Usamos cookies para segurança, melhor experiência e personalização de conteúdo de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Clique em "Configurar cookies" para gerenciar suas preferências.

X

Para "Aceitar", selecione os itens e clique no botão abaixo:

Acordo comercial entre EUA e China anima mercados asiáticos

Data de criação:

access_time 08/05/2020 - 11:08

Data de atualização:

access_time 08/05/2020 - 11:08
format_align_left 3 minutos de leitura

Quer saber como investir?

Abra AGORA sua conta no banco digital dos investidores

QUERO ABRIR MINHA CONTA

As bolsas da Ásia fecharam com ganhos nesta sexta-feira, com os investidores mais animados com as reaberturas dos negócios e também com o alívio na tensão comercial entre os Estados Unidos e a China. Os representantes dos dois países anteciparam as conversas, que estavam previstas para as próximas semanas, sobre o acordo “Fase 1”.

Ao final, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kong ficou em alta de 1,04% a 24.179. O índice Xangai ficou em alta de 0,83% a 2.895. O índice Shenzhen Composite ficou em alta de 1,17% a 1.809. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 2,56% aos 20.179. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou estável a 2.591. O índice S&PASX 200, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,50% a 5.391.  O índice Kospi, Seul, ficou em alta de 0,89% a 1.945. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,63% os 31.642. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,54% aos 10.901.

O bom humor veio com os resultados de Wall Street e também com os negociadores dos Estados Unidos e da China renovando as conversas, via telefone, para manter a cooperação.

O alívio da conversa afastou a possibilidade de mais disputas entre as duas potências. O temor seguia com as declarações do presidente Donald Trump, entre outras autoridades de alto escalão, que culpava a China pela pandemia de coronavírus matando milhões de pessoas ao redor do mundo.

A conversa ocorreu entre o vice-primeiro-ministro chinês Liu He, o representante comercial, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, os dois dos Estados Unidos, que concordaram no trabalho conjunto para a implementação do acordo comercial da “Fase 1”. O acordo, que durou quase 2 anos, foi alcançado em janeiro deste ano. As informações são da Reuters internacional.

Na Austrália, a bolsa de Sidney fechou em alta com o Banco Reserve prometendo apoio econômico, sinalizando a queda do emprego e também projetando a contração do PIB em 6% para 2020.

No Japão, os salários médios subiram 0,1% ao ano em março, alta pelo terceiro mês consecutivo depois do ganho de 0,7% em fevereiro. Odos são preliminares e divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar.

O total de ganhos médios mensais por funcionário regular aumentou 0,1% a / a para 281.812 ienes em março, para um terceiro ganho direto depois de um aumento de 0,7% em fevereiro. Em termos reais, os salários médios caíram 0,3% a / a em março, a primeira queda em três meses depois de um aumento de 0,2% em fevereiro. Os dados são Ministério da Terra.

No Japão, os gastos das famílias caíram 6,0% em março em relação ao ano anterior. O resultado é a maior queda em cinco anos e com o apelo do governo para que a população fique em casa para conter a propagação do coronavírus. Os gastos, em termos reais, de famílias com duas ou mais pessoas ficaram em 292.214 ienes (US $ 2.750), informou o Ministério de Assuntos Internos e Comunicações.

Tradução ID de agências internacionais

Pretende diversificar a
sua carteira
de investimentos?