Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Velas ao vento

Data de criação:

access_time 18/05/2021 - 10:04

Data de atualização:

access_time 18/05/2021 - 13:04
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Ontem a B3 andou na contramão dos principais mercados acionários do mundo e fechou com valorização de 0,87% e índice em 122.937 pontos, após ter vazado 123 mil durante a sessão. Dólar fechou com leve queda de 0,09% e cotado a R$ 5,266. Mercados nos EUA terminaram o dia com quedas, o mesmo acontecendo na Europa.

Hoje, o apetite ao risco retorna aos mercados e os investidores buscam barganhas. Mercados da Ásia terminaram o dia com boas altas e destaque para Tóquio com +2,09%. Europa operando no campo positivo desde o início e conseguindo manter, futuros do mercado americano também com altas, além das commodities agrícolas na Bolsa de Chicago. Aqui, devemos seguir a tendência internacional, vazar a leve resistência na faixa de 123.300 pontos, e buscar o objetivo do recorde conquistado em janeiro de 125.300 pontos.

Investidores acordaram menos preocupados com o comportamento da inflação em países desenvolvidos, valorizando as reaberturas das economias e o crescimento mais acelerado que o previsto, liderado por China e EUA e puxando também a Europa. Mas a inflação vai seguir no radar das preocupações e olhando para o comportamento da inclinação da curva de juros.

No Japão, durante a madrugada tivemos a divulgação do PIB do primeiro trimestre com queda real de 1,3%, de previsão de -1,2%. Na zona do euro, o PIB do primeiro trimestre encolheu 0,6%, na comparação anual com contração de 1,8%, na segunda recessão técnica em um ano e meio (dois trimestres seguidos de contração). Lá, o superávit na balança comercial de março foi de 13 bilhões de euros, fruto de exportações em queda de 0,3% e importações encolhendo 5,6%.

Nos EUA, o presidente Biden vai compartilhar 20 milhões de doses de vacinas com países e discute e apoiar o cessar-fogo entre Israel e o Hamas. No mercado internacional, o petróleo WTI, negociado em NY, mostrava alta de 0,74%, com o barril cotado a US$ 66,76. O euro era transacionado em alta para US$ 1,22 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,65%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas em alta na Bolsa de Chicago.

Aqui, dia tenso com a CPI do covid-19, com o depoimento de Ernesto Araújo, seguido amanhã por depoimento do ex-ministro da Saúde, Pazuello. Já a MP da Eletrobrás, que contém algumas “pegadinhas” que os investidores não gostaram, pode ser votada entre hoje e amanhã.

Levantamento feito com os resultados das empresas (268 companhias) no primeiro trimestre (excluídas Petrobras, Vale e Suzano que destorcem a análise) mostrou expansão de lucros de 245,7%, atingindo R$ 33,2 bilhões, o que comprova nossa percepção passada aos clientes de que a safra seria positiva. Também tivemos a divulgação do IPC da Fipe da segunda quadrissemana de maio com a inflação desacelerando para 0,28%, de anterior em 0,35%.

A agenda do dia é fraca tanto aqui como no exterior, portanto, vamos ficar por conta do noticiário político. Nos EUA, teremos as construções de novas residências, permissões concedidas e discursos de dirigentes do FED. Expectativa para o dia de B3 em alta, dólar fraco e juros em queda.

Bom dia e bons negócios!

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?