Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Dia começando ruim nos mercados globais

Data de criação:

access_time 11/05/2021 - 10:35

Data de atualização:

access_time 11/05/2021 - 13:35
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Ontem os mercados abertos na parte da tarde desaceleraram, com o Dow Jones fechando em queda de 0,10%, após bater novo recorde de pontuação no intraday. O Nasdaq operou fraco, por conta de quedas das ações de tecnologia e perdeu 2,55%. Aqui, a B3 encerrou com queda de 0,11% e índice em 121.909 pontos, com dólar praticamente estável e cotado a R$ 5,23.

Hoje, os mercados da Ásia terminaram o dia majoritariamente com perdas e destaque negativo para a Bolsa de Tóquio com -3,08%. Bolsas da Europa operavam neste início de manhã com quedas superiores a 2% e futuro do mercado americano também no campo negativo. Aqui podemos realizar lucros recentes seguindo o exterior, mas seria bom não perder o patamar de 120 mil, sob pena de desacelerar ainda mais.

Durante a madrugada, a China anunciou a inflação do mês de abril, com o CPI (consumidor) na comparação anual em alta de 0,9% e o PPI (atacado) com alta na mesma base de 6,8%. A Austrália divulga hoje seu orçamento, contendo bom volume de investimentos para relançar a economia. Na Alemanha o índice ZEW de expectativas econômicas subiu para 84,4 pontos, de previsão de ficar em 71 pontos. O de condições atuais também subiu, mostrando que o segundo semestre deve ser bastante forte na recuperação.

Nos EUA, os Republicanos estão dispostos a discutir um pacote de infraestrutura maior do que o já aceito de US$ 568 bilhões, que o presidente Biden achou modesto. Os EUA, pelo FDA, também aprovaram a aplicação de vacinas da Pfizer em adolescentes.

No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava queda de 0,88%, com o barril cotado a US$ 64,35. O euro tinha alta para US$ 1,216 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em alta para 1,612%. O ouro e a prata mostravam altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

No segmento local, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, conversa com o ministro Paulo Guedes sobre o futuro da reforma tributária, enquanto Arthur Lira, presidente da Câmara, diz que a reforma será possível e sugere que seja feita em etapas. Deputados da oposição se articulam para criar uma CPI para investigar o orçamento secreto de Bolsonaro, já apelidado de tratoraço, por conta de equipamento superfaturados.

A ata do Copom veio em perfeita sintonia com o comunicado indicando inflação em 2021 de 5,1% e em 2022 de 3,4%, levemente abaixo da meta. Fala também que a reflação em países torna o ambiente desafiador para os países emergentes, mas prevê segundo semestre de forte recuperação. Mas o setor de serviços mostra dificuldades de recuperação e os riscos fiscais são elevados. Projeta nova alta da Selic de 0,75%, mas não se compromete com isso dependendo do balanço de risco e resposta da economia.

O governo também divulgou MP abrindo recursos para compra daquelas 100 milhões de doses da Pfizer e para distribuição das vacinas da Astrazeneca. Já a Fipe, anunciou o IPC da primeira quadrissemana de maio em desaceleração para 0,35%, vindo no mês anterior de 0,44%.

O dia ainda incorpora indicadores com capacidade de mexerem com os mercados, mas a expectativa inicial é de B3 em queda, dólar ainda fraco e juros em queda.

Bom dia e bons negócios!

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?