Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Mercado local pesado

Data de criação:

access_time 12/08/2020 - 18:42

Data de atualização:

access_time 25/11/2020 - 19:01
format_align_left 4 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Foi como dissemos em nosso comentário de abertura hoje. Os mercados acionários no exterior tiveram dia de alta, enquanto aqui, a Bovespa seguiu pesado por conta do noticiário político e econômico. As demissões de ontem na equipe econômica deixaram um vácuo e muitas especulações sobre o próprio ministro Paulo Guedes e seu modelo liberal. Aparentemente, o presidente Bolsonaro já está começando a pensar na reeleição, está inaugurando agenda nacional-populista, que não coaduna com o “dream team” liberal que Paulo Guedes havia montado. Além disso, como coadjuvante, todas as discussões sobre reforma tributária estão ganhando força e sobre as discussões em abandonar o teto de gastos também.

No exterior, a Rússia anunciou que a vacina estará pronta para produção e aplicação em duas semanas, exatamente no momento em que a Alemanha registra o maior pico de contaminação pela covid-19 nos últimos três meses.

Ontem, já tínhamos a Austrália anunciando lockdown na região de Auckland. Kaplan, presidente do FED regional de Dallas, declarou que o ressurgimento da contaminação pelo vírus atrasa a recuperação econômica americana.

Os secretários de Trump, Kudlow e Mnuchin, disseram que estudam cortes de impostos da folha de salário, enquanto Nancy Pelosi, presidente da Câmara, indica que as discussões entre democratas e republicanos estão longe de acordo. De outra feita, o presidente do FED de Boston, Rosengren, anunciou ser um fracasso controlar o vírus e está preocupado com a quantidade de dívida contraída pelo governo dos EUA.

Sobre isso, o déficit orçamentário americano nos 10 meses do orçamento subiu para US$ 2,8 trilhões, três vezes maior que no comparativo com igual período. Por lá, a inflação medida pelo CPI (consumidor) de julho foi de 0,6%, com núcleo também com +0,6%. A inflação anual está em 1% e o núcleo em 1,6%. Já a OPEP volta a prever queda de demanda por petróleo em 2020 de 9,1 milhões de barris e um avanço recorde para 2021 de 7 milhões de BPD.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta forte de 2,64%, com o barril cotado a US$ 42,71. O euro era transacionado em alta para US$ 1,179 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,67%. O ouro e a prata em leve queda na Comex (ontem caíram forte) e commodities agrícolas em altas na Bolsa de Chicago. Nova alta também para o minério de ferro na China com +0,35% e a tonelada em US$ 121,51.

Aqui, como dissemos, pesou a saída de secretários do Paulo Guedes, as discussões sobre reforma tributária e teto de gastos e os debates retomados no Congresso sobre vetos presidenciais. Com isso, o dólar volta a beirar R$ 5,50, mesmo com o Bacen tendo feito duas operações adicionais de swap cambial de US$ 1 bilhão, o que mostra como os investidores andam estressados.

O IBGE mostrou que as vendas no varejo cresceram 8%, mais do que estava previsto e no comparativo com igual período de 2019 +0,5%. O varejo ampliado (inclui automotiva e construção) teve alta de 12,6% e mostra contração de 0,90% sobre mesmo período de 2019. Mas os números mostram que a economia se recupera.

O fluxo cambial do ano está negativo em US$ 13,2 bilhões e a posição cambial líquida estava em US$ 3023 bilhões, até 7/8. No mercado, o dólar teve dia de alta de +0,66%, fechando cotado a R$ 5,45. Na Bovespa, na sessão de 1/8, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 130,8 milhões, deixando o saldo de agosto positivo em R$ 2,4 bilhões e o ano de 2020 com saídas líquidas de R$ 82,5 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta da Bolsa de Londres de 2,04%, Paris com +0,90% e Frankfurt com +0,86%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,45% e 1,13%. No mercado americano, o Dow Jones com +1,05% e Nasdaq com+2,13%. Na Bovespa, dia de queda de 0,06% e índice em 102.117 pontos. Na minha atingiu 100.697 pontos.

Na agenda de amanhã teremos o volume de serviços prestados de junho, nos EUA os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior e durante a noite na China, a tradicional bateria de dados referentes ao mês de julho, incluindo produção industrial de vendas no varejo, investimentos em ativos fixos, etc.

Boa noite

 

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?