Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Um dia de muitas alternativas

Data de criação:

access_time 14/07/2020 - 18:18

Data de atualização:

access_time 25/11/2020 - 19:49
format_align_left 5 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

 

Foi certamente um dia difícil para os mercados de risco em todo o mundo. Preço do petróleo no mercado internacional revertendo tendência de queda do início da manhã, preço do minério de ferro na China subindo forte durante a madrugada, temporada de balanços do segundo trimestre sendo anunciada, dólar por aqui subindo forte e depois caindo também forte. Com relação à safra de resultados do trimestre já tínhamos alertado sobre.

Hoje, Citigroup e JP Morgan surpreenderam com altas (previsões eram piores, enquanto Wells Fargo e Delta com prejuízos foram penalizadas. Wells Fargo com o primeiro prejuízo em mais de décadas e Delta perdendo no trimestre US$ 5,2 bilhões. Já o petróleo foi influenciado por previsões da OPEP para 2021, para em seguida ser anunciado que as cotas de produção de junho ficaram aquém do previsto. Já o minério sofreu o impacto de indicadores positivos de importação, no fluxo comercial chinês de junho. Isso mexeu com as cotações das petroleiras no mundo (Petrobras começou o dia em queda e reverteu), com mineradoras (Vale bancando a alta inicial) e também siderúrgicas.

No Reino Unido, após intensa pressão dos EUA foi barrada a compra de equipamentos da gigante de tecnologia chinesa Huawei, líder na tecnologia de 5G. O FMI deu declarações que a crise é severa, complexa e a política monetária pisa em terreno desconhecido. Além disso, nos EUA tivemos a divulgação da inflação medida pelo CPI (consumidor) de junho com alta para 0,6% (maior que o previsto de 0,5%) e núcleo em +0,2% acumulando alta anual de 1,2%.

Ainda nos EUA, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, quer adiar o recesso parlamentar para garantir o novo pacote de estímulos. Na Flórida, novo recorde de óbitos/dia com 9 mil pacientes. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 0,35%, com o barril cotado a US$ 40,24. O euro era transacionado em alta para US$ 1,14 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,61%. O ouro em alta e a prata em queda na Comex e commodities agrícolas com viés de alta.

No segmento doméstico, o presidente do Bacen, Campos Neto, reforçou que o espaço remanescente para a política monetária é pequeno, mas o IBC-Br de maio, anunciado mais fraco que o previsto, deu força para nova queda da Selic. O IBC-BR de maio subiu 1,31%, quando a mediana das projeções apontava +4,4%. Contra igual período de 2019, a queda atingiu 14,24% e no ano mostra com tração de 6,08%. No último trimestre o encolhimento foi de 11,43%. Certamente está recuperando, mas de forma mais lenta. Isso também mexeu com a cotação do real frente ao dólar que chegou a mostrar a maior desvalorização dentre oito moedas de emergentes.

Os investidores europeus estiveram com parlamentares e disseram que se comprometeram em proteger o meio ambiente, com Rodrigo Maia sendo bastante assertivo nisso. Mas Maia também disse ser possível prorrogar a desoneração da folha de pagamento por mais um ano, contrariando ponto de vista da equipe econômica. Na verdade, já existe quórum na Câmara para retirar o veto e dos senadores falta pouco. Assim, aparentemente o governo terá que negociar com lideranças. Maia diz que vai retomar o debate sobre reforma tributária na quarta-feira.

A enorme gestora de recursos BlackRock também anunciou que puniu 53 empresas por falta de compromisso com o clima. No mercado, o dólar chegou a atingir cotação acima de R$ 5,45, depois voltou até R$ 5,36, para fechar com queda de 0,55% e cotado a R$ 5,36. Na Bovespa, na sessão de 10/7, os investidores estrangeiros voltaram a sacar recursos no montante de R$ 274,7 milhões, acumulando saídas em julho de R$ 4,4 bilhões. No ano de 2020, as saídas líquidas já atingem R$ 80,9 bilhões.

No mercado acionário, a Bolsa de Londres encerrou com leve alta de 0,06%, Paris com queda de 0,96% e Frankfurt com -0,80% Madri teve queda de 1,01% e Milão com -0,62%. No mercado americano, o Dow Jones com +2,13% e Nasdaq com +0,94%. Na Bovespa, dia de índice chegando novamente em 100 mil pontos, como comentávamos logo cedo, para fechar com +1,77% e índice em 100.440 pontos. Vale foi destaque de alta (+7,03%) por conta do minério e também da chance de retomar política de dividendos. O Dow Jones em rali de final de dia também ajudou bastante.

Na agenda de amanhã teremos o IGP-10 de julho e fluxo cambial da semana anterior. Nos EUA, atividade industrial de NY de julho, produção industrial de junho, estoque de petróleo e derivados da semana anterior, dados do Livro Bege e discursos. Durante a noite na China, teremos bateria de dados de junho e a divulgação do PIB do segundo trimestre.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe do banco digital modalmais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?