Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Contra tudo temos vacina

Data de criação:

access_time 19/01/2021 - 09:27

Data de atualização:

access_time 19/01/2021 - 13:14
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Ontem foi dia de investidores e população assistirem as entregas de vacinas CoronaVac contra o covid-19, depois de muitas disputas de quem seria o pai desse filho bonito e tão aguardado. Tivemos problemas de logística na distribuição pelos Estados dos lotes, mas no final temos algumas poucas doses para serem ministradas na população. São Paulo teve que suspender o cronograma, por conta da entrega para o ministério da Saúde.

Ontem, feriado nos EUA de Martin Luther King, os mercados operaram diante de fraca liquidez e com falha precificação dos ativos. Ainda assim, a Bovespa conseguiu recuperar parte das perdas da semana anterior e encerrou com alta de 0,74% e índice em 121.241 pontos, e dólar terminando estável depois de muitas oscilações e cotado a R$ 5,30.

Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com boas altas, exceto Xangai com -0,83%. Europa começando o dia com altas, mas já afastada das máximas e indo para campo negativo e futuros do mercado americano, na volta do feriado, mostrando altas. Aqui deveríamos buscar superar a faixa de 122.500 pontos do Ibovespa e tentar abrir objetivo em 125.000 pontos que foi perdido, mas vamos precisar de fluxo constante para aliviar pressões vendedoras.

No exterior, o FBI investiga agentes que participarão da posse de Joe Biden amanhã pela possibilidade de ataque interno. Já Janet Yellen (ex-FED) e designada secretária do Tesouro participa de audiência no Congresso e deve defender medidas robustas de estímulo fiscal e dólar forte. Biden busca ser a antítese do que foi Donald Trump no poder, e, portanto, deve ser mais previsível. Na Alemanha, Angela Merkel, primeira ministra, defende home office prolongado para evitar maior contágio pelo vírus.

Ainda na Alemanha, foi divulgado o CPI (consumidor) de dezembro com alta de 0,5%, mas na comparação anual mostrou deflação de 0,3%. Lá, o índice Zew de expectativas econômicas de janeiro subiu para 61,8 pontos, de esperados 59,0 pontos. O índice das condições atuais também melhorou para -66,4 pontos.

A AIE- Agência Internacional de Energia, cortou a previsão de demanda global por óleo no primeiro trimestre em 600 mil barris dia, divulgou queda dos estoques de petróleo no quarto trimestre de 2,6 milhões de BPD e disse que o pacto da OPEP sobre produção em dezembro atingiu 100%. A Arábia Saudita manteve a produção e a Rússia elevou. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,21%, com o barril cotado a US$ 52,47. O euro era transacionado em alta para US$ 1,213 e o ouro e a prata com altas na Comex. Commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

Aqui, Paulo Guedes torce pela vitória de Arthur lira para a presidência da Câmara para reapresentar projeto da nova CPMF, segundo o noticiário e o candidato Baleia Rossi, oponente ligado a Rodrigo Maia. São Paulo teve a pior semana desde o início da pandemia e o ministro Pazuello disse que os problemas de logística na entrega dos lotes de vacina deveu-se a antecipação pedida pelos governadores.

Na economia, a FGV anunciou que a segunda prévia do IGP-M de janeiro subiu para 2,37%, bem superior ao esperado (anterior em 1,18%), acumulando alta em 12 meses de 25,46%. O IPA-M subiu 3,08% e IPC-M com +0,42%. O IPA agrícola caiu 1,43%, mas o industrial subiu 44,99%, com matérias primas brutas em alta de 5,71%.

Na agenda. foco em Yellen, do Tesouro americano, e na safra de resultados do quarto trimestre de empresas O dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.

Bom dia e bons negócios.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?