Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Investidores pesando na balança

Data de criação:

access_time 25/02/2021 - 10:07

Data de atualização:

access_time 25/02/2021 - 13:07
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Ontem foi mais um dia de recuperação na Bovespa liderada pelas ações de Petrobras, com fechamento do Ibovespa com +0,38% e índice em 115.667 pontos, após ter vazado a faixa de 116.200 pontos durante a sessão. Mas houve muita volatilidade nos preços dos ativos, incluindo também o câmbio e juros.

Hoje os mercados locais começam o dia tendo que pesar na balança o resultado recorde de Petrobras de R$ 59,9 bilhões (com reversão de impairment), mas ainda assim, recorde em real e dólares, e avaliando o show off do governo atravessando a Esplanada, para entregar o projeto de privatização dos Correios sacado às pressas da gaveta para cobrir o ruído de Petrobras, assim como foi feito na véspera com Eletrobras.

Esses processos ainda vão demorar e devem ser alterados.
Terão que julgar também a admissão pelo Senado de que a PEC Emergencial pode ser fatiada e só sair agora o auxílio emergencial e sem expectativa de contrapartida de cortes. O Brasil nunca soube cortar custos, mas sabe bem ampliar impostos.

Porém, mercados no exterior ajudam na melhora das condições dos mercados. As Bolsas asiáticas encerraram o dia com fortes altas, Europa operando no positivo e até acelerando desde o início da manhã e futuros do mercado americano ainda com comportamento misto, mas tentando buscar melhora. Aqui, é possível seguir essa tendência e tentar buscar superar a meta acima de 118 mil pontos nos próximos pregões.

Investidores no mundo incorporam o otimismo produzido pela imunização crescente das populações e quedas no contágio e hospitalizações. Isso atua positivamente na recuperação e restrições de contato social, como deseja o governo britânico. Na Alemanha, o índice GFK de confiança do consumidor de março subiu para -12,9 pontos, de previsão de ficar em -14,5 pontos. Na zona do euro, o índice de sentimento econômico também subiu para 93,4 pontos, de previsão de 91,6 pontos.

Na Coreia do Sul o banco central manteve a taxa de juros básica estabilizada em 0,50%. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,30%, com o barril cotado a US$ 63,41. O euro era transacionado em US$ 1,222 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,38%. O ouro tinha nova queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas com comportamento de alta na Bolsa de Chicago.

Aqui, a FGV anunciou o IGP-M de fevereiro em desaceleração para +2,53% (anterior em 2,58%), deixando a inflação de 2021 com +5,17% e em 12 meses com +28,94%. A confiança do comércio subiu 0,2 ponto, para 91 pontos. O IPC da Fipe da terceira quadrissemana de fevereiro também desacelerou para 0,36%. A GM anunciou a paralisação das atividades na fábrica de Gravataí por falta de peças e as medidas de ajustes e reformas vão sendo sistematicamente retardadas, numa janela curta para mudanças.

A agenda do dia está lotada de eventos com capacidade de mexer com os mercados. Teremos a nota de política monetária e mercado aberto, e o resultado primário do governo central. Nos EUA, as encomendas de bens duráveis, pedidos de auxílio-desemprego, nova avaliação do PIB do quarto trimestre e discursos de vários dirigentes do FED ao longo do dia.

Expectativa para o início do dia é de Bovespa se mantendo em recuperação, dólar e juros mais fracos.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?