Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Copom retira o forward guidance e aumenta preocupação com inflação

Data de criação:

access_time 20/01/2021 - 18:55

Data de atualização:

access_time 20/01/2021 - 21:57
format_align_left 1 minuto de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Em sua 236ª reunião, o COPOM manteve a taxa de juros inalterada conforme o esperado. Conforme nossa expectativa, o forward guidance foi retirado. O tom do comunicado mostra um comitê mais preocupado com os riscos altistas ao cenário básico.

Quanto ao cenário externo, o comunicado reforça a divergência entre o curto prazo desafiador por conta da perda de mobilidade em consequência das restrições da pandemia e o longo prazo benigno por conta da imunização em massa.

Sobre atividade, o Banco Central se diz alerta para possíveis consequências da deterioração dos índices da pandemia, mas indica também que ainda não vê indícios de uma desaceleração abrupta no momento.

A descrição da inflação mostra o COPOM mais atento à evolução das leituras subjacentes, destacando que elas se encontram acima do intervalo compatível com o cumprimento da meta.

As expectativas no cenário básico, com câmbio a R$ 5.35 (anterior: R$ 5.25), mostram 3.6% em 2021 e 3.4% em 2022 (anteriormente 3.4% e 3.4%, respectivamente). O cenário supõe juros subindo para 3.25% em 2021 e 4.75% em 2022 (anteriormente 3% e 4.5%, respectivamente).

O comitê também reforça a maior relevância de 2022 dentro do horizonte relevante e alerta para que a queda do forward guidance não “implica mecanicamente uma elevação da taxa de juros”. No entanto, chama atenção a inclusão da expressão “neste momento” quando descrevendo a postura de política monetária necessária neste momento.

Em suma, nota-se reforço do tom cauteloso do Banco Central na sequência da reunião anterior. A retirada do forward guidance foi em linha com nossa expectativa. Aguardamos agora pela ata na próxima terça-feira para maiores informações.

Por Felipe Sichel, estrategista modalmais.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?