Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Resumo da Semana de 15 a 19/03 – Vacinas salvam

Data de criação:

access_time 19/03/2021 - 19:35

Data de atualização:

access_time 19/03/2021 - 22:35
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Vacinas contra a covid-19 salvam a população mundial, mas também salvaram hoje o mercado local. O dia foi certamente de boas notícias sobre a imunização no país, com o anúncio de mais vacinas sendo disponibilizadas para aplicação, mas sobretudo pela divulgação de contrato fechado pelo país de compra de 138 milhões de doses da Pfizer e Jansen. Além disso, há também vacinas de origem da distribuição do consórcio Covax Facility, da OMS (Organização Mundial da Saúde). A Bolsa conseguiu, depois disso, engatar alta mais consistente, chegando a romper novamente o patamar de 116 mil pontos do Ibovespa.

No exterior o dia foi ainda complicado, não só pela enorme volatilidade dos treasuries americanos, com os de 10 anos vazando 1,74%, mas também pela tensa reunião entre os EUA e a China com acusações, mas com a Casa Branca reiterando o diálogo com os chineses. Da mesma forma que os americanos aplicaram sanções contra autoridades de Hong Kong, a China passou a comprar mais petróleo do Irã e Venezuela, em desafio aos EUA.

O grupo das sete maiores economias (G-7) concorda em injetar recursos em países pobres, via instrumento do FMI. Já o FED e o BCE (BC europeu) estudam e devem decidir sobre lançamento de moeda digital, e convivência com a moeda física. Já a Arábia Saudita foi novamente atacada por drones em suas instalações de petróleo, sem vítimas segundo se sabe, mas provocando alta do petróleo no mercado internacional depois de seis dias seguidos de queda e ontem com desvalorização de mais de 8%.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 2,65%, com o barril cotado a US$ 61,59, e por conta de notícias sobre aumento de consumo de gasolina. O euro era transacionado em leve queda para US$ 1,19 e notes americanos de 10 anos cedendo das máximas para taxa de juros de 1,72%. O outro em alta e a prata em queda na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na bolsa de Chicago.   O minério de ferro é que teve dia de forte queda em Qingdao na China, caindo 3,14% e fechando com a tonelada em US$ 161,39.

No segmento doméstico, Bolsonaro teve encontro com o ministro Fux do STF e negou decretar estado de sítio no país. Bolsonaro também vetou recursos da União para levar a Internet para as escolas públicas. Além disso repetiu seu mantra preferido de que “em qual país não morre gente?” Completando que “em todos”. Criticou decisão do prefeito do Rio de Janeiro de fechar até as praias, dizendo que a vitamina D é forma de evitar o vírus. Em outra declaração disse que o seu exército não vai para a rua cumprir decreto de governadores, e foi muito criticado por essa fala.

O ministro Paulo Guedes em pronunciamento gravado para o exterior falou que com os novos marcos setoriais, o Brasil se tornou a maior fronteira para investimentos do mundo, quer reduzir o custo logístico com cabotagem e ferrovias e que a segunda onda da covid-19 se espalha rapidamente e é mais mortífera. Repetiu que a vacinação em massa é o que vai resolver, e arrematou dizendo que o PIB já cresce quase igual ao período pré-pandemia.

Já a FGV divulgou que a confiança da indústria encolheu 4 pontos em março para 103,9 pontos e a utilização da capacidade encolheu para 78,4%, de anterior em 79,1 pontos. O dólar oscilou muito, novamente, com queda acentuada ao longo do dia, para encerrar em -1,51% e cotado a R$ 5,485. Na Bovespa, na sessão de 17/03, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 1,25 bilhão, deixando o saldo líquido do mês de março ainda negativo em R$ 1,51 bilhão, mas com ingresso líquido em 2021 de R$ 15,26 bilhões.

No mercado acionário, o dia foi de queda das principais Bolsas europeias, com Londres em queda de 1,05%, Paris com -1,07% e Frankfurt com -1,05%. Madri e Milão com perdas de respectivamente 1,53% e 0,66%. No mercado americano o Dow Jones com -0,71% e Nasdaq com +0,76%. Na Bovespa dia de alta de 1,21% e índice encerrando em 116.221 pontos.

Resumo da Semana:

IBOVESPA: +1,80%

DOW JONES: -0,45%

NASDAQ: -0,78%

DÓLAR: -1,34%

PETRÓLEO WTI: -6,15%

Bom final de semana.
Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?