Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Conteúdo por:

Aposentadoria: saiba qual é o melhor investimento

Data de criação:

access_time 07/09/2020 - 07:00

Data de atualização:

access_time 25/11/2020 - 22:59
format_align_left 15 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

Você já sabe quando vai se aposentar? Com as instabilidades existentes na economia brasileira e as mudanças no regime previdenciário oficial muitas pessoas passaram a enxergar com outros olhos os investimentos que têm como objetivo possibilitar uma aposentadoria tranquila.

Apesar de muitas pessoas reconhecerem a importância de planejar sua aposentadoria com antecedência ainda existe muita dúvida sobre o assunto, especialmente, no que se refere aos ativos que podem ser utilizados para esse objetivo.

Pensando nisso, resolvemos escrever este artigo. Nele, mostraremos os principais investimentos que podem ser utilizados como aposentadoria. Acompanhe!

 

A importância de se preparar para aposentadoria

Segundo dados de uma pesquisa realizada anualmente pela Anbima, em 2017, aproximadamente 16% dos brasileiros investiram tendo como objetivo a aposentadoria. Esse número é preocupante pois ele nos mostra que a maioria esmagadora das pessoas que desempenham algum tipo de atividade remunerada estão em duas situações.

Primeiro, pensando em depender apenas do INSS para garantir a sua sobrevivência quando chegarem na terceira idade ou, ainda pior, simplesmente, não fazem ideia de como e quando poderão se aposentar.

Essa situação é muito preocupante pois todos sabemos que chegará uma etapa da vida em que não será mais possível manter a mesma rotina de trabalho que era executada na juventude e muitas pessoas, simplesmente, fecham os olhos para essa verdade.

Em muitos casos, a pessoa só começa a se preocupar com a sua aposentadoria quando já está em idade mais avançada, o que torna todo o processo ainda mais difícil e penoso. Por isso, o ideal é que você comece a planejar a sua aposentadoria o quanto antes.

 

O planejamento financeiro para aposentadoria

Como mencionamos a palavra “planejar” no tópico anterior, vale a pena criar um apenas para tratar do assunto. O planejamento financeiro é algo que precisa ser muito bem executado pela pessoa para que ela não caia na situação em que cerca de 47% das pessoas que se aposentam acabam sendo atingidas sendo obrigadas a trabalhar, mesmo depois de se aposentarem.

Isso é comum de acontecer pois o valor pago pelo INSS nem sempre é capaz de suprir todas as necessidades individuais do aposentado, obrigando-o a se manter no mercado de trabalho, mesmo que isso seja uma árdua tarefa.

Portanto o planejamento financeiro para aposentadoria é crucial e para que ele seja executado de forma correta você precisa fazer as seguintes perguntas:

  • Quanto tempo ainda falta para chegar a idade que pretende se aposentar?
  •  Qual a renda que você deseja ter quando se aposentar?
  • Qual parcela da sua renda atual pode ser poupada pensando na aposentadoria?
  •  Qual tipo de investimento você escolherá para garantir a sua aposentadoria?

As primeiras três perguntas são extremamente pessoais, logo, você deve responder analisando seus objetivos de vida e o que espera para o futuro. Entretanto, com relação à última, nós podemos ajudar. Continue lendo!

 

Os melhores investimentos para aposentadoria

Neste tópico, mostraremos os melhores tipos de investimento para quem pretende se aposentar e não ficar preso do sistema previdenciário oficial que remunera pouco e tem uma série de regras.
Vale a pena ressaltar que o fato de você selecionar ativos no mercado financeiro para sua aposentadoria não o dispensará da contribuição mensal à Previdência Social do Governo Federal. Todo brasileiro que exerce algum tipo de atividade remunerada, seja como empregado, autônomo ou empresário deve contribuir com o INSS de acordo com a tabela vigente, independentemente de utilizar os benefícios do órgão ou não.

Trata-se de uma obrigação instituída com força de Lei e todos devem cumprir. Com isso em mente, mostraremos os principais ativos financeiros que podem ser utilizados como aposentadoria.

 

Tesouro Direto

Tesouro Direto são títulos públicos em que a pessoa, de certa forma, “empresta” dinheiro ao Governo Federal e recebe uma determina taxa de juros — que pode ser híbrida, pós-fixada ou prefixada — como remuneração pelo capital disponibilizado.

Essa aplicação é muito indicada para aposentadoria, especialmente, o Tesouro IPCA. Os principais motivos são: o fato de que esse título protege você contra a inflação – já que ele acompanha esse índice –, ou seja, mantém o poder de compra do seu dinheiro aplicado e ainda remunera uma taxa adicional prefixada; e também devido ao grau de segurança que é considerado alto, tendo em vista que o título é emitido pelo próprio Governo Federal.

