Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

TESLA: como investir na empresa do Elon Musk

Data de criação:

access_time 26/11/2020 - 12:26

Data de atualização:

access_time 01/03/2021 - 18:38
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Empresas inovadoras, que apresentam constante crescimento e solidez podem atrair os olhares de investidores de diversos países, como é o caso da Tesla.

Entretanto, no universo dos investimentos, conhecer sobre o que se pretende investir, bem como o que motivo o desempenho dos ativos, é algo indispensável.

Investir em qualquer empresa requer muito cuidado e atenção, principalmente quando isso envolve uma empresa situada em outro país. Por isso, para ajudar você com essas questões, nós resolvemos escrever este artigo sobre o assunto. Confira!

 

Sobre a TESLA

A Tesla é uma empresa que desenvolve veículos movidos a eletricidade. Além do grande apelo pela proteção ao meio ambiente, os seus produtos também são equipados com tecnologias de ponta e extremamente inovadoras que favorecem a facilidade e a mobilidade no transporte urbano.

Graças a essas características, ela tem conquistado cada vez mais espaço e consumidores ao longo de seus 17 anos de existência, o que, naturalmente, desperta o interesse de muitos investidores.

A mente brilhante por trás de todo esse sucesso é um gênio excêntrico chamado Elon Musk, responsável por “dar um rosto” à companhia e apresentar as inovações incríveis que a marca vem desenvolvendo.

Desde a realização de seu primeiro IPO na Bolsa de Valores americana Nasdaq – quando a Tesla abriu capital para outros investidores –, o que aconteceu há 10 anos, os papéis da empresa valorizaram-se cerca de 4.000%.

No início de setembro de 2020, as ações da empresa chegaram a registrar uma valorização de 375% no ano. Parte desse sucesso pode ser explicada devido ao aumento da preocupação com a preservação do meio ambiente. Afinal, os carros elétricos têm um apelo focado no assunto, tendo em vista o uso otimizado da energia elétrica e a eliminação das emissões de gases na atmosfera.

Tal evolução pode ser acompanhada por meio de relatórios e outros materiais da empresa. No relatório financeiro referente ao terceiro trimestre de 2020, por exemplo, a Tesla divulgou um lucro líquido de US$ 331 milhões, sendo que nos últimos quatro trimestres anteriores, somados, a empresa acumulou US$ 1,9 bilhão em caixa livre (instrumento financeiro comumente utilizado pelas empresas para realizar pagamentos de dividendos aos acionistas).

Se compararmos esse resultado com o do trimestre anterior — em que a empresa obteve lucro líquido de US$ 104 milhões — notamos o forte potencial de crescimento que a empresa tem. Vale lembrar que isso aconteceu em meio a uma pandemia que impactou negativamente todos os países.

Ainda no relatório, podemos observar que, ao traduzirmos o lucro líquido em percentual, houve um aumento de 131% no terceiro trimestre, o que faz a receita total da empresa ultrapassar os US$ 8,7 bilhões.

Graças à grande demanda por alguns de seus modelos, a Tesla aumentou a capacidade de produção de sua fábrica em Fremont, na Califórnia, tendo como meta a entrega de 500 mil unidades ainda em 2020.

Ainda de acordo com o relatório trimestral publicado, a fábrica situada na China também aumentará a sua capacidade de produção, chegando a 250 mil veículos por ano.

Além disso, vale a pena lembrar que a empresa também tem uma fábrica na capital da Alemanha, Berlim, que está em fase de construção.

 

Como investir na Tesla?

Com números tão grandiosos, é normal que muitos tenham interesse em investir na Tesla. Se você é uma dessas pessoas, continue a leitura e saiba como fazer isso.

Basicamente, a melhor forma de investir em uma empresa que tem suas ações negociadas apenas no mercado internacional, sem ter que abrir conta em uma corretora desconhecida no exterior e arcar com custos, por vezes, elevados para o envio de recursos, é optando pela compra de Brazilian Depositary Receipts (BDRs).

Os BDRs são certificados de depósito de valores mobiliários emitidos por instituições depositárias que compram valores mobiliários (geralmente ações) emitidos por empresas situadas em outros países. Tais ativos servem de lastro para esses títulos – os certificados – negociados em nosso mercado aqui no Brasil.

Nesse caso, ao comprar um BDR você não adquire, na prática, os papéis da Tesla, mas sim um ativo atrelado ao desempenho dessas ações. Apesar de as cotações do BDR serem referenciadas na moeda do país de origem dos papéis que servem de lastro para ele, as negociações, liquidações e pagamentos de eventuais rendimentos, ocorrem em Real brasileiro.

Assim, para comprar um BDR basta abrir uma conta em uma instituição de investimentos aqui no Brasil – como o modalmais, um banco digital feito para investidores –, enviar os recursos e ter em mãos o código de negociação desse ativo: no caso dos BDRs de Tesla o código é TSLA34.

Com isso, basta acessar o Home Broker ou alguma outra plataforma de negociação disponível no modalmais, inserir o código e quantidade desejada e equivalente à quantia que você pretende investir, e enviar a ordem de compra.

Por fim, podemos concluir que investir na Tesla pode ser interessante para a composição de sua carteira de investimentos, entretanto, é importante que você sempre acompanhe o desempenho da empresa divulgado periodicamente, bem como as notícias ou eventuais acontecimentos que possam impactar os preços de suas ações.

Se você gostou destas dicas e quer saber mais sobre como investir em empresas no exterior confira o nosso artigo sobre BDR e conheça mais sobre essa modalidade.  Abra a sua conta no modalmais e conheça os principais diferenciais do banco digital dos investidores.

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?