Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

ANÁLISE: Setor de Serviços sobe 0,7% e dá sinais de avanço forte 2T21

Data de criação:

access_time 11/06/2021 - 14:07

Data de atualização:

access_time 11/06/2021 - 14:07
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Reforçando mais uma vez a sinalização de recuperação econômica no segundo trimestre de 2021, o setor de serviços apresentou expansão de 0,7% em abril, o equivalente a uma alta de 19,8% na comparação com abril do ano passado. O resultado ficou levemente abaixo da nossa expectativa (20,7% a/a), mas acima do consenso de mercado (18,9%).

Serviços prestados às famílias (9,3% m/m) e serviços de informação e comunicação (2,5% m/m) foram os setores com as altas mais expressivas no mês, com destaque especialmente para i) alojamento e alimentação (9,8% m/m) e ii) serviços de TI (5,3% m/m). O resultado positivo chama adicionalmente a atenção por ter sido apresentado em um mês parcialmente impactado pela intensificação das medidas de isolamento social e já reflete a aceleração da mobilidade com o relaxamento das restrições a partir da segunda quinzena do mês.

O resultado de hoje corrobora o entendimento de que o PIB do segundo trimestre desse ano deve apresentar alta na comparação marginal. A divulgação das três principais pesquisas setoriais (PIM, PMC e PMS) referentes a abril traz leve viés positivo para a nossa projeção de +0,2% da atividade no segundo trimestre, mas o acompanhando das divulgações referentes a maio será essencial para confirmar essa sinalização.

Para os próximos meses, esperamos que o setor de serviços dê continuidade ao processo de recuperação, refletindo especialmente o avanço da mobilidade e o ganho gradual de confiança dos agentes econômicos à medida em que avança a campanha de vacinação e a pandemia dá leves sinais de melhora.

Esperamos que 2021 e 2022 sejam anos positivos para o setor. A poupança circunstancial feita pelas famílias mais ricas durante os meses mais severos da pandemia reforça esse entendimento.

*Marco A. J. Caruso e Lisandra Barbero são economistas do Banco Original

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?