgação de indicadores PMI para diferentes países em maio e as vendas de imóveis usados nos EUA de abril.

Boa noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?