Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Dois presidentes no foco

Data de criação:

access_time 11/01/2021 - 09:58

Data de atualização:

access_time 11/01/2021 - 13:00
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

A semana começa com tensão entre os investidores por conta de pressões contra Donald Trump e Bolsonaro. Antes disso, a semana passada se notabilizou por batimento de recordes em mercados acionários. A Bolsa de Tóquio atingiu pontuação que não aconteceu nos últimos 30 anos. Recordes de pontuação ainda para os três principais indicadores do mercado americano e também para a Bovespa. O Ibovespa encerrou a semana passada com valorização de 5,09% e índice em 125.076 pontos, o Dow Jones com +1,60% e Nasdaq com +2,42%. O dólar por aqui esteve sempre pressionado e terminou o período com alta de 4,35%, cotado a R$ 5,42.

A nova semana começa com tensão pela expansão do covid-19 e nova cepa ainda mais contagiosa e, principalmente, por pedido de renúncia ou impeachment de Donald Trump. Aqui, também com discussões abertas sobre impeachment de Bolsonaro pela oposição. O candidato da oposição para presidência da Câmara, Baleia Rossi, tentou suavizar o discurso e foi cobrado por Gleisi Hoffmann sobre acordo escrito para apoio onde constava isso.

Já nos EUA, alguns deputados republicanos pediram que o presidente renuncie. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, indicou que vai seguir com o processo de impeachment a partir de hoje, e querem votar durante a semana.

Na China, durante a madrugada, tivemos a divulgação da inflação medida pelo CPI (consumidor) de dezembro com +0,7% e inflação em 2020 de 2,50%. Já o PPI (atacado) de dezembro teve alta de 1,1%, mas mostrou deflação em 2020 de 1,8%. No Japão, foi descoberta variante do covid-19 com brasileiro infectado, na Alemanha os mortos já são 40.000 e, na Bélgica, 20.000. Aqui, os óbitos já passaram de 203.000, e os contaminados passam de 8,1 milhões. No mundo os infectados também passam de 90 milhões e a China voltou a fechar algumas regiões por aumento de contágio.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava queda de 0,82%, com o barril cotado a US$ 51,81, depois do forte rali de alta da semana anterior de +7,94%. O euro mostrava queda para US$ 1,216 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros em alta para 1,10%. O ouro e a prata tinham altas nessa manhã na Comex, e commodities agrícolas com viés de baixa na bolsa de Chicago.

As bolsas asiáticas encerraram o dia com quedas, Europa também com desvalorizações e tentando recuperar um pouco, e futuros do mercado americano também operando no campo negativo neste início de manhã. Aqui, devem os seguir a tendência internacional e realizar lucros recentes. Seria preciso que houvesse ingresso forte de recursos para absorver a pressão vendedora.

O ministério da Justiça quer abrir inquérito para averiguar sugestão de suicídio de Bolsonaro escrito por Ruy Castro e repercutido por Ricardo Noblat. Já a bancada ruralista fechou apoio para o candidato Baleia Rossi, também averiguado por corrupção e delação premiada. Segundo estudo, o término do auxílio desemprego pode deixar 3,4 milhões de brasileiros em extrema pobreza.

Na agenda do dia teremos a nova pesquisa semanal Focus do Bacen, o saldo da balança comercial na semana anterior nos EUA e discursos de dirigentes regionais do FED (Bostic, de Atlanta, e Kaplan, de Dallas). Nossa expectativa é de Bovespa em queda seguindo exterior, dólar ainda pressionado e juros também.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?