Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Governo acuado e investidores tensos

Data de criação:

access_time 29/03/2021 - 09:37

Data de atualização:

access_time 29/03/2021 - 12:37
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Na semana passada, a Bovespa encerrou com queda acumulada de 1,23% e índice em 114.780 pontos e, com isso, o ano segue negativo em 3,56%. O real também esteve bastante pressionado e com volatilidade e terminou a semana com desvalorização de 5,03%.

A nova semana começou e terminou melhor na Ásia, com mercados em alta. Europa trabalhando com comportamento misto e viés mais para positivo e mercados americanos com quedas nesse início de manhã.

Aqui começamos a semana com forte tensão, com o governo acuado e muito pressionado por diferentes segmentos da sociedade e vamos precisar de notícias positivas para conseguir manter a alta da última sexta-feira, principalmente no que tange à vacinação da população e atendimento hospitalar, orçamento de 2021 com Senado irado sobre as declarações de Ernesto Araújo.

No segmento externo a agenda é fraca e seguimos com feriado prolongado, que tira um pouco da pressão com muitos viajando. Tivemos nessa madrugada boas notícias de movimentação do navio encalhado no canal de Suez e expectativa de maré alta, o que concorre para a possibilidade de começo de normalização de fluxo, reajuste dos fretes (subiram muito); melhorando a expectativa de nossas exportações, notadamente de proteínas, que foram bastante afetadas.

Tensão também ampliando entre os EUA e a China, principalmente após anúncio de cooperação com o Irã e pesados investimentos pretendidos.

No mercado internacional, o petróleo WTI mostrava queda de 0,52%, com o barril cotado a US$ 60,65. O euro era transacionado em queda para US$ 1,177 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros também em queda para 1,655. O ouro e a prata tinham quedas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto.

Aqui, a equipe econômica ameaça recorrer ao TCU sobre pedaladas no orçamento de 2021 e com declarações de que é inexequível, com Paulo Guedes indo nessa linha e ameaças de demissões. Um grupo de parlamentares também vai questionar no TCU. Segundo levantamento, restariam R$ 49 bilhões de discricionárias e o governo teria que cortar despesas em mais de 51%. Enquanto isso, as emendas parlamentares subiram para cerca de R$ 48,8 bilhões.

O Senado também faz enorme carga contra o chanceler Ernesto Araújo, que entrou em briga pelas redes sociais com Kátia Abreu sobre tecnologia 5G. Ernesto foi chamado de bandido, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que o ministro afrontou todo o Senado. Vai ser difícil sustentar o ministro.

A agenda do dia é fraca no exterior e aqui teremos a confiança do segmento de serviços de março, a nova pesquisa semanal Focus do Bacen, a nota de política monetária de fevereiro e dados do Caged. Nos EUA, o índice de atividade de Dallas de março.

Expectativa para o dia é de Bovespa com espaço para recuperar, mas vai depender do noticiário local e internacional, dólar ainda pressionado (mesmo com alguma possibilidade de realizações curtas) e juros em alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?