Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

FGV/IBRE: Indicador Antecedente sobe em julho

Data de criação:

access_time 12/08/2020 - 12:50

Data de atualização:

access_time 12/08/2020 - 12:50
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a FGV IBRE e The Conference Board (TCB), subiu 1,9% em julho para 111,5 pontos. Seis das oito séries componentes contribuíram para a alta do indicador, com a maior contribuição vindo dos Índices de Expectativas da Indústria e dos Consumidores.

O Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, subiu 0,5% para 98,1 pontos, no mesmo período.

“A sinalização dada pelos resultados do IACE em maio e junho está refletida no crescimento do ICCE em julho, indicando que o pior efeito da pandemia sobre o nível de atividade econômica ficou concentrado no primeiro semestre”, segundo Paulo Picchetti do FGV IBRE. “A elevação relativamente menor do IACE em julho por sua vez aponta para uma recuperação cuja velocidade e robustez ainda estão sujeitas a incertezas resultantes do quadro macroeconômico e da dinâmica da crise sanitária”, diz Picchetti.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

IACE

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil foi lançado em julho de 2013 pelo FGV IBRE e pelo The Conference Board. Com uma série desde 1996, o IACE teria antecipado, de maneira confiável, todas as quatro recessões identificadas pelo Comitê de Datação de Ciclos Econômicos do IBRE (CODACE) durante este período. O indicador permite uma comparação direta dos ciclos econômicos do Brasil com os de outros 11 países e regiões já cobertos pelo The Conference Board: China, Estados Unidos, Zona do Euro, Austrália, França, Alemanha, Japão, México, Coréia, Espanha e Reino Unido.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?