Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Noite de Bolsonaro

Data de criação:

access_time 19/02/2021 - 10:18

Data de atualização:

access_time 19/02/2021 - 13:18
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Ontem a Bovespa terminou o dia com queda de 0,96% e índice em 119.199 pontos, enquanto o dólar fechou em alta de 0,48% e cotado a R$ 5,44. Os mercados no exterior também não ajudaram muito e o petróleo em queda afetou as ações de Petrobras por aqui.

Mas a noite acabou sendo de Bolsonaro em sua live de todas as quintas-feiras, ameaçando a Petrobras e seu presidente Castelo Branco, dizendo que haverá consequências da fala de que a empresa não tem nada com os caminhoneiros. Bolsonaro também anunciou que vai retirar impostos federais sobre o diesel por dois meses e do gás eternamente, e aparentemente, isto estaria combinado com seu ministro Paulo Guedes. Também reclamou do dólar acima de R$ 5, dizendo que com reformas seria esse o patamar.

Pode haver consequências na Petrobras, mas certamente haverá consequências para os mercados na abertura de hoje. Ruim para uma empresa que possui investidores em todo o mundo.

Hoje mercados da Ásia terminaram o dia com comportamento misto, Europa ainda tentando definir tendência, mas um pouco melhor que na abertura e futuros do mercado americano operando em alta nesse início de manhã. Aqui, ainda sem definição, operando na faixa entre 118 mil pontos e 120.500 pontos, onde teríamos movimentos mais consistentes.

Ontem, no final do dia, a secretária do Tesouro americano Janet Yellen disse esperar progresso do pacote fiscal nas próximas duas semanas que deveria ser o mais amplo possível para apoiar a economia. Acrescentou que a cicatriz econômica é risco maior que a inflação e que os cheques distribuídos ajudarão na economia e famílias, e que a poupança pode trazer maior gasto.

Já Joe Biden discursa hoje na reunião do G-7 e deve anunciar reintegração no acordo climático de Paris. O dia também está sendo de divulgação de indicadores PMI para diferentes países em fevereiro. Na Alemanha, o PMI composto subiu para 51,3 pontos, o industrial em alta para 60,6 pontos e contração no de serviços para 45,9 pontos. Na zona do euro, o composto em 48,1 pontos, industrial em 57,7 pontos e serviços caindo para 44,7 pontos. No Reino Unido, alta do composto para 49,8 pontos, industrial em 54,9 pontos e serviços em 49,7 pontos. Tivemos boa recuperação na indústria e serviços ainda bem fraco, lembrando que indicadores abaixo de 50 pontos mostram contração da atividade.

Ainda na Alemanha, o PPI (atacado) de janeiro mostrou alta da inflação para 1,4%, mas na comparação anual tem alta de 0,9%. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava nova queda de 1,78%, com o barril cotado a US$ 59,44. O euro tinha alta para US$ 1,21 e notes americanos de 10 anos voltando para juros de 1,30%. O ouro em leve queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas com altas na Bolsa de Chicago.

Aqui, Bolsonaro nada falou em sua live sobre os mais de 10 milhões de infectados e quase 244 mil óbitos, com 5,6 milhões de vacinados e a PF descobriu dois celulares na cela do deputado preso. O Brasil também busca captar recursos nos EUA para combate ao desmatamento e quer antecipar o 13 salário e abono para estimular a economia.

A agenda do dia que ainda resta é fraca e vamos ficar ao sabor do noticiário e reações sobre Petrobras e a live de Bolsonaro. Com os mercados melhorando no exterior, é possível que o efeito danoso seja menor, mas a Bovespa abre pressionada, assim como o dólar, e com juros com viés de alta.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?