Os títulos atrelados ao IPCA são do tipo híbridos e rendem de acordo com a rentabilidade definida pela taxa prefixada mais a variação da inflação do período.

A rentabilidade obtida com o Tesouro Direto, em todos os casos, terá tributação de imposto de renda observando a tabela regressiva. Isso significa que um período maior de aplicação gerará menos tributos para o investidor, sendo esse outro ponto positivo para a utilização dessa aplicação na aposentadoria.

 

Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio

Existem dois tipos de aplicações nesse caso, a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA). O valor levantado por esses títulos é aplicado, respectivamente, no setor de imóveis e agrícola.

A rentabilidade das aplicações ocorre com base em um indexador que é utilizado como referência para apurar o rendimento de aplicações de renda fixa, sendo geralmente o CDI. Normalmente, as letras rendem um percentual do indicador, por exemplo: 95% do CDI. Nesse exemplo, significa que o quanto o CDI render, esse título renderá quase o mesmo percentual.

Um dos principais atrativos desses investimentos é a isenção do Imposto de Renda para pessoas físicas. Além disso, ambos possuem a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que assegura as suas aplicações, no limite de R$ 250 mil por CPF e instituição, caso o banco emissor venha a entrar em dificuldades financeiras e não possa honrar com os pagamentos.

 

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Outro tipo de investimento que pode ser interessante para compor os títulos de aposentadorias são os CDBs.
Ao adquirir um CDB, basicamente, o investidor empresta seu dinheiro ao banco, que o remunera com uma taxa de juros fixada no momento de aquisição do título. Essas aplicações, no geral, também têm rentabilidade superior à poupança e contam com a proteção do FGC.

 

Previdência Privada

A previdência privada sem dúvidas é o tipo de investimento mais conhecido quando o assunto é aposentadoria. O objetivo geral dessas aplicações é, permitir que o beneficiário acumule um determinado patrimônio, que poderá se tornar uma renda passiva no longo prazo, que renda de acordo com um plano contratado, e ainda possibilite benefícios fiscais.

Antes de escolher o plano de previdência ideal, é importante analisar não só o seu perfil de investidor, como também algumas variáveis que farão com que determinado plano seja mais ou menos adequado para você. Por exemplo, a forma de tributação. Existem dois regimes dos quais uma previdência privada pode estar sujeita: progressivo ou regressivo.

A tributação regressiva é mais indicada se está pensando em investir na previdência privada por um período superior a 10 anos. Com esse tipo de tributação a alíquota de IR, tanto caso seja feito um resgate antecipado, quanto no recebimento da renda, será de 35% durante dois anos, caindo 5% a cada período de 24 meses. Decorridos dez anos a alíquota cai para 10%.

A tributação progressiva é a opção mais adequada se você pretende utilizar seu investimento da previdência privada em menos de 10 anos. Nesse caso, as alíquotas do Imposto de Renda variam de 0% a 27,5% – a mesma aplicada sobre salários – no momento do recebimento da renda. No resgate, há incidência de IR com alíquota de 15%, tributado na fonte e de forma antecipada, mas que pode ser ajustado na declaração anual de IR.

Para que esse capital possa crescer com o passar do tempo, o gestor do fundo de previdência aplica o valor investido periodicamente pelo beneficiário, em diversos produtos financeiros de renda fixa e, até mesmo, alguns de renda variável como ações, dependendo do perfil do fundo de previdência privada.

Outro ponto que você precisa compreender é que existem dois tipos de investimentos, o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), que discorreremos com mais detalhes nos próximos tópicos.

PGBL
O Plano Gerador de Benefício Livre é comumente indicado para os investidores que precisam fazer a sua declaração do IR no formato completo. Isso porque, é possível deduzir até 12% do imposto devido com os aportes realizados ao longo do ano.

Nesse caso, o Imposto de Renda do plano é cobrado apenas no momento do resgate, entretanto, ele incide sobre todo o capital, ou seja, o patrimônio e seus rendimentos. Assim, a vantagem do PGBL é a economia com o tributo no período inicial, dando a oportunidade de o investidor fazer mais aportes ao longo desse tempo.

VGBL
O Vida Gerador de Benefício Livre já é mais indicado para aqueles que optam pela declaração simplificada do IR ou, até mesmo, são isentos de declaração. Nesse caso, ele incide apenas sobre o valor dos rendimentos e não sobre o patrimônio total.

