Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Dia depende dos dados de conjuntura

Data de criação:

access_time 15/01/2021 - 09:35

Data de atualização:

access_time 15/01/2021 - 12:38
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A agenda pesada do dia, com capacidade de influir nos mercados, o vencimento de derivativos no mercado local e a avaliação do pacote de estímulos anunciado por Biden, vão dar o tom dos mercados de risco na sessão de hoje.

Antes disso, ontem foi dia de mercados acionários fracos no mundo, mas com a Bovespa reagindo depois das quedas anteriores das ações líderes, como Petrobras, Vale e Bancos. A Bovespa encerrou em alta de 1,27%, com índice em 123.480 pontos, o Dow Jones em queda de 0,22% e Nasdaq com – 0,12%. Dólar fraco no exterior e aqui também, encerrando com queda de 1,90% e cotado a R$ 5,21.

Investidores seguem preocupados com a expansão do covid-19, com lockdowns em países, toque de recolher na França e Suécia, com recorde de óbitos. Aqui nem vale comentar os atrasos em vacinas, o caos no Amazonas com UTIs lotadas e falta de oxigênio, e já computando 207.095 óbitos e 8,3 milhões de contaminados.

Hoje, mercados da Ásia encerraram a semana com viés de queda, Europa operando no negativo neste início de manhã e futuros do mercado americano também em queda, mas já saindo das mínimas do dia. Aqui, ainda buscamos objetivo de recuperar o patamar de 125.000 pontos, mas vamos precisar de manutenção de fluxo de recursos carreados e passar pelo vencimento de derivativos, que sempre trazem volatilidade.

Também começa safra de balanços do quarto trimestre, e hoje saem resultados do JP Morgan, Wells Fargo e Citigroup. Joe Biden, em comunicado, anunciou pacote de estimulo fiscal de US$ 1,9 trilhão, complementando cheque cidadão com mais US$ 1.400 e perfazendo US$ 2.000, investimentos em infraestrutura, geração de emprego, ajuda para pequenos negócios e empresas afetadas e recursos para abertura com segurança de escolas e universidades. Os investidores ainda avaliam os efeitos na recuperação da economia.

No Reino Unido, as vendas no varejo de novembro encolheram 0,1%, quando o previsto era expansão zero. Na zona do euro, o saldo da balança comercial mostrou superávit em novembro de 25,8 bilhões de euros, fruto de exportações com +2.0% e importações com +2,4%. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 1,49%, com o barril cotado em US$ 52,77. O euro era transacionado em queda para US$ 1,214 e ouro e prata com quedas na Comex. Commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

Aqui, Bolsonaro fez live junto com Pazuello, da Saúde. Falaram sobre vacinas e problemas no Amazonas, e ainda não existe definição sobre a permanência ou não do presidente do BB no cargo, André Brandão. O IGP-10 de janeiro mostrou desaceleração para 1,33% (de anterior em 1,97%), mas em 12 meses a taxa está em 24,49%.

A agenda cheia tem capacidade de mexer com os mercados, mas começamos o dia com expectativa de Bovespa tentando a recuperação, caso os mercados melhorarem no exterior. Dólar fraco e juros em queda.

Bom dia e bons negócios.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?