Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Minério e petróleo deixam B3 diferente

Data de criação:

access_time 17/05/2021 - 16:00

Data de atualização:

access_time 18/05/2021 - 13:11
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A B3 teve um dia diferente de outros mercados acionários do mundo por conta da alta do minério de ferro na China e da recuperação do petróleo no mercado internacional. No geral, mercados acionários mais fracos no mundo realizaram lucros recentes com dólar também fraco, e aqui B3 com alta modesta, mas transitando pelo terceiro pregão seguido de valorização. Vale, siderúrgicas e Petrobras com bons desempenho garantiram.

No mundo, segue a preocupação com a possível expansão da inflação desequilíbrio na recuperação causando problemas de suprimento e demanda reprimida. Os países desenvolvidos falam disso, mas também indicam que são fatores, na maioria, transitórios. Isso traz preocupação adicional com o comportamento dos juros.

O vice-presidente do FED, Clarida, disse que o foco está na inclinação da curva de juros e não no nível em que se situam. Disse também que os efeitos sobre os países emergentes dependem do grau de vulnerabilidade de cada um, mas voltou a repetir que a maior parte da pressão inflacionária é transitória. Dirigentes do BOE (BC inglês) dizem que os gargalos aumentarão os preços. Essa mesma percepção pode se alongar para a situação do Brasil.

O presidente do FED de Atlanta entende que a inflação pode ser um sinal saudável da economia e não é o momento de considerar mudanças na política monetária. Os EUA e a União Europeia decidiram suspender tarifas temporariamente nas disputas pelo aço. A China decidiu isentar tarifas de 79 bens dos EUA e Canadá até 25/12/2021. Já o índice de atividade de NY de maio caiu para 24,3 pontos de previsão maior e anterior em 26,3 pontos.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 1,41%, com o barril cotado a US$ 66,29%. O euro era transacionado em alta para US$ 1,216 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,636%. O ouro e a prata mostravam fortes altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado em Qingdao na China registrou alta de 4,30% e a tonelada cotada em US$ 217,77%.

No segmento doméstico, a pesquisa semanal Focus do Bacen trouxe a inflação de 2021 novamente em alta para 5,15% (anterior em 5,06% e subindo também em 2022 para 3,64%. O Bom é que o PIB projetado para o ano também evoluiu para 3,45%, mas as novas projeções dos agentes do mercado já estão na casa ou pouco acima de 4,0%. O dólar de final do ano foi projetado em queda para R$ 5,30 e a produção industrial estável em 2021 em 5,50%.

Pela pesquisa Focus o saldo comercial de 2021 ficou estável e com superávit de US$ 64,0 bilhões e alta também em 2022 para US$ 56,5 bilhões. Já o saldo da balança comercial até a segunda semana de maio estava em US$ 4,8 bilhões, acumulando no ano superávit de US$ 23,04 bilhões. O monitor do PIB anunciado pela FGV para mar mostrou queda de 2,1% e no trimestre contra o anterior, alta de 1,7%.

No mercado, dia de dólar operando novamente com grande volatilidade e oscilando ente positivo e negativo, para fechar com -0,09% e cotado a R$ 5,26. Na B3, na sessão de 13/05, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 1,08 bilhão, deixando o saldo do mês com ingressos de R$ 5,87 bilhões e o ano com entradas líquidas de R$ 24,55 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda da Bolsa de Londres de 0,15%, Paris com -0,28% e Frankfurt com -0,13%. Madri e Milão tiveram altas de respectivamente 0,11% e 0,39%. No mercado americano o Dow Jones com queda de -0,16% e Nasdaq com -0,38%. Na B3, dia de +0,87% e índice em 122.937 pontos.

Na agenda de amanhã teremos o IPC da Fipe da segunda quadrissemana de maio, na zona do euro o saldo comercial de março e revisão do PIB do primeiro trimestre e nos EUA a construção de novas residências e permissões e novos discursos de dirigentes do FED.

Boa Noite!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?