Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Offshore: saiba mais sobre esse investimento

Data de criação:

access_time 13/07/2020 - 13:43

Data de atualização:

access_time 26/11/2020 - 11:07
format_align_left 9 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Quem já está habituado a fazer investimentos começa a querer buscar opções mais rentáveis e diversificadas, especialmente diante das constantes quedas na taxa básica de juros brasileira. Pouco usados pelos brasileiros, os offshores podem ser muito interessantes para quem quer diversificar a sua carteira de investimentos e ter parte do patrimônio em moedas estrangeiras.

Esses investimentos offshore são aqueles realizados em um país estrangeiro por meio de contas bancárias, ativos de renda variável, como ETFs, e fundos de investimento.

Porém, é possível observar, que há uma baixa procura por esse tipo de investimento, sendo algumas delas ocasionadas devido ao alto valor necessário para fazer uma aplicação nesse tipo de produto ou a falta de conhecimento em relação aos seus benefícios.

Se você ficou curioso e quer saber mais sobre os investimentos offshore, então continue a leitura deste artigo especial!

 

O que são investimentos offshore?

Na tradução literal, esse termo em inglês significa “no alto-mar” e, na prática, corresponde a uma modalidade de investimento que é feita em um domicílio fiscal distinto ao de origem do investidor. Isso significa que se trata de um investimento no exterior.

Os offshores são mais conhecidos pela sua correlação com casos de corrupção, em que o agente responsável mantém um patrimônio em outro país, nos chamados paraísos fiscais. De fato, existem pessoas que utilizam offshores para fins ilícitos.

No entanto, os offshores são regulamentados pela lei por isso, não são ilegais. Essa modalidade de investimento é uma das principais preferências de investidores que já têm experiência no mercado financeiro, que conhecem bem os seus riscos, e por outro lado, suas vantagens.

 

Paraísos fiscais

Os paraísos fiscais são países que oferecem incentivos fiscais que se tornam atrativos para investidores estrangeiros. Muitos países e territórios têm centros financeiros de offshore, conhecidos pela sigla OFC (do inglês, Offshore Financial Centers).

Suíça, Bermudas, Ilhas Cayman, Hong Kong, Belize, Dublin e Mauritius são exemplos de locais conhecidos como paraísos fiscais. É importante destacar que cada um deles tem a sua legislação própria em relação à regulamentação e transparência do offshore.

 

Como investir em offshore?

O investimento em offshores, além do risco comum a qualquer tipo de investimento – obviamente, de acordo com o tipo de produto e ativo –, está sujeito à variação cambial, ao qual estará exposto o recurso.

Por isso, o investimento por meio da abertura de contas no exterior pode até ser interessante para grandes investidores, que buscam diminuir o risco cambial. Porém, vale ressaltar que, para investir dessa forma, no geral, tais operações requerem aporte mínimo de cerca de US$ 100 mil.

Porém, a boa notícia é que, os investimentos offshore não ficam restritos somente a investidores com grandes montantes, como o mencionado. Você deve lembrar que no início do artigo citamos alguns produtos, como os ETFs.

Então, o primeiro passo é contar com uma instituição que ofereça uma plataforma de investimentos completa, incluindo produtos e serviços que possam te auxiliar nesse tipo de operação.

O segundo passo, é obter o máximo de conhecimento sobre esses investimentos offshore. É por isso que discorreremos melhor sobre esse tipo de investimento a seguir. Acompanhe!

 

ETF

Sigla para Exchange Traded Fund, ou fundos de índice, permitem que o investidor aplique – ainda que indiretamente –, de uma única vez, em ações diversificadas, que compõem a cesta teórica de um determinado índice financeiro. Basicamente, os ETFs são sinônimos de praticidade.

Apesar de ter suas cotas negociadas em Bolsa de Valores brasileira, os ETFs podem investir em quaisquer ativos que componham um índice de referência reconhecido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Logo, uma alternativa para se investir no exterior, sem ter que enviar recursos para fora, são os ETFs.

Além disso, os investimentos são acompanhados por um gestor especializado, que vai fazer o gerenciamento da carteira desse fundo.

 

Fundos de investimentos

Alternativa interessante para quem está buscando ainda mais diversificação nos investimentos, os fundos de investimentos podem, dependendo da política expressa em seu regulamento, aplicar parte dos recursos dos cotistas em investimentos no exterior.

Os fundos de investimentos são um conjunto de cotas, e cada investidor adquire parte delas ao injetar recursos no patrimônio do fundo. Dessa forma, os custos referentes à aquisição dos produtos que compõem a carteira do fundo, são diluídos entre os cotistas. Logo, se torna mais vantajoso para o investidor, adquirir tais produtos em um fundo de investimento, do que separadamente.

 

BDR

Uma forma de investir no exterior, é por meio dos certificados de depósito de valores mobiliários estrangeiros, mais conhecidos como Brazilian Depositary Receipts, ou BDRs. Esses certificados são negociados na Bolsa de Valores brasileira, e, apesar de serem emitidos por instituições depositárias brasileiras, são lastreados – ou seja, garantidos implicitamente – por valores mobiliários de empresas estrangeiras.

É importante apenas estar ciente sobre a disponibilidade das negociações do BDR do qual você possa ter interesse, uma vez que, para garantir mais acessibilidade somente a investidores que têm mais experiência e logo, apresentam mais preparo diante dos riscos envolvidos nesse tipo de ativo, a maioria desses BDRs é regulado para que sejam negociados somente por investidores qualificados.

 

Quais são as vantagens dos offshores?

Um dos principais motivos de optarmos por um determinado investimento está no potencial de rentabilidade que ele pode oferecer. Porém, outros fatores também devem ser levados em consideração na hora de escolher o produto certo para investir.

Conhecendo as vantagens dos investimentos offshore, com certeza, você vai considerar esse segmento de investimento para melhorar os seus rendimentos.

 

Diversificação dos ativos

Uma das vantagens dos investimentos offshore é que eles podem ser utilizados para a composição de uma carteira diversificada, uma vez que, se tomarmos como exemplo os ETFs, que contam com uma carteira composta por diversos ativos, ou mesmo os fundos de investimento, que podem investir em produtos de renda variável e fixa, há uma diversificação por si só, nesses produtos. Isso aumenta as chances de sua carteira obter uma boa performance, e ainda diluir os riscos inerentes a cada produto.

 

Oportunidade de investir em outros mercados

Essa é claramente uma vantagem única dos investimentos offshore, que dão mais acessibilidade às empresas e setores que talvez não tenham tanta representatividade na Bolsa de Valores brasileira. Além disso, o fato de esses investimentos serem cotados em outras moedas, faz com que a alta delas seja considerada um fator positivo para o investidor, e justamente por serem negociados em reais, essas transações são ainda mais vantajosas, uma vez que os custos acabam sendo reduzidos, se compararmos aos custos e burocracia que uma remessa para o exterior exigiria, por exemplo.

 

Quais são as suas desvantagens?

Com tantas vantagens para se investir em fundo offshore, é preciso reforçar que essa modalidade de ativos não é a receita mágica para “ficar rico”. Ter clareza disso é essencial para que você tenha tomadas de decisões cada vez mais inteligentes. Somente dessa maneira é que será possível consolidar um patrimônio por meio do mercado financeiro.

Agora, saiba mais sobre os principais pontos negativos dos offshores.

 

Custo inicial para investir

Grande parte das oportunidades de investimento offshore é voltada para investidores que têm maior capacidade de injetar valores elevados e têm mais experiência no mercado financeiro, sendo comum, como mencionamos anteriormente, encontrar muitos desses investimentos destinados somente a investidores qualificados, ou seja, que, conforme instrução CVM nº 554, possuem no mínimo R$ 1 milhão em investimentos financeiros.

Risco Cambial 

A variação cambial nem sempre trará impactos negativos para o investidor. Pelo contrário, investimentos offshore podem inclusive proteger o investidor contra tais impactos. Mas da mesma forma, a valorização cambial, que reflete na queda do valor de determinada moeda frente ao Real, pode fazer com que investimentos no exterior desempenhem negativamente.

Dessa forma, mesmo que o produto tenha uma projeção promissora de rentabilidade, é necessário compreender que, no caso de um período de recessão do país em que está lastreado o ativo, por exemplo, ele pode vir a se desvalorizar.

Por fim, antes de investir em offshores, é importante que você conheça o produto, os custos envolvidos e esteja ciente que, os investimentos mencionados, não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e são mais aderentes a perfis arrojados de investidor.

Os investimentos na modalidade offshore podem ser uma ótima opção, principalmente se você já não é mais iniciante no mercado financeiro.

Esperamos que, com este artigo especial sobre offshore, você se sinta mais seguro para começar a diversificar mais a sua carteira de investimentos. Isso é essencial para reduzir os riscos de perda e aumentar a sua taxa de retorno.

Se você quer saber mais sobre as melhores oportunidades de investimento, de acordo com o seu perfil, abra agora mesmo a sua conta no modalmais! Com a nossa plataforma digital, você pode fazer investimentos inteligentes na palma da sua mão.

Nova call to action

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?