Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

PMI recua de 52,8 em março para 52,3 em abril, diz IHS Markit

Data de criação:

access_time 03/05/2021 - 14:14

Data de atualização:

access_time 03/05/2021 - 14:14
format_align_left 2 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As restrições associadas à Covid-19 continuaram impactando negativamente o setor industrial brasileiro, com empresas diminuindo a produção e limitando a compra de insumos em abril, devido a mais um declínio no volume de novos pedidos.

De acordo com o o IHS Markit, o índice dos Gerentes de Compras do setor Manufatura – PMI permaneceu acima do limite inalterado de 50,0, mas registrando 52,3 em abril, uma ligeira queda em relação aos 52,8 de março.

As vendas e a produção caíram a um ritmo marginal, mais lento do que o registrado em março. Enquanto isso, as empresas limitaram a compra de insumos, mas aumentaram o índice de emprego em meio a projeções otimistas das perspectivas de negócios.

Pollyanna De Lima, diretora Associada de Economia da IHS Markit, disse: “Embora os resultados do PMI para abril tenham mostrado mais contrações nos pedidos de fábrica e na produção por todo o Brasil, as taxas de redução, pelo menos, foram menos agressivas do que o observado em março. Além disso, as empresas contrataram mão de obra extra e se mostraram mais otimistas em relação ao futuro”

As empresas experimentaram um aumento acentuado dos custos em abril, o que atribuíram à escassez de matéria-prima e à depreciação do real. Os preços de venda também aumentaram, com a taxa de inflação se mostrando a terceira mais rápida desde o início da coleta dos dados da pesquisa, em fevereiro de 2006.

“A pandemia da COVID-19 se mostrou, mais uma vez, a principal causa da queda, com as restrições prejudicando a demanda. Os participantes da pesquisa veem a luz no fim do túnel, e muitos acreditam que uma maior disponibilidade de vacinas ajudará a reduzir o ritmo de contágio e superar as restrições. As expectativas dos negócios melhoraram em abril, com o otimismo fundamentando a renovação na criação de
empregos.”

A escassez de materiais, combinada com um real enfraquecido (em relação ao dólar dos EUA), levou ao aumento dos preços de insumos em abril. Embora atenuada em relação a março, a taxa de inflação foi mais forte do que o observado antes de setembro de 2020.

Consequentemente, as empresas elevaram seus preços de venda em abril. A taxa de inflação foi a terceira maior desde o início da coleta dos dados, há mais de 15 anos.

“A inflação continuou oscilando, com os fabricantes de produtos aumentado seus preços ao terceiro ritmo mais acelerado nos mais de15 anos de história da pesquisa. As empresas, em geral, culparam os aumentos constantes dos custos de insumos pelo aumento dos preços de venda, uma vez que os fornecedores aumentaram ainda mais suas taxas devido à escassez de matéria-prima mundialmente”, concluiu.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?