Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Concessões de crédito ficaram em R$ 3,4 trilhões de março a dezembro de 2020

Data de criação:

access_time 11/01/2021 - 15:27

Data de atualização:

access_time 11/01/2021 - 15:27
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As concessões de crédito para o período de 01 de março a 31 de dezembro de 2020 somaram R$ 3,4 trilhões, incluindo contratações, renovações e suspensão de parcelas. São números que incluem dados divulgados pelo Banco Central do Brasil – BCB para os meses de março a novembro, que atingiram R$ 3,1 trilhões, considerando o total das operações de crédito. Também abrangem dados consolidados pela FEBRABAN até o dia 31 de dezembro, que já somam R$ 313,8 bilhões. Neste caso, considerando apenas as operações no segmento livre de crédito para PJ. E, no caso de PF, os números de novembro consideram o imobiliário, mas não as operações de crédito rotativo.

Além disso, no período de 16 de março a 31 de dezembro, o setor renegociou 16,8 milhões de contratos com operações em dia, que têm um saldo devedor total de R$ 971,5 bilhões. A soma das parcelas suspensas dessas operações repactuadas totaliza R$ 146,7 bilhões. Esses valores geraram alívio financeiro imediato para empresas e consumidores, que passaram a ter uma carência entre 60 a 180 dias para pagar suas prestações, sendo que a maioria dos agentes beneficiados com prorrogação de parcelas é representada por pequenas empresas e pessoas físicas (R$ 77,1 bilhões).

Entre 16 de março e 31 de dezembro, o setor bancário já fez concessões de crédito para as micro e pequenas empresas de R$ 325,2 bilhões, incluindo novos contratos e renovações. Nesse período, o setor renegociou 1,75 milhão de contratos de micro e pequenas empresas, no valor total de R$ 105,1 bilhões, com carência entre 60 a 180 dias para o pagamento, com alívio no pagamento de parcelas de R$ 17,4 bilhões. Importante registrar que, no âmbito do PRONAMPE, já foram realizadas 516,7 mil operações, com desembolsos de R$ 37,5 bilhões, enquanto no âmbito do PEAC-FGI os números chegam a 85,1 mil operações e R$ 14,8 bilhões em desembolsos (apenas para as pequenas empresas).

Os números de março a novembro de 2020 ante o mesmo período de 2019 apontam para um crescimento importante das operações de crédito para PJ (13,0%).

Na comparação entre março e novembro de 2019 com o período de 16 de março a 31 de dezembro de 2020 (desde quando a OMS declarou a pandemia), utilizando dados gerenciais, houve alta significativa nas concessões (considerando renovações e adiamento de parcelas) para Pessoa Jurídica no segmento livre, de 34,5%, considerando a média por dia útil para cada período.

Conforme a FEBRABAN vinha afirmando, os dados oficiais do BC mostram que as taxas de juros e os spreads bancários declinaram desde o início da pandemia.

Taxa de Juros (% a.a.)// Spread Bancário (em pp a.a.)

Data Total Livre Direc   // Total Livre Direc.
fev-20 – 23,1, 34,2, 7,6  // 18,6, 28,9, 4,2
mar-20- 22,7, 33,4, 7,5 // 18,0, 27,7, 4,2
abr-20 – 21,5, 31,3, 7,3 // 17,2, 26,2, 4,2
mai-20- 20,6, 29,7, 7,5 // 16,6, 24,8, 4,7
jun-20 – 19,0, 27,3, 7,0 // 15,3, 22,8, 4,5
jul-20 –  19,2, 27,4, 7,1 // 15,5, 23,1, 4,4
ago-20- 18,6, 26,6, 7,2 // 15,0, 22,2, 4,4
set-20 – 18,1, 25,8, 6,9 //  14,3, 21,2.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?