 

Imóveis por meio de fundos imobiliários

Uma alternativa interessante para compor os títulos de aposentadoria é o investimento em imóveis por meio de fundos imobiliários. Essa modalidade pode gerar uma renda passiva para o detentor das cotas do fundo, oriunda do pagamento dos aluguéis, ou seja, os rendimentos do FII, creditados em conta corrente.

Entretanto, vale a pena ressaltar que essa é uma modalidade de investimentos de renda variável, gerando alguns riscos para o investidor.

 

Fundos de investimentos

Além dos exemplos anteriores, também é possível optar por Fundos de Investimentos, que são também uma forma de diversificação. O fundo de investimento é gerido por um profissional, que aplica o patrimônio total composto pelos aportes dos cotistas em diversos produtos, de acordo com regulamento e objetivos do fundo.

Entretanto, assim como o exemplo anterior, essa modalidade possui alguns riscos que precisam ser muito bem mensurados antes de se realizar o aporte.

No modalmais há uma variedade de mais de 300 fundos de investimentos, que são classificados por risco, o que auxilia ainda mais o investidor na escolha ideal para seu perfil.

 

Ações (Dividendos)

As ações também são investimentos indicados para a composição da aposentadoria, em especial, as boas pagadoras de dividendos.

Os dividendos são parte do lucro que é distribuído aos acionistas como valor em conta corrente, de acordo com a quantidade de ações que o investidor possui em custódia.

É importante, apenas, que todos os riscos sejam levados em consideração, já que as ações são ativos de renda variável e, até mesmo as empresas que costumam pagar dividendos, podem acabar, em determinado momento, não tendo um bom desempenho, o que pode acarretar no não pagamento desse provento.

 

A escolha da melhor opção de investimentos para aposentadoria

Agora que você entendeu quais são os principais investimentos que podem compor o planejamento de aposentadoria, mostraremos como escolher o ideal para você. Continue lendo!

 

Conheça o seu perfil

O primeiro passo a ser dado antes de optar por qualquer investimento, é conhecer bem o seu perfil de investidor. Ao longo dessa leitura nós mostramos diversos ativos, alguns de renda fixa outros de renda variável. Dependendo, por exemplo, se você é conservador, optar por ações ou fundos imobiliários pode não ser o ideal, devido à exposição ao risco que têm esses investimentos.

Da mesma forma, se você tiver perfil arrojado, investir em títulos públicos ou letras de crédito pode até ser interessante para compor uma carteira bem diversificada, mas se você contar apenas com esses produtos, pode acabar deixando de se expor à possibilidade de obter maiores rentabilidades com produtos mais arrojados, adequados ao seu perfil.

 

Monte uma carteira diversificada

Outro ponto que merece destaque diz respeito à importância de se ter uma carteira diversificada. A diversificação de investimentos possibilita que você experimente diversos tipos de rentabilidade e fracione os seus riscos.

Esse conceito é a aplicação prática de um velho ditado que diz “jamais coloque todos os ovos em uma única cesta.” Ele também serve como princípio fundamental do procedimento de Hedge, que pode ser traduzido como uma forma de proteger o seu capital.

Funciona, basicamente, da seguinte forma: imagine que um determinado ativo de renda variável sofreu uma desvalorização que fez o seu patrimônio reduzir o montante de R$ 1 mil. No entanto, você também investiu em outro que, no mesmo período, valorizou acrescendo o montante de R$ 2 mil em sua carteira.

Assim, além de suprir todo o valor perdido, o investimento que deu lucro também foi capaz de aumentar ainda mais o seu capital. Esse é apenas um exemplo, mas que explica, de forma bem simples e resumida, o que a diversificação pode fazer por seu patrimônio.

 

Comece o quanto antes

Por fim, é importante que você inicie o seu planejamento de aposentadoria o quanto antes. Depois de ler este artigo, analise o seu perfil, selecione títulos variados de acordo com ele e comece a poupar para aplicar nesse objetivo.

Quanto mais cedo iniciar o período de acumulação de capital, maior será o volume financeiro do qual você poderá usufruir em sua aposentadoria, aumentando as chances de que a vida no futuro seja de fato, um merecido descanso, sem dores de cabeça com preocupações financeiras.

Como você pode perceber, garantir a sua aposentadoria com ativos financeiros não é nenhum bicho de sete cabeças. Entretanto, é fundamental que essa seleção seja muito bem executada. Afinal, é do seu futuro que estamos tratando!

Portanto, abra a sua conta no modalmais para conhecer os principais investimentos que podem ser utilizados para essa finalidade.

 

Nova call to action

